ESTAMOS QUASE A PARTIR

Venham Viajar connosco!

TUDO EM DIRETO E EM EXCLUSIVO AQUI

Fazemos, Vemos e Comemos ... e Escrevemos!

MAIS UMA VIAGEM QUE PARTILHAMOS TUDO AQUI

Desenhada vos trazer connosco!

DILLER SCOFIDIO GANHA O NOVO MUSEU DOS TRANSPORTES DE BUDAPESTE


O atelier Diller Scofidio, em parceria com o atelier local Renfro, acaba de ganhar mais uma importante obra: o novo museu dos transportes de Budapeste.

Este futuro museu tem na utilização do vidro e na sua transparência a principal característica, conseguindo, segundo as imagens divulgadas, criar uma super estrutura quase imaterial, onde comboios parecem flutuar no espaço.



A herança industrial do local foi preservada nesta proposta, conseguindo assim criar uma nova construção que vem trazer modernidade ao edifício antigo dos caminhos de ferro húngaros, onde já hoje se situa o museu.

Esta é mais uma proposta de arquitetura completamente disruptiva deste atelier de arquitetura, que surpreende tudo e todos ... e aparentemente agradou ao júri do concurso, que lhes deu o primeiro lugar neste concurso internacional de arquitetura!


O NOVO HUAWEI DOBRÁVEL


É uma autêntica revolução da tecnologia e do design o novo Huawei Mate X.

Este é o primeiro telemóvel do mundo a ter um ecrã que se dobra, criando assim uma nova categoria de telemóveis, que cruza a portabilidade dos telemóveis normais, com o ecrã de maiores dimensões dos tablets, permitindo assim uma experiência de multimédia e de trabalho mais confortável e abrangente.

Esta apresentação arrasou com as novas tendências, mas merece, pois é verdadeiramente revolucionária para o nosso futuro!



A CADEIRA MAIS GORDA DE TOM DIXON


No dia seguinte aos Oscars, trazemos aqui a mais recente criação do Star Designer Britânico Tom Dixos: a Fat Chair.

A Fat é a nova cadeira desenhada por Tom Dixon, que vai ser apresentada no Salone (em Abril) e que foi criada para ser confortável e abraçar quem se senta nela, dando assim um conforto ainda maior, e permitindo estadias mais prolongadas, sem perda de qualidade de utilização.


Durável, simples e costumizável, esta cadeira é a nova criação fetish de Tom Dixon, que promete tornar-se em mais um dos seus objetos icónicos.

Todos os nossos leitores já sabem o quanto gostamos deste designer britânico, por isso, quando ele lança mais uma linha de cadeiras tão boa quanto esta, não admira que publiquemos e aplaudamos!

OSCARS 2019 - UMA NOITE ESPECIAL


Foi ontem que Hollywood se vestiu de gala e, mais uma vez, deslumbrou o mundo com momentos inesquecíveis.

Nós obviamente, com tanto estilo e com tantos momentos únicos, não poderíamos deixar de trazer aqui o nosso ponto de vista e partilha-lo convosco. Assim comecemos pelo grande momento da noite: a Red Carpet.


Depois de alguns anos em que o estilo de Hollywood evoluiu, este no ele afirmou-se rejuvenescido e contemporâneo. Não houve medo de usar cores arriscadas, nem formatos de peças mais contemporâneos. Se a tradição evolui, então esta Red Carpet é um bom exemplo disso.

As nossas escolhas foram fáceis, pois há claros vencedores do estilo da noite de ontem: Lady Gaga num vestido preto de Aleksander McQueen com um colar da Tiffanys & Co. que deslumbrou tudo e todos; Glenn Close num Carolina Herrera feito de malha de ouro absolutamente deslumbrante e que conquistou todos com o seu brilho subtil e a um trabalho de design de moda como só um prodígio da moda consegue (estamos a falar do talentoso Wes Gordon, claro); e a elegantíssima Regina King com um vestido imaculado e de um drapeado levado à perfeição da casa Oscar de La Renta e jóias da Chopard. Foi uma red carpet absolutamente única e de uma elegância inquestionável.




Mas foi na Abertura que tudo começou e portanto foi com os Queen e o seu meadley de We Will Rock You e We Are The Champions que a cerimónia abriu. Mas mesmo sem um apresentador oficial, o habitual discurso de abertura com piadas à assistência e à cerimónia em si não faltou. A tarefa coube a três veteranas do humor na américa: Maia Rudolph, Tina Fey e Amy Poehler, que foram divertidas, irónicas e politicamente incorrectas q.b. ... tal como se espera da abertura dos Oscars.


Depois foi o desfilar habitual de vencedores e discursos emocionados, com momentos musicais únicos (com a actuação de Lady Gaga e Bradley Cooper a atingir o pico de intimismo possível numa cerimónia vista por milhões e a derreter um mundo inteiro, seguramente). Glenn Close infelizmente não ganhou o Oscar, Spike Lee ganhou o seu primeiro oscar e Lady Gaga emocionou-se e comoveu uma audiência inteira com o seu discurso ... e neste desfilar tudo culminou num grande vencedor: Green Book e o seu Oscar de Melhor filme.

Parabéns a todos os vencedores, um aplauso para todos os nomeados e aqui fica a lista completa dos premiados na noite de ontem.



MELHOR FILME: Green Book
MELHOR REALIZADOR: Alfonso Cuarón por "Roma"
MELHOR ATRIZ PRINCIPAL: Olivia Colman por "The Favourite"
MELHOR ATOR PRINCIPAL: Rami Malek por "Bohemian Rhapsody"
MELHOR CANÇÃO ORIGINAL: Lady Gaga e Mark Ronson por "Shallow"
MELHOR BANDA SONORA ORIGINAL: Ludwig Goransson por "Black Panther"
MELHOR ARGUMENTO ADAPTADO: Charlie Wachtel & David Rabinowitz e Kevin Willmott & Spike Lee por "Blackkklansman"
MELHOR ARGUMENTO ORIGINAL: Nick Vallelonga, Brian Currie e Peter Farrelly por "Green Book"
MELHOR CURTA-METRAGEM: Guy Nattiv e Jaime Ray Newman por "Skin"
MELHORES EFEITOS ESPECIAIS: Paul Lambert, Ian Hunter, Tristan Myles e J.D. Schwalm por "First Man"
MELHOR CURTA DOCUMENTAL: Rayka Zehtabchi e Melissa Berton por "Period. End of Sentence"
MELHOR CURTA DE ANIMAÇÃO: Domee Shi e Becky Neiman-Cobb por "BAO"
MELHOR FILME DE ANIMAÇÃO: Bob Persichetti, Peter Ramsey, Rodney Rothman, Phil Lord e Christopher Miller por "Spider-Man: Into the Spider-Verse"
MELHOR MONTAGEM: John Ottman por "Bohemian Rhapsody"
MELHOR FILME ESTRANGEIRO: "Roma"
MELHOR MISTURA DE SOM: Paul Massey, Tim Cavagin e John Casali por "Bohemian Rhapsody"
MELHOR MONTAGEM DE SOM: John Warhurst e Nina Hartstone por "Bohemian Rhapsody"
MELHOR FOTOGRAFIA: Alfonso Cuarón por "Roma"
MELHOR DIREÇÃO ARTÍSTICA: Hannah Beachler por "Black Panther"
MELHOR GUARDA-ROUPA: Ruth Carter por "Black Panther"
MELHOR CARACTERIZAÇÃO: Greg Cannom, Kate Biscoe and Patricia Dehaney por "Vice"
MELHOR DOCUMENTÁRIO: Elizabeth Chai Vasarhelyi, Jimmy Chin, Evan Hayes e Shannon Dill por "Free Solo"
MELHOR ATRIZ SECUNDÁRIA: Regina King ('If Beale Street Could Talk')


OSCARS 2019 - RED CARPET, PERFORMANCES E PRESENTES


Estamos a poucas horas da maior festa do mundo e do momento mais mediático do ano: a cerimónia de entrega dos Oscars.

Como estamos muito perto de toda essa magia hollywoodesca, vimos aqui trazer mais detalhes da cerimónia de mais logo no Dolby Theatre. E depois de ontem termos revelado os apresentadores já anunciados, hoje começamos por revelar alguns factos curiosos sobre esta edição de 2019 dos Oscars.


O primeiro facto curioso é sobre o primeiro momento espectacular da cerimónia dos Oscars: a Red Carpet. A famosa passadeira vermelha, onde 700 fãs têm assento garantido tem cerca de 150 metros de cumprimento. É aqui que vão passar as mais de 3.300 pessoas que vão assistir ao vivo a esta cerimónia, mas tudo estar absolutamente segmentado, e apenas as grandes estrelas com entrevistas marcadas (e os respetivos staffs) passarão na parte mais pública e mediática deste que é o mais famoso tapete do mundo.

Mas como sempre é no durante a cerimónia que se vão centrar todas as atenções. Assim sendo nós também vamos entrar na cerimónia e nalguns dos segredos que já se podem revelar.


O primeiro dos segredos são as actuações musicais. As várias canções originais nomeadas vão trazer momentos de performance absolutamente memoráveis. Assim sendo a já oscarizada Jennifer Hudson vai cantar "I'll Fight" do filme RBG, Gillian Welch e David Rawlings vão actuar também na interpretação da canção do filme The Ballad of Buster Scruggs "When a Cowboy Trades His Spurs for Wings”, mas os momentos mais esperados serão protagonizados por Bette Midler, quando subir ao palco para interpretar a canção original de Mery Poppins Returns "The Place Where Lost Things Go" e por Bradley Cooper e Lady Gaga na sua performance do super êxito "Shallow".

Mas a música vai ter mais momentos únicos e um deles vai ser a actuação dos míticos Queen e Adam Lambert, que vão subir ao palco para uma actuação de músicas do grupo. O alinhamento desta actuação ainda não é público, mas a promessa de Brian May é que "We Will Rock the Oscars!"


Já falámos do pré Oscars (a Red Carpet), já falámos da cerimónia (e dos muito aguardados momentos musicais) e em último lugar falamos do pós Oscars: sabem quantas festas oficiais existem depois dos Oscars? Nós respondemos: apenas uma - o The Governors Ball, onde o director da Academia Lois Burwell, o produtor de eventos Cheryl Cecchetto e o chef Wolfgang Puck vão receber cerca de 1.500 convidados para uma festa memorável com o tema “Filmscapes”. O Chef Wolfgang Puck está a criar mais de 60 pratos que vão fazer pairing com o champanhe, a tequila e os vinhos oficiais (o Piper-Heidsieck, a Don Julio e os vinhos Francis Ford Coppola, respectivamente).

Mas paralelamente vai haver a glamourosa Vanity Fair Oscar Party, as festas dos estúdios Warner Bros, da cadeia Fox e do mais recente Netflix, mas são as festas privadas que vão ser mais exclusivas e requisitadas. E aqui há duas que vão reinar: as organizadas por Jay Z e por Madonna, onde vão aparecer muitas das estrelas da noite (nomeadamente os premiados) e muitas outras que este ano estiveram fora dos holofotes, mas que também são de primeira linha. É nestas festas mais privadas que acaba a maior noite de Hollywood, e é aqui que acaba também este nosso último artigo sobre a maior cerimónia de prémios do mundo deste ano.

Entretanto ... tic-tac, tic-tac, tic-tac ... let the Oscars 2019 start!

OSCARS 2019 - SEGREDOS QUE JÁ SE SABEM


Estamos a poucas horas da noite maior do cinema mundial e, como sempre, já muitos detalhes desta noite foram revelados.

Ora depois de esta semana que passou (na quinta e na sexta) termos revelado as nossas apostas para alguns dos vencedores da noite de amanhã, hoje trazemos já alguns detalhes que são já conhecidos do espectáculo.


O primeiro aspecto que hoje trazemos aqui é o facto de esta cerimónia não ter apresentador. Depois de nomeado o comediante Kevin Hart, este foi afastado graças a uma imensa polémica por homofobia e agora está confirmado ... não vai haver um apresentador oficial Esta não é a primeira vez que a cerimónia não tem um apresentador principal, pois em várias edições anteriores tal situação já aconteceu.

Mas se não há um anfitrião, já há a lista de apresentadores oficial. Assim sendo nomes como Javier Bardem, Angela Bassett, Chadwick Boseman, Emilia Clarke, Laura Dern, Samuel L. Jackson, Stephan James, KiKi Layne, James McAvoy, Melissa McCarthy, Jason Momoa, Sarah Paulson, Daniel Craig, Chris Evans, Tina Fey, Allison Janney, Brie Larson, Jennifer Lopez, Frances McDormand, Gary Oldman, Amy Poehler, Sam Rockwell, Maya Rudolph, Charlize Theron, Whoopi Goldberg, Constance Wu e Awkwafina já estão confirmados que vão subir ao palco mais mediático do ano.


Outro dos detalhes que já é conhecido é o local da cerimónia, que vai ser, novamente o Dolby Theatre, em pleno Hollywood Boulevard. É aqui que serão entregues, em frente aos olhos de todos, todos os oscars da noite. Depois de ter anunciado que algumas categorias menos mediáticas iriam ser distribuidas durante os intervalos da emissão televisiva, perante o couro de protestos a academia voltou atrás e anunciou que afinal todos os Oscars seriam distribuídos com transmissão televisiva em direto.

Todos os anos a academia dá Oscars Honorários, e este ano estes são entregues à actriz Cicely Tyson, ao compositor Lalo Schifrin e ao publicista Marvin Levy. Nesta edição é também entregue o Prémio Memorial Irving G. Thalberg aos produtores Kathleen Kennedy e Frank Marshall.


Quanto aos Oscars por avanços científicos e tecnológicos, esses já foram entregues na passada semana no Beverly Wilshire e premiaram muitos profissionais por descobertas que farão maravilhas nos próximos anos. Por hoje ficamos por aqui com a lista de todos os premiados com os Oscars científicos e tecnológicos ... mas amanhã voltaremos com detalhes sobre a cerimónia que vão trazer muita magia aos ecrãs de televisão de todo o mundo!

TECHNICAL ACHIEVEMENT AWARDS - Eric Dachs, Erik Bielefeldt, Craig Wood, Paul McReynolds, Per-Anders Arvid Edwards, Paul Thomas Miller, Marco Paolini, Paul Debevec, Timothy Hawkins, Wan-Chun Ma, Thabo Beeler, Derek Bradley, Bernd Bickel, Markus Gross e Charles Teorell Loop

SCIENTIFIC AND ENGINEERING AWARDS - David Simons, Daniel Wilk, James Acquavella, Michael Natkin, David M. Cotter, Thomas Knoll, John Knoll, Edwin Catmull, Tony DeRose e Jos Stam

JOHN A. BONNER AWARD - Curtis Clark

OSCARS 2019 - CANÇÕES, REALIZADORES E FILMES


Depois de onterm termos tornado públicas (pela primeira vez, diga-se) as nossas apostas para alguns dos Oscars deste ano, hoje trazemos aqui mais algumas escolhas e favoritos entre os nomeados noutras quatro categorias.

Mas não sendo possível trazer aqui todos os nomeados em todas as categorias, trazemos aqui os realizadores e os melhores filmes, quer na categoria de filme estrangeiro, quer na categoria de filme de animação, quer na categoria de filme do ano.


Comecemos então pelos filmes estrangeiro e de animação. Aqui não se espera surpresas de maior, pois entre os nomeados de cada categoria, os vencedores estão praticamente anunciados (ou seria uma grande surpresa para todos). Assim sendo as cobiçadas estatuetas douradas vão para o Roma (do México) e Spider-Man: Into the Spider-Verse, respetivamente. Estas também são as nossas previsões, ou não tivessem ganho tudo o que havia para ganhar nestas categorias (e inclusive Roma esteja nomeado para a categoria de Melhor Filme do Ano).

Mas se nestas duas categorias não existem grandes surpresas, nas canções originais também não se esperam grandes emoções, com Lady Gaga e Bradley Cooper a roubarem merecidamente o favoritismo a todas as outras nomeadas. Nem o grande êxito Black Panther, nem o Musical Mary Poppins têm conseguido fazer frente à canção Shallow de A Star is Born, e por isso, nesta categoria, a nossa aposta é claríssima: escolhemos os grandes favoritos!


Mas se as coisas eram claras até aqui nas nossas previsões de hoje, tudo vai mudar agora. Na categoria de melhor realizador, tudo parece indicar que o vencedor será o mexicano Alfonso Cuarón, no meio de um leque de nomeados muito diversificado.

No entanto há quem diga que nesta categoria, com estas nomeações, a academia pode estar a preparar-se para dar a primeira grande surpresa da noite ao fazer uma cambalhota e dar a cobiçada estátua a um dos outros nomeados, nomeadamente a algum dos europeus, pois a sua nomeação deixando de fora favoritos foi uma verdadeira surpresa (e assim a Academia continua a sua surpresa ao contrariar todo o favoritismo), ou até a atribuir a Spike Lee o Oscar que sempre lhe fugiu, apesar de todo o aplauso da crítica internacional. Nós continuamos a apostar em Alfonso Cuarón, mas se há categoria que pode ser uma surpresa na noite de Domingo para Segunda ... é esta!


E "Last, but not the least" a categoria com mais nomeados (8 em vez de 5) e que tem menos favoritos: o melhor filme do ano. A escolha de um filme vencedor, nesta categoria, da nossa parte baseia-se num misto de racional e de emocional, pois apostamos no Roma, por todo o significado que tem um prémio destes devido à situação em que a América se encontra actualmente. A Academia não costuma ser muito política nas suas escolhas, mas neste caso pode ser que aconteça, pois o unanimismo que existe de aplauso a esta obra cinematográfica é gigante. Mas se sair vencedor o Green Book, também não nos espantaria, sendo também esta uma escolha com fundamentos políticos e profundamente americanos (se bem que mais discretos que no caso de Roma). Nós gostámos dos dois filmes e por gostarmos de ver uma academia a premiar filmes de outras línguas, que retratam outras culturas e assim abrem Hollywood a outros públicos, escolhemos o filme mexicano como o grande filme da noite (até porque deve ganhar algumas das categorias mais técnicas, como a fotografia ou a cenografia).

Faltam pouco mais de 48h para que tudo seja revelado e para que os prémios sejam distribuidos. Vai ser uma noite em grande estilo e que vai trazer o melhor do estilo hollywoodesco para os ecrãs de todo o mundo. Assim sendo, nós voltamos no sábado e no domingo já a revelar antecipadamente alguns detalhes da cerimónia ... só para aguçar um pouco mais a curiosidade!

OSCARS 2019 - ACTORES E ACTRIZES


Estamos na semana dos Oscars 2019 e como tal vimos aqui relembrar os grandes concorrentes à edição deste ano dos Oscars. Assim sendo, ao longo desta semana vimos recordar os nomeados para as principais categorias (e as nossas apostas para cada uma destas), bem como alguns dos segredos que já foram revelados desta cerimónia mítica de prémios de Hollywood.

Assim sendo, hoje e amanhã trazemos aqui os nomeados e as nossas apostas, para no fim-de-semana conseguirmos revelar já alguns dos segredos da cerimónia deste ano dos Oscars, e assim antecipar alguns dos momentos que vão dominar a atenção mundial durante a madrugada de segunda-feira.


Ora comecemos então pelos nomeados nas categorias de representação. E claro está que há uma categoria que, pode trazer alguma surpresa, mas, se tudo correr como o previsto, tem um vencedor pré-anunciado: estamos a falar do Melhor Ator Principal.

Com os nomeados Bradley Cooper, Viggo Mortensen e Williem Dafoe (pelos desempenhos em A Star Is Born, Green Book e At Eternity's Gate) quase afastados da corrida, cabe ao conhecido Christian Bale, com o seu desempenho em Vice, desafiar o imparável Rami Malek e o seu desempenho em Bohemian Rhapsody. Na realidade o grande favorito nesta categoria é o actor de ascendência egípcia e a sua interpretação magistral de Freddie Mercury, pois tem ganho todos os prémios até agora (Globos de Ouro, Screen Actors Guild e BAFTA). No entanto Christian Bale, ao vencer também o Globo de Ouro (mas na categoria de comédia) e os Critics' Choice, torna-se um sério desafiador, o que traz para a corrida alguma emoção.


Já nos Actores em Papel Secundário, o unanimismo é ainda maior, com Mahershala Ali (pelo seu desempenho em Green Book) a arrecadar todos os prémios que poderia nesta categora desta Award Season (Globos de Ouro, Screen Actors Guild, BAFTA e Critics' Choice). Assim sendo seria uma imensa surpresa se Adam Driver, Richard E. Grant, Sam Elliott ou Sam Rockwell ganhassem o oscar por mais que os seus desempenhos tenham sido dignos de todo o nosso aplauso (em BlacKkKlansman, Can You Ever Forgive Me?, A Star Is Born e Vice, respetivamente).

Assim sendo nos masculinos temos dois claros favoritos - Rami Malek e Mahershala Ali. Estas são as nossas previsões e apostas para Oscars de interpretação nos papéis Masculinos.


Já no feminino, tudo se apresenta muito mais complicado, com previsões bastante mais arriscadas. Assim comecemos por ver a categoria de Melhor Actriz em Papel Secundário. As nomeadas Amy Adams por Vice, Emma Stone por The Favourite, Rachel Weisz também por The Favourite, Marina de Tavira por Roma e Regina King por If Beale Street Could Talk têm todas papéis bastante diferentes. Enquanto que Regina King ganhou o Globo de Ouro e o Critics' Choice, já Rachel Weisz ganhou o BAFTA (comentando-se assim que pode ter significado a ascendência mais tardia, mas mais forte dos nomeados do filme The Favorite ... mas há quem diga também que sendo ela britânica, aqui reside a razão pela qual vence o BAFTA).

Assim sendo aqui as escolhas estão mais difíceis e portanto as apostas mais arriscadas. Mas gostando nós do risco, não deixamos de arriscar e portanto pomos a nossa previsão na americana Regina King.


No que toca a Actriz num Papel Principal, onde estão nomeadas Lady Gaga, Melissa McCarthy e Yalitza Aparicio, pelos seus desempenhos em A Star is Born, Can You Ever Forgive Me? e Roma, tudo indica que, aqui, as contas, estão verdadeiramente difíceis de prever, e as chances estão com as outras duas nomeadas. Se por um lado Glenn Close estava bem lançada com o seu desempenho em The Wife, com as vitórias nos Globos de Ouro, Screen Actors Guild e Critics' Choice, nas categorias dramáticas, Olivia Colman e o seu desempenho de Queen Anne em The Favourite (que arrecadou também os Globos de Ouro e os Critics' Choice, mas nas categorias de comédia), para grande surpresa de todos, ganhou o BAFTA, deixando Glenn Close a sorrir na plateia. Ora se todos sabemos que a Academia de Hollywood gosta de dar prémios mais a desempenhos dramáticos do que cómicos, também sabemos que peso dos atores britânicos a votarem é grande, o que deixa uma total incerteza e suspense nesta categoria. Mas apesar da incerteza completa, nós arriscamos a dizer que a academia vai dar o Oscar a Gelnn Close, concedendo-lhe assim o primeiro de toda a sua longa e muito aplaudida carreira, fazendo assim justiça a uma das actrizes mais polivalentes do cinema americano.

Estas são as nossas escolhas em termos de interpretação, mas na quinta-feira voltamos com mais previsões do que vai-se passar na grande noite do cinema mundial deste ano.

DOMKAPA LANÇA-SE NO MERCADO DE RETALHO


A marca de design português Domkapa acaba de se lançar no mercado de design e decoração para casa, em termos de distribuição internacional.

Com 10 anos de experiência no fabrico de peças feitas por encomenda, esta marca portuguesa lança-se agora também a criar peças para venda em lojas de design no mercado nacional e internacional. Com uma linguagem que recupera as técnicas tradicionais de trabalhar materiais nobres como os veludos, as madeiras lacadas ou os metais, esta marca consegue reinventar formas vintage, para uma linguagem de design contemporâneo e luxuoso.




É assim que a Domkapa agora lança esta mini coleção que reúne sofás, camas, banquetas ou mesas de apoio e mesas de cabeceira. Os materiais nobres são combinados com formas sofisticadas e de ligeira inspiração no mobiliário do princípio do século XX. Combinando influências da Art Deco com conforto e tecnologia contemporânea, esta marca surpreende e propõe algo de novo no mercado nacional.

É mais uma marca de design português a chegar ao mercado global ... e nós não poderíamos deixar de dar aqui esta novidade!






KARL LAGERFELD - 1933 / 2019


Hoje um dos últimos grandes criadores de moda de todos os tempos desapareceu: Karl Lagerfeld Morreu.

O génio da moda nasceu na alemanha, mas cedo se mudou para Paris, onde colaborou com várias marcas nesta sua carreira de sete décadas. Quem o descobriu foi Pierre Balmain em 1955 e daí colaborou com casas tão diversas como a própria Balmain, Jean Patou, Tiziani, Chloè e por fim, em 1972 chega à Fendi onde começa a ganhar nome. É assim que em 1975 é convidado para ser director criativo da Chanel e é assim que começa o seu maio trabalho: suceder à icónica fundadora da marca (que tinha morrido poucos anos antes) e reinventar a marca tornando-a de novo apetecível e moderna. Karl Lagerfeld desenhou para as duas casas de moda - Chanel e Fendi - até ao fim da sua vida juntando-lhe em 1984 a sua própria casa de moda.


Conhecido pelo seu temperamento exigente e pelo seu espírito criativo incansável, Karl Lagerfeld foi um génio humanista do último século. A fotografia, o cinema, a publicidade e o design de equipamento e a decoração ganharam trabalhos dele, pois a sua força criativa foi desde uma campanha para os gelados Magnum até ao design de um carro ou a decoração de hotéis. Mas foi na moda que mais se celebrizou.

O reinventar da casa Chanel, a criação de verdadeiros espetáculos de moda (com os míticos desfiles do Grand Palais) a potenciação das coleções cruise (com os desfiles no Dubai ou em Cuba), a regeneração de uma marca que se confundiu com a sua própria imagem, tornaram-se uma herança que nos deixou ao longo do último século e que o tornam num dos maiores artistas dos últimos tempos. Ele foi tão mítico que a sua presença em filmes, revistas ou imojis tornou-se um símbolo em si, ultrapassando gerações e tempos, reinvendando-se nos anos 1950, 1970, 1990 e 2000s.


Um dos últimos grandes génios da moda mundial acabou de ser uma influência, para passar a ser uma inspiração.

Long Live The Karl!