VIAGEM DE VERÃO EM DIRETO 2015 | RUMOS DO SUL - DIA 13


09.30 UM ACORDAR DE LUXO

Foi depois de uma noite bem divertida, de muita dança e de uma celebração de aniversário tardia, que regressámos ao nosso hotel privado. Dormimos e acordámos principescamente, mas o melhor estava para vir: um pequeno almoço servido pelo nosso Mordomo Juan.

Foi numa sala de jantar onde todos nos juntámos logo pela manhã que cada um escolheu o que queria comer, beber e em que ordem ... e assim, deforma expedita e correta, foram chegando as coisas à mesa. Nesta viagem os pequenos-almoços têm sido um momento importante do dia ... e este foi o pequen-almoço mais marcante e luxuoso até ao momento.

Se as suites já eram um luxo, este serviço particular de Mordomo é o toque final para definitivamente o The Orchids ser um dos melhores hotéis destes Rumos do Sul.


10.00 O BAIRRO DA CANDELAREA

Estando o nosso hotel localizado bem no coração da cidade velha de Bogotá, permitiu que nesta primeira hora da manhã dessemos uma volta pelo icónico, histórico e muito popular bairro da Candelarea de Bogotá.

Neste passeio, pelo meio de ruas estreitas, antigos palacetes ou casas senhoriais e igrejas (existem tantas que parece ue há uma "em cada esquina"), o grande destaque vai para a Praça Simon Bolivar. Dedicada ao fundador desta nação, é nesta praça que estão localizados alguns dos edifícios mais monumentais da cidade. Mas se esta praça é de vsita obrigatória, também a Catedral de Bogotá (aqui situada também) o é.

Com a sua arquitetura barroca colonial hispânica, esta igreja umpressiona pela sua imponência e pela profusão de decoração das suas fachadas. Sim o bairro da Candelarea é o centro de uma cidade cosmopolita ... mas ainda se conserva com a sua identidade original ... aqui sente-se a verdadeira e autêntica Bogotá!


10.30 O MUSEU DO OURO

É muito perto da Praça Simon Bolivar que está uma das atrações turísticas mais populares e mais visitadas da capital colombiana: o Museu do Ouro.

Este museu, dedicado à cultura de trabalh do metal precioso, nas civilizações pré-hispânicas, tem na sua coleção de excelência e na arquitetura do próprio museu, e na forma como esta potencia de forma sublime cada objeto, os seus pontos fortes.

Da loja à Caixa Forte, das instalações multimédia às salas de exposições permanentes e temporárias, tudo está feito de forma tão elegante e espetacular, que se percebe porque é que este museu é um dos mais afamados do continente Sul Americano.


11.00 O MUSEU BOTERO

Se Bogotá tem um artista icónico a nível global, este é sem dúvida Fernando Botero.

Assim, a três quarteirões do Museu do Ouro (em pleno coração do Bairro da Candelarea), instalado numa antiga casa colonial, está instalado o museu de arte da Casa de La Moneda, onde está exposta, no palacete do lado, o Museu Casa Botero, onde se pode ver a maior coleção de quadros e de esculturas e de estudos deste famoso artista plástico colombiano.

É uma visita imperdível e que nos dá a conhecer melhor o processo e o universo criativo deste tão peculiar pintor e escultor sul americano.


13.00 ADEUS COLOMBIA

Porque a nossa viagem de verão Rumos do Sul segue o seu caminho, depois da visita ao Museu Casa Botero (e de uma passagem pela loja do mesmo, ue tem das coleções de merchandising mais interessantes que temos visto), regressámos ao nosso hotel, onde já tínhamos os nossos motoristas à espera para nos levarem de volta ao aeroporto ... e assim rumarmos a outras paragens.

Apesar de breve, esta estadia de menos de 24h em Bogotá revelou-nos uma cidade surpreendentemente cosmopolita, moderna, diversa e culturalmente muito rica. O património contruído, a simpatia das pessoas, a sofisticação dos restaurantes, bares e lojas, a qualidade da cultura, fazem desta uma cidade que unanimenten afirmamos que queremos voltar e explorar mais profundamente.

Para já ... temos de dizer "Adeus Colômbia" e "Olá Caribe".


19.00 OLÁ CURAÇAO

Depois de um voo que partiu uma hora atrasado e depois de um voo com alguma turbolência lá chegámos ao nosso destino de hoje: à muito caribenha ilha de Curaçao.

O calor e a humidade foram as primeiras impressões desta ilha, onde já chegámos de noite. Sendo o seu aeroporto muito simples, a ideia que temos é de estar numa ilha europeia mas fora do contexto. O estilo do caribe mistura-se de forma estranha e muito peculiar com a herança cultural e histórica eurpeia ... ou não estivessemos nós numa antiga colónia holandesa.

Depois de tantos dias em que o frio reinou ... e com uma passagem temperada por Bogotá, chegamos à terceira e última fase destes Rumos do Sul - o calor tropical das Caraíbas!


21.00 O JANKOK LODGE

Levantado o carro que alugámos, fazemo-nos à estrada  rumamos ao nosso muito típico paraíso privado nesta ilha tropical: o Jankok Lodge.

Chegados ao nosso destino entramos num pequeno jardim paradisíaco, onde temos três cabanas à nossa espera. Cada uma tem um quarto e casa de banho privativa (decorados com uma elegância e sofisticação muito boas) e uma sala exterior ... todos elas ligadas por este jardim do eden no Caribe.

Enfim chegamos ao calor ... e também, ao que parece, ao paraíso!


21.30 JANTAR COM OS LOCAIS

Depois de um acolhimento verdadeiramente simpático e efusivo por parte da muito sorridente e prestável Frederieke, decidimos aceitar o concelho dela e dirijirmo-nos a Williwood e ir jantar  um dos restaurantes que só os locais frequentam.

Ao chegarmos descobrimos que a cozinha fechava às 21 ... mas a insistência da dona e a disponibilidade da muito bem disposta e muito típica cozinheira, lá conseguimos que nos sirvam um repasto, que não sabemos se foi da hora, do calor, da fome ou da boa cozinha ... nos soube divinalmente. Foi um final de dia de viagem com um mood muito relaxado e animado.

Mas porque o dia já ía logo e amanhã temos uma ilha das caraíbas para descobrir, decidimos voltar ao nosso paraíso privado, dar uns mergulhos na piscina e ir dormir ... porque amanhã será o nosso primeiro dia no paraíso quente dos nossos Rumos do Sul

0 Reality Comments: