VIAGEM DE VERÃO 2018 EM DIRETO

As nossas Aventuras de Verão vão Voltar ...

FESTIVAL DE MÚSICA DE MARVÃO

Música para Todos mas com um ritmo bem diferente!

VIAGEM DE VERÃO 2018 EM DIRETO

Querem Vir Dar Uma Voltinha Connosco?

BELEZA DE VERÃO

Vai um Look Tropical?

VIAGEM DE VERÃO 2018 EM DIRETO | VOLTA AO MUNDO - DIA 3



02:30 UM VOO EXEMPLAR

A noite foi passada parte a bordo de um voo Atenas Amman, parte já na Jordânia, mas primeiramente partilhemos aqui a nossa opinião sobre a experiência de voar naquela que venceu o prémio de Melhor Companhia Regional da Europa.

A simpatia da tripulação, o serviço a bordo (de uma refeição quente), o disponibilizarem almofadas e cobertores, mesmo num voo de menos de 3h de duração e o conforto dos lugares (que só não têm o espaço de pernas do antigamente), fazem da experiência deste voo, um autêntico prazer.

Assim passámos a nossa segunda jornada aérea entre destinos da Nossa Volta ao Mundo ... e assim passámos com todo o conforto da Europa para a Ásia!






06:00 A VIAGEM ATÉ PETRA

À chegada a Amman tínhamos os nossos sorridentes motoristas - Amed e Kassam - à nossa espera, que nos conduziram por estrada até ao nosso primeiro destino do dia.

Com o conforto possível permitido pelos veículos e pelas estradas jordanas viajámos ainda de noite, durante 3h até ao nosso destino final, Wadi Musa e o seu monumento principal: a cidade de Petra.

Foi uma viagem tranquila, numa estrada que atravessou o deserto jordano de noite, mas que permitiu duas coisas: uma paragem numa pequena zona comercial nocturna bastante castiça e assistir ao nascer do sol no Deserto.

Enquanto que na primeira percebemos o que é uma zona de serviço 24h jordana, com todos os seus snacks, mas também cassetes, capas de metralhadores, nogats e café árabe (que nos acordou com completamente, por ser tão forte) e muitos camionistas jordanos que fazem as suas viagens de noite para poderem entregar produtos frescos e animais vivos, mesmo a tempo do mercado da manhã.

Já na segunda experiência a tranquilidade e a beleza das cores do céu foram absolutamente incríveis. A noite transformou-se literalemente em dia perante os nossos olhos, passando do negro a todas as cores, acabando num céu azul imaculado e que deu cor a toda uma paisagem árida e que se estende até ao final do horizonte sem nada à vista.





10:30 UMA MARAVILHA CHAMADA PETRA

Entrámos no complexo da cidade de Petra às 06:00 da manhã, ainda com ele oficialmente fechado, mas o diligente Amed, não se fez rogado e abriu o portão da Saída (que estava destrancado) e foi acordar o homem dos bilhetes e um guia para nos acompanhar a visita.

Foi o melhor que nos aconteceu, pois assim apanhámos a cidade de Petra deserta, sem as multidões que vimos a chegar quando vinhamos a sair da nossa visita. Esta visita foi absolutamente mágica pois estivemos num cenário mítico e absolutamente deslumbrante (quer pela sua escala, quer pela sua cor, quer pela sua arquitetura e a forma como esta foi feita, pelo povo Saladin, nas rochas deste antigo mar interior).

Esta é uma visita fisicamente dura, pois implica andar a pé durante muitos quilómetros (primeiro a descer, mas depois a subir), em piso irregular e com o calor do deserto a despertar. Assim a nossa escolha de ir às 6 da manhã foi absolutamente acertada e a única que nos permitiu ver uma Petra só nossa!

Lá estavam os Túmulos (nomeadamente o avassalador Tesouro, que Indiana Jones celebrizou), lá estavam os restos dos templos, lá estavam os mercados, as casas e os palácios (tudo em ruínas, obviamente) e é a sua imensa dimensão gigantesca, a beleza natural das montanhas de rocha, absolutamente nua e que percorre todos os tons de vermelhos, laranjas e areia, os camelos, burros e jordanos que tomam conta deles e o facto de estar quase deserta, que nos permite dizer sem qualquer dúvida, que esta foi uma visita digna de uma verdadeira Maravilha do Mundo.

Visitar Petra é algo que nunca vamos esquecer na vida ... porque esta visita foi tão perfeita quanto poderíamos ambicionar que fosse!


14:00 O AMMAN INTERNATIONAL HOTEL

Depois de andarmos cerca de 12km em Petra (seis sempre a descer e ainda sem grande calor na maior parte do percurso, mas os últimos seis foram a voltar tudo para trás e já com o sol do deserto a queimar a pele (e saímos de lá eram 10:30 da manhã) voltámos para Amman a dormir todo o caminho.

Assim chegamos à capital jordana, mas a nossa prioridade foi ir descansar ao hotel, porque estávamos verdadeiramente cansados, e ainda por cima o calor estava no seu pico ... e depois no final da tarde, saímos para conhecer um pouco de Amman.

Assim rumámos ao clássico Amman International Hotel, que não se situa no centro da cidade, mas situa-se convenientemente no lado da cidade junto à entrada de Petra.

Este hotel é um verdadeiro clássico com os seus lustres, as suas paredes de madeira e os seus móveis de estilo ultra clássico ... mas totalmente confortável e com uma manutenção impecável, que faz dele a opção certa para nós

Uma outra opção certa foi a de um dos nossos viajantes (quem perdeu o passaporte) ter voltado a Lisboa, pois quando chegámos ao hotel ficámos a saber que já tinha passaporte e que tudo estava resolvido. Assim sendo amanhã, ao final do dia, já estamos todos juntos novamente ... e assim, com estas boas notícias fomos descansar (uns para os quartos e outros para a piscina ... mas fomos todos descansar merecidamente)!




18:30 A TURÍSTICA RAINBOW STREET E O AUTÊNTICO SOUK NOCTURNO

Depois de descansarmos no hotel umas horas, duche tomado e arranjados com novo look, chamamos dois ubers (sim, ao contrário de Roma e Atenas, aqui existe ... e volta a ser barato e prático, como em todo o mundo o é) e rumamos à muito turística Rainbow Street.

Apesar do seu nome, esta rua nada tem que ver com o movimento gay, mas é antes uma rua cheia de locais modernos, com um estilo mais internacional, e como tal muito frequentada pelos estrangeiros que vivem, ou vêm até à cidade de Amman. Assim é aqui que se encontram algumas lojas com artigos mais contemporâneos, e é aqui que medimos pela primeira vez o pulso à capital jordana.

Depois de um breve passeio e de umas simples compras, descemos a colina onde estamos (sim a cidade de Amman também se organiza em sete colinas, tal como Lisboa) e rumamos ao souk nocturno. Aqui o ambiente já é totalmente diferente. Desde a zona das frutas e legumes, à área do calçado, passando pela roupa, electrodomésticos, brinquedos ou doçaria tradicional, a cidade moderna, internacional e sofisticada transformou-se num frenesim de gente, de carros, motas e cores, texturas e pregões em árabe.

É aqui que se sente onde estamos: numa das mais importantes capitais árabes do mundo contemporâneo e uma cidade de muitos milhões de habitantes, que na hora do calor se abrigam, mas no final da tarde saem para fazer a sua vida habitual urbana e cosmopolita.




21:15 O RESTAURANTE NO JARDIM DO ROOF TOP

A cosmopolita Amman esconde segredos no topo de alguns dos seus edifícios que nós não resistimos a descobrir e a revelar.

Assim, escolhemos o restaurante Sakeyat Addaraweesh, que se situa a apenas 15 minutos a pé do centro do souk nocturno, e que é um jardim/terraço no topo de um edifício, com umas vistas desafogadas sobre a cidade. Como nós gostamos, somos os únicos ocidentais do restaurante, mas a sua clientela e a decoração moderna chic, em versão árabe, não deixa dúvidas que estamos num dos locais da moda, aqui em Amman.

Mas o melhor ainda está para vir: com uma carta de completamente feita de delícias locais, escolhemos um verdadeiro festim de cozinha jordana ... e foi isso mesmo que tivemos. Com música ao vivo árabe (um cantor e uma cítara) que tinha o volume correto como fundo, as delícias sucederam-se. Desde um Humus absolutamente delícioso, a umas almondegas de frango incríveis, a uns estufados em potes de barro (que foram feitos em fornos de lenha e que o empregado partiu na nossa mesa e serviu em cima de um prato de barro negro em cima de brasas aromatizadas) exímios até a um Kebab divinal e acabando com umas exóticas mas absolutamente inesquecíveis folhas de videira recheadas com carne e arroz, o festim foi memorável e digno de um local de gastronomia de culto.

Foi um dia absolutamente perfeito, pois começou com Petra, continuou com um descanso num hotel excelente, seguido por um passeio por uma capital árabe única e vibrante e assim terminou com um jantar autêntico e muitíssimo bem feito, como é digno de grandes foodies ... como nós.

Por hoje ficámos por aqui ... mas amanhã as nossas aventuras continuam aqui na Jordânia e já noutro destino ... por isso ... continuem acompanhar esta nossa Volta ao Mundo ... porque ela está só a começar ... e já vai com grandes momentos vividos e partilhados com vocês!

VIAGEM DE VERÃO 2018 EM DIRETO | VOLTA AO MUNDO - DIA 2


10:30 O ACORDAR AGITADO

Devido aos acontecimentos de ontem, nomeadamente a perda de um passaporte, a nossa manhã começou mais cedo para conseguirmos tratar deste problema.

O problema de perder um passaporte com os timings apertados desta viagem é que não há tempo para esperar por um novo passaporte, mas mesmo assim decidimos que seria importante contactar as autoridades portuguesas em Atenas. Mas porque não valia a pena irmos todos até ao consulado português, decidimos que outros iriam cumprir o programa.

Assim e porque o assunto assim o exigia, dividimo-nos em dois grupos e assim se passou uma parte do dia. Enquanto que uns foram para o consulado português tentar conseguir um passaporte, junto do consulado português em Atenas, outros sairam e subiram a pé até ao ex libris desta cidade e deste país: as Ruínas da Acropolis.




12:30 A ACROPOLIS

O grande rochedo que domina todo o centro histórico da capital grega é um impressionante macisso rochoso de mármore branco, onde no seu topo se situa a famosa Acropolis.

Depois de uma meia hora ao sol (ou à sombra de oliveiras) para comprar os bilhetes de acesso, começamos a nossa ascenção a este impressionante monumento. Este percurso ascencional é um percurso mágico, que nos conduz aos templos de entrada, à escadaria de entrada, atravessamos o pórtico do antigo complexo dos templos e termina na apoteótica Acropolis.

É uma visão única e uma experiência que, com o calor de 35 graus à sombra e sem sombra à vista, e toda a reflexão de luz que a pedra branca dos templos e do chão fazem, se torna ainda mais intensa. Mais do que ver as vistas da cidade que nos rodeiam, todas as atenções estão concentradas na Acropolis e merecidamente!


14:30 A DEMOCRACIA EM FUNCIONAMENTO

Estamos nós a sair da Acropolis e já a começar a descer em direção ao respetivo museu, quando recebemos um telefonema do grupo que seguiu para o consulado.

E como os planos são feitos para serem mudados (quando necessário), cancelamos esta visita e vamos até um café nas imediações para saber das novidades.

A situação tornou-se mais séria do que se poderia pensar, pois os serviços consulares não só não conseguiram encontrar, junto das entidades policiais do aeroporto o passaporte perdido, como ainda por cima não conseguiram resolver a situação, porque a Casa da Moeda em Portugal continua de greve e os serviços de emissão de passaportes nos consulados portugueses não faz parte dos serviços mínimos declarados para esta greve, pelo que a emissão de um novo passaporte em Atenas (que normalmente demoraria cerca de 24h, como em portugal) está a demorar, com taxa de urgência cerca de 5 dias.

Assim, para se resolver a questão, e depois de se ouvir os argumentos de todos os presentes, optou-se por o membro do grupo em foco (o que perdeu o passaporte) ir até Lisboa ainda hoje, pedir um novo passaporte de urgência amanhã logo de manhã no aeroporto, e partir ainda amanhã no primeiro voo possível em direção a Amman, chegando assim ainda a tempo de apanhar o voo para o destino seguinte.

Depois de acordada a solução, passámos todos à acção e contactámos a agência que nos tem dado suporte nesta viagem (a wide Travel) e fizemos as reservas todas, confirmando, em paralelo, a possibilidade e viabilidade desta solução com os serviços do SEF no aeroporto de Lisboa.

Se nós viemos a Atenas para celebrar um dos ideais que consideramos fundamentais no mundo atual e do futuro - a democracia - este problema do passaporte foi decidido assim mesmo - com a contribuição de todos e com todos a ajudarem ... democraticamente decidindo a resolução deste problema que nos afetava a todos (pois aqui nestas viagens somos um por todos e todos por um)!

Foram umas horas agitadas estas, mas com democracia e esforço coletivo para atingir um fim comum, conseguimos um excelente resultado final ... Sem sabermos assim comemorámos melhor o ideal da Democracia do que estávamos a programar ... e fizemo-lo em Atenas: comemoração do ideal de Democracia - Check!




16:00 O MUSEU DE ARQUEOLOGIA

Quem vem a Atenas, muitas vezes não vai visitar os museus atenienses, e quando o faz visita o da Acropolis e o Museu Nacional e não uma das pérolas da capital grega: o Museu de Arqueologia.

Assim, depois da crise do Passporte resolvida, e uma vez que esta é uma cidade sem Uber, apanhámos dois táxis (que têm um preço tabelado para deslocações de Turistas e independentemente do que marque o taxímetro acabamos por pagar sempre 5 euros) e, passando pela famosa praça Sintagma (onde se situa o parlamento nacional e onde aconteceram as grandes manifestações anti troika de Atenas), rumamos ao NAMuseum.

Este museu tem na sua coleção algumas das obras da época de ouro da Antiguidade Clássica, que só conhecemos dos livros. De óas a cerâmica, de estátuas a instrumentos de bronze, de arte funerária a armas, o nosso imaginário dos vários períodos da grécia antiga estão aqui exaustivamente representados, sendo este um museu de passagem obrigatória, numa verdadeira visita ateniense.

É aqui que termina a visita a Atenas de um de nós, que tem de ir para o aeroporto mais cedo para ir para Lisboa ... Mas os outros foram até ao hotel e prosseguiram a sua visita.






18:00 O BAIRRO DE PLAKA

Enquanto que um dos elementos do grupo rumava ao aeroporto em direção a Lisboa, os restantes rumámos ao histórico bairro de Plaka e explorámos as várias ruas pitorescas e históricas deste bairro.

Neste emaranhado de casas típicas e muito gregas, encontram-se recantos, escadinhas e autênticas gemas da cidade. Um dos nossos destaques vai para a loja de artigos de Design e Souvenirs modernos Forget Me, que demmonstra que fazer compras de objetos que nos façam lembrar uma viagem não tem de ser nem redutor a artigos foleiros, pode ser sim objetos com bom gosto, design moderno e que, ainda assim, identificam a Grécia no que ela tem de melhor.

Aqui passeamos até ao Jantar, onde elegemos o moderno e simpático Spollati.

Este restaurante apresenta uma cozinha grega bem moderna, reinventando clássicos e aapresentando uma fusão de sabores gregos, com cozinhas do mundo. Um dos destaques deste menú de jantar foi a Salada Não Grega, e que cruzava a famosa salada grega (tomate, pepino, queijo feta e azeitonas) transformando o queijo em burrata italiana e as azeitonas em abacate. Absolutamente divinal!

Foi o ponto final neste dia cheio de emoções e atrações, que certamente não vamos esquecer ... mas há que continuar esta Volta ao Mundo ... e por isso recolhemos as malas, seguimos para o aeroporto (em dois táxis) e embarcamos para o próximo destino ... onde aterramos amanhã, depois de uma noite a bordo ... por isso ... até lá!

VIAGEM DE VERÃO 2018 EM DIRETO | VOLTA AO MUNDO - DIA 1


07:00 UM AEROPORTO ESGOTADO

Pois o grande dia começou e portanto, e como sempre o nosso primeiro dia de Viagem de Verão em Direto, mesmo neste caso da Volta ao Mundo, tem como primeira paragem o aeroporto de Lisboa.

Assim, bem cedo, chegamos ao Aeroporto Humberto Delgado e enfrentamos aquilo que se pode qualificar como um perfeito caos. De facto ouvimos nas notícias o que se passa no Aeroporto, mas só vendo é que se tem a verdadeira noção do que é um aeroporto totalmente e completamente sobrelotado. Assim, uma chegada com uma antecipação de duas horas para um voo europeu, já com check in previamente feito e sem grandes malas para despachar (apenas uma e nenhuma com excesso de peso, apesar de algumas estarem perto do limite, ou seja ... é certo e sabido que a partir de certa altura da viagem alguns de nós que vão pagar excesso de peso) se torna numa experiência stressante, embarcar a tempo é uma autêntica missão impossível, e só a sorte de um atraso de 45 minutos na partida do voo torna possível apanhá-lo.

Mas se os atrasos se ficassem apenas pela aerogare já era mau suficiente, mas não. Depois de um embarque feito em tempo record e com uma eficiência e simpatia incrível (obrigado TAP) espera-se mais 40 minutos estacionados na placa para o avião ter autorização de partida.


14:15 CIAO ROMA

Depois de uma partida absolutamente inesquecível (pelo difícil que foi ver um aeroporto tão ineficiente, chegamos à nossa primeira paragem do Dia: Roma.

A cidade eterna recebe-nos de uma forma incrível: estão 35 graus à sombra! Claro que para sair do aeroporto procuramos a Uber, mas os preços desta forma de sair (que é barata em toda a parte do mundo) aqui são superiores aos taxis e às vans para grupos. Com espanto mas rapidamente conformados (porque "Em Roma sê Romano") apanhamos uma vn para grupos (pois somos um verdadeiro grupo de oito pessoas) e rumamos ao centro da bela cidade.


15:45 UMA FOCACCIA NO CAFÉ DO BAIRRO

É em plena Piazza di San Giovanni di Laterano que encontramos a nossa primeira paragem: o Latterano Cafe.

Este é um pequeno café de Bairro que é a nossa primeira paragem da viagem ... neste caso para almoçarmos. Aqui sentamo-nos e pedimos o que um Romano pediria num domingo ao almoço: uma focaccia ou uma pizza. E assim é a nossa primeira experiência gastronómica da viagem: bem popular, autêntica, sem turistas à volta e com sabor e qualidade, como só Itália consegue fazer.

Para acrescentar a autenticidado do momento o bar tinha umas televisões, todas elas sintonizadas no mesmo programa: o grande prémio da Hungria. Apesar de não ser o disputado no circuito de Monza, o café estava concentrado no desporto automóvel, onde a muito italiana scuderia Ferrari reina.

Sim foi uma primeira experiência autenticamente italiana de bairro.




16:30 A PRIMEIRA MARAVILHA - O COLISEU

Como sabem, a nossa Volta ao Mundo está organizada por vários elementos especiais e um deles são visitar três Maravilhas. Ora a primeira Maravilha do Mundo que iremos visitar é o Coliseu de Roma.

Este colosso é o maior testemunho de um dos maiores impérios da história mundial e é ainda o maior monumento erguido que testemunha esse berço da civilização ocidental que foi a civilização romana.

Com o bilhete pré comprado online, a entrada foi incrivelmente eficiente e rápida, tendo tido apenas um controlo de segurança (apertada) e mais nenhuma barreira à nossa entrada neste absoluto colosso romano.

A escala, a magnitude, a sua forma e o seu equilíbrio e a visita exaustiva que é possível fazer a este monumento fazem dele um ponto obrigatório de qualquer passagem por roma. Quer por dentro quer por fora a imponência da construção é impressionante e a sua beleza e equilíbrio formal são ainda um testemunho de um pensamento arquitetónico e estético que justifica o título que lhe é atribuído de Maravilha do Mundo.


18:00 O FÓRUM E O BOLO DE NOIVA

Saídos do Coliseu o nosso percurso ruma à Roma Eterna, que Fellini tão bem retratou nos seus incríveis filmes.

Assim cruzamos o fórum romano e saímos do lado da Piazza Venecia, onde está outro dos monumentos obrigatórios de Roma: o Monumento a Vitor Emanuel.

Este impressionante monumento foi erguido no princípio do século XX para comemorar o homem que unificou aquilo que hoje conhecemos como itália. Mas a despreoporção desta construção perante o seu entorno construído é tal, que mais parece um bolo de noiva, na sua dimensão e no seu estilo ultra decorativo. Aliás, assim é conhecido pelos próprios romanos.



19:00 A PIAZZA NAVONNA E OS GELATI

Sem pensar se foi a visão do "bolo de noiva", ou se foi o calor abrasador que se sentiu durante todo o dia, dirigimo-nos à icónica Piazza Navonna, onde fizemos a nossa próxima paragem: o Tre Scalini.

Esta gelataria situa-se em plena piazza e tem uma das melhores vistas sobre a mesma ... e tem outro dos "must taste" de Roma: um Gelato. Assim, e porque merecemos depois de caminharmos tanto e de baixo de tanto calor, damo-nos ao luxo de pedir gelados e refrescar-nos com um belo sabor romano.

É uma experiência que, embora já seja verdadeiramente de turista, não deixa de ter o seu encanto, pois a Piazza continua linda e o gelado soube divinalmente.


19:30 A ÚNICA FONTE DE ROMA: A TREVI

Fica a pouco mais de 15 minutos a pé (e já estamos a contar com paragens em irresistíveis lojas pelo caminho) um dos lugares mais visitados da cidade eterna: a Fontana di Trevi.

Esta pequena mas imponente fonte é o ponto onde se encontram mais turistas por metro quadrado de Roma ... e seguramente um dos top mundiais. Alguns vêm porque é bonito, outros porque é romântico, outros porque recuperam lembranças de uma proposta de casamento, de um beijo ou de uma situação passada. Todos tiram fotos, e quase todos atiram moedas para pedir o tradicional desejo: voltar à Fontana di Trevi e ser feliz até lá!

Não sabemos se é porque estes desejos se concretizam que há tantos turistas aqui concentrados em frente a este impressionante monumento, mas seguramente que a beleza das estátuas, o equilíbrio da sua proporção, a escala surpreendente nesta pequena praça e o azul do seu fundo (possível de ver porque a água está verdadeiramente cristalina) fazem deste um dos momentos mais belos da Bela Roma.

Aqui se filmou uma das cenas mais famosas do imaginário de Fellini, com Anita Eckeberg a banhar-se romântica e sensualmente na fonte ... e a magia do local ainda se sente atualmente em cada visita que se faça a este magnético local.


19:45 A SCALINATA DI SPAGNA

Mas não há visita a Roma sem visitar outro dos seus monumentos mais icónicos: a Piazza di Spagna e a sua impressionante escadaria até à Basílica da Trinita dei Monti.

Assim, foi em passo apressado (pois o tempo fugia-nos a passos largos) que nos dirigimos à Piazza di Spagna e foi aqui o nosso último momento romano desta Volta ao Mundo. Monumental, impressionante e cheia de estilo  ... assim é esta piazza romana. Pois é aqui que se situa a mítica sede da casa Valentino, é aqui que desemboca a Via dei Condotti onde se encontram as principais lojas de todas as marcas de moda italianas, e é aqui que se faz o principal evento de moda da cidade: o Sfilata a la Scalinata di Spagna.

Foi assim que deixámos Roma, e saímos pela Via dei Condotti, passando em ritmo acelerado por todas as montras da moda italiana: da fashionista Fendi à popular Dolce & Gabbana, da elitista Salvatori Ferragamo à elegante Armani, da exclusiva Alberta Ferreti à intelectual Prada, todas as montras desfilara perante os nossos olhos, nestes últimos momentos antes de voltarmos ao aeroporto para mais um voo.


02:00 A CHEGADA A ATENAS

Depois de apanharmos um taxi no final da Via dei Condotti direto ao aeroporto de Fiumicino (cujo preço está tabelado na porta), de chegarmos ao aeroporto a tempo de entrarmos sem pressas (e incrivelmente sem filas, ao contrário do que se passou de manhã em Lisboa), de fazer umas pequenas compras gourmet no free shop, e de comermos algo antes de entrar no avião, embarcamos com um timing perfeito, sem esperas ou pressas em direcção ao nosso destino final de hoje: a grega Atenas.

Se a experiência de aeroporto foi irrepreensível, o voo com a Aegean também o foi, pois o profissionalismo das hospedeiras e o cumprimento excrupuloso dos horários de partida e de chegada, bem como o fato de esta companhia deixar escolher lugares sem pagamento adicional (o que fez com que fossemos todos juntos), ainda servir refeição quente e bebidas (o que faz da experiência de voo algo muito mais agradável e relaxante) e ainda ter assentos confortáveis e com algum espaço (se bem que já não tanto como tinhamos antigamente), fizeram deste voo um momento agradável.

É na chegada que a surpresa desagradável chega ... com uma das malas (na realidade a minha) que vem toda aberta e fechada com tape castanha. Perante tal situação ligamos para o seguro de viagem da Nomads que fizemos e o atendimento é digno de cinco estrelas ... no entanto ao pedirem-nos um relatório da companhia sobre os estragos, então começam os problemas. A fila para reclamar tem dezenas de pessoas, e a confusão é total e completa (digna de um filme surrealista). Depois de hora e meia de espera chega a minha vez e o que havia a fazer era apenas pedir uma nova mala e aceitar as malas que eles têm ali para nos dar ... ou seja somos assaltados por uma pergunta: porque raio é que nos fizeram esperar hora e meia se era tão simples assim???

Passado este episódio extenuante entramos em dois taxis (pois volta a não haver Uber disponível (a aplicação reencaminha para os taxis ... o que nos deixa literalmente atónitos) e rumamos ao nosso Hotel: o muito central e excelente Vol.5. Ora quando chegamos e estamos a fazer os check ins, um de nós (que não eu, pois não podia ser tudo eu) repara que não tem o passaporte ... e começa uma nova aventura que é a seguinte: como recuperar um passaporte português (ou fazer um novo) em menos de 24h em Atenas, que permita continuar a viagem.

Amanhã o dia também é recheado de emoções, afazeres e visitas, por isso vamo-nos já deitar ... mas voltaremos dentro de horas, com mais aventuras dignas de uma Volta ao Mundo com tantas aventuras quanto as de Willy Fog ... mas disso falaremos amanhã!

VIAGEM DE VERÃO 2018 EM DIRETO | VOLTA AO MUNDO - DIA 0


Estamos a menos de 24 horas da nossa partida para esta viagem que vai ser a viagem das nossa vidas, e portanto, não poderíamos deixar de trazer aqui mais algumas dicas que valem a pena partilhar.


Primeira dica: ao fazer a mala levar sempre uma vez e meia o número de dias em número de peças de roupa interior e de oufits, pois nem sempre se muda de roupa a meio do dia, mas quando se faz, convém ter alternativas. Assim, para nós que já fazemos destas viagens (e de outras, que quem nos acompanha no Instagram bem sabe)esta é a medida que encontrámos para nunca nos faltar roupa a meio da viagem, mas também não levarmos a mais.


Segunda dica: porque não se faz uma viagem de Volta ao Mundo todos os dias, nós adicionamos uma nova componente: uma máquina fotográfica, bem à moda antiga (mas recheada de tecnologia moderna) - a nossa favorita é a Instax, para que vários momentos desta viagem estejam registados em papel e possamos ficar com um souvenir físico.


Terceira dica: outra das dicas para uma viagem bem organizada é pensarem num hastag próprio. é que no mundo digital em que vivemos, se tiverem um hashtag próprio em todas as fotos que o grupo partilhar, então poderão ficar com um álbum bem mais facilmente organizado. E numa Volta ao Mundo vale a pena. Assim  nós criámos o hashtag #voltaaomundoaverdadeira

E pronto, agora é que faltam menos de 24 horas para partirmos ... por isso .. passaporte numa mão, mala na outra ... e aqui vamos nós para o aeroporto ... dentro umas horinhas, claro!

RASTREADORES - O PROGRAMA DA CAÇA AO TESOURO


A ideia de Caça ao Tesouro é mítica e já inspirou muitos. De livros a reality shows, de Filmes a séries, muitas caças ao tesouro fazem parte do nosso imaginário. Mas há um tesouro mítico que todos temos ao nosso alcance: aquilo que está nos sotãos das avós, ou nas garagens e celeiros das casas de campo.

É este o ponto d partida da série de documentários "Os Rastreadores". Os apresentadores Marty e Bam Bam visitam vendas de garagem, coleções privadas e velhos celeiros a abarrotar de relíquias em busca de tesouros escondidos. Não há limite para as raridades que irão encontrar... desde mobiliário antigo e letreiros vintage a ferramentas enferrujadas e maquinaria obsoleta, tudo pode ser encontrado.

Na verdade, por detrás de todas estas peças existem histórias pessoais muito interessantes, mas os proprietários nem sempre têm noção do valor do exemplar de coleção que têm guardado.

LEVI'S RED TAB - O INVERNO REVIVAL


Hoje em dia, chegar a um consenso é uma coisa difícil. Uma coisa é certa: os ténis estão em alta! Independentemente de estarmos a falar de uns Levi’s Air Jordan, ou de uns ténis de skate, atualmente, uns bons sneakers são o elemento-chave de qualquer look que se preze.

Dos CEO’s às estrelas do Hip Hop, não falando dos próprios CEO’s das estrelas do hip hop, estamos todos rendidos a este fenómeno, que já definiu o modo como dobramos ou desdobramos os nossos jeans. Arregaçados ou amarrotados, usados com ténis ou com saltos, a misturar a alta-moda com o streetwear e os 1980’s com os 2000’s, hoje vale quase tudo e essa é a inspiração do outono-inverno Levi’s Red Tab.


A coleção para homem inspira-se nos 80’s  e nos 90’s, e portanto  o denim deslavado, as cores fortes, os logos oversized e as versões atualizadas de cropped jeans, graphic tees e hoodies são obrigatórios. Isto, sem perder a oportunidade de repescar uma forte componente de revivalismo com as calças em bombazine, que neste inverno estão de volta mais confortáveis e num amplo sortido de cores.

A coleção para mulher está marcada por uma “now-stalgia”. É uma mistura perfeita do estilo old-chool com as tendências de hoje. A cintura é o seu elemento central e está cada vez mais alta e não importa se o teu estilo é atual, classic 80’s, ou 90’s. As cinturas altas vieram para ficar!