O NOVO EXPRESSO DO ORIENTE | DIRECTO - DIA 08


04:00 ... Ainda é de Noite e nós já Acordámos

O despertar hoje foi muito cedo, pois temos um programa intenso e longo pela frente ... que começa antes do amanhecer!

Assim acordamos a estas horas "impróprias para consumo" e dirigimo-nos para o nosso primeiro destino do dia: o Templo de Borodurur.

Aí vamos assistir ao nascer do Sol ... esperamos nós que sem grandes grupos de turistas à volta.

Vamos agora para lá num carro privativo ... e daí continuamos a jornada para ver os famosos vulcões de Java.

Vai ser um dia longo, duro e que promete ser mágico!

Mais logo (bastante mais logo) voltaremos com todas as imagens e novidades deste dia ... até daqui a muitas horas.


05:30 O Nascer do Sol em Borodurur

Esta foi a razão pela qual acordámos tão cedo: ver o nascer do Sol em pleno templo de Borodurur.

Tivemos algum azar, pois estava um dia nublado, mas mesmo assim valeu a pena. Chegar a este que é um dos três grandes templos budistas da Ásia e é um dos monumentos classificados pela UNESCO como patrimóio Universal ... e com razão.

A espectacular e gigantesca estrutura do templo, em pirâmide faz desta aventura semi-nocturna uma experiência única. Subir os vários teraços ainda noite cerrada e subir os vários terraços até ao topo para, no meio de todos os sinos de pedra que são a imagem de marca desta maravilha, esperrar pelo surgimento da luz que vai revelando todos os altos e baixos relevos deste monumento ... é algo que vale a pena o sacrifício de acordar ainda de madrugada!

Estamos poucos no templo e temos todos um local sossegado para gozar este momento muito especial ... tornando esta experência ainda mais incrível!


07:00 O Pequeno Almoço com Vista Sagrada

Depois do Nascer do Sol e de percorrer os vários terraços (quase vazios) do Templo de Borobdur, dirigimo-nos ao hotel Manohara (mesmo ao lado do templo (e por onde se entra para ver o Nascer do Sol, já que o templo a essa hora está fechado e apenas os convidados do Hotel o podem fazer ... não sendo necessário ser hóspede, tem-se de marcar com alguma antecedência, pois o número de entradas externas ao hotel é muito limitado) para tomarmos um pequeno almoço reforçado com vista para o templo.

Ao som de música tradicional javaneza, por baixo de umas lindíssimas estruturas de sombra ao bom estilo javanês, ficamos aqui durante algum templo a contemplar a vista magnífica.

Mas é tempo de partir ... e rumarmos ao nosso próximo destino - o distante Planalto de Dieng.


09:00 As Estradas e o seu Trânsito

O percurso que nos leva desde o Templo de Borubudur até ao Planalto de Dieng (um antigo vulção que colapso depois de uma erupção e que formou este mágico e muito alto planalto, pois está a mais de 2.000m de altitude) é uma verdadeira aventura.

Quer pelo imenso tráfego, quer pela forma caoticamente organizada como este é gerido, passando pela miríade de paisagens absolutamente esmagadoras na sua beleza ue atravessamos, torna-se uma experiência a não perder.

Foi graças a esta experiência que conseguimos conhecer a verdadeira Java rural. Bem mais desenvolvida do que a Sumatra rural que conhecemos uns dias antes, esta realidade vive essencialmente à base da agricultura e de três culturas muito próprias: o Arroz, o Chá e o Tabaco.

Estes três produtos fazem desta paisagem de montes e vales e altos picos rochosos (reminiscentes de antigos e inactivos vulcões) uma visão de autêntica maravilha e persistência de comunhão entre os Humanos e a Natureza.


11:00 O Planalto de Dieng

Depois de quatro horas de viagem 8em que não se consegue circular a mais de 60 km/h, chegamos então ao cimo de uma das montanhas mais altas de Java: o Edílico Planalto de Dieng.

Aqui a paisagem de socalcos cultivados e de trabalho manual agrícola atinge o seu explendor total. Todo o caminho é desenvolvido em crescendo, mas quando se chega verdadeiramente ao Planalto a paisagem transforma-se num cenário paradisíaco.

As grandes perspectivas, marcadas por mintes íngremes e esculpidos pela Natureza e pelo Homem, a luz (pois estamos acima das núvens já) e o facto de sabermos que estamos dentro de uma antiga cratera de um dos famosos vulcões de Java, fazem deste momento algo inesquevcível!


11:30 O Lago Telaga Warna

Esta é talvez a maior atracção turística de todo o Planalto de Dieng e seguramente a mais espectacular de todas: o Lago Telaga Warna.

Este é um lago dividido em duas bacias, uma delas de cor azul turqueza intenso e outro de azul cobalto profundo. A imagem destas duas manchas de cores incríveis rodeada de uma cadeia de montanhas absolutamente revestidas de verde é alg difícil de esquecer.

Deixamos aqui um conselho: não vale a pena pagar o bilhete para ir até ao pé dos lagos, pois este local não permite ver os dois lagos, mas apenas chegar perto de um espaço mínimo da margem do lago azul turqueza ... assim seguimos o conselho dos nossos dois guias (o dia era tão longo que levámos dois motoristas/guias conosco, para aguentarem tantos quilómetros e horas de visita) e seguimos até ao teatro do Planalto e subimos por um trilho que nos leva até um rochedo onde se pode vislumbrar esta vista maravilhosa que a foto ilustra.

Seguimos o conselho e valeu bem a pena!


12:00 Os Lagos de Lama

Depois de algum tempo a contemplar o Lago Telaga Warna seguimos para a segunda maior atracção do Planalto: os lagos de lama Kawah Sikidang.

Este complexo de lagos de lama é ainda uma das poucas provas de actividade vulcânica visitável nesta zona de Java Central. Os três lagos de lama, deitam um conjunto de gazes (maioritariamente enxofre) que fazem de todo o ambiente algo digno de uma paisagem de outro planeta. Não havendo plantas que sobrevivam às altas temperaturas das lamas (pois estes são lagos de Lama a Ferver e a borbulhar constantemente) e aos gazes do Enxofre que saem formando núvens imensas que se vêem à distância, todo o âmbeinte é rochoso, árido e de cores bastante pálidas e mortas.

O cheiro nauseabundo do local, a paisagem despida e sem vida e a emoção de estarmos a poucos metros (às vezes menos de um metro) de uma actividade vulcânica, fazem valer a pena todo o sacrificio do calor e dos maus cheiros.

É sem dúvida uma experiência forte e marcante.


19:00 O templo de Prambanan

Depois do lago Telaga Warna, decidimos sair do Planalto de Dieng, almoçar em Wasonobo (a cidade principal mais perto do Planalto), meter-nos a mais quatro horas de estrada alucinantes e voltar para a zona de Yogyakarta para ver a outra grande atracção desta cidade: o Templo de Prambanan.

O percurso foi feito a grande velocidade e de forma um pouco alucinante, pois o tempo escasseava e queríamos estar a tempo do pôr do Sol em leno Templo de Prambanan ... e assim conseguimos!

Graças à perícia, boa vontade e disponibilidade dos nossos acompanhantes javaneses chegámos ao gigantesco recinto do templo de Prambanan mesmo a tempo de testemunhar o Pôr do Sol no outro monumento classificado pela UNESCO, na zona de Yogyakarta.

Valeu a pena a correria, pois a dimensão deste templo é verdadeiramente esmagadora e impressionante ... e visto a esta hora, tornou-se um fechar de dia muito especial: se vimos o Nascer do Sol em Borobudur, vimos o Pôr do Sol em Prambanan.


21:00 O Jantar Popular de Yogyakarta

Graças ao nosso novo amigo aqui em Yogyakarta (Thanks Alfie), não só conseguimos montar este roteiro de hoje (e o de amanhã também ... mas desse falamos amanhã), mas também conseguimos ir a um dos restaurantes mais cool da cidade de Yogyakarta: o restaurante House of Raminten.

Este local tem comida típicamente javanesa, não tinha nem um ocidental e todo o ambiente respirava autenticidade e trendyness. A frequência é jovem, a comida excepcional e o ambiente, verdadeiramente causal e descontraído. Tem detalhes muito simpáticos, como comer-se sentado no chão (à boa maneira tradicional de Java) em cadeiras próprias de palha de bambú, a música que passa serem remixes de músicas ocidentais actuais (dando-lhe um ambiente actual e internacional) e o menú ser imperceptível para nós ocidentais mas ter imagens que nos permitem escolher de forma relactivamente segura o que vamos comer ... e as imagens correspondem de facto ao que comemos.

Foi um final de dia em grande ... para um grande dia!

Por hoje ficamos por aqui, mas amanhã dedicamo-nos à cidade de Jacarta em si, e viajamos para o nosso destino final na Indonésia (e também o mais emblemático) - Bali. Ou seja: será mais um dia em cheio!

0 Reality Comments: