MARRAQUEXE | A EXÓTICA SENHORA ÁRABE - DIA 3


Marraquexe tem sido a nossa obsessão nestes últimos dias do ano. Depois de uma viagem que fizemos já neste mês de Dezembro (tal como os nossos seguidores de Instagram puderam ver) touxemos aqui na segunda o riad onde ficámos, otem o que visitámos e hoje vamos dedicar-nos à viagem gastronómica.

Ir a Marraquexe é entrar no auge do nosso imaginário da cultura árabe. Graças a uma longa tradição entre os artistas europeus, de irem para Marrocos quando queriam ir para um local exótico (pois era o país árabe mais acessível à Europa), tudo o que contrói o nosso imaginário colectivo da estética árabe, tem origem em Marrocos (ou não sería por acaso que até o filme Sexo e A Cidade II, foi filmado todo ele em Marrocos ... e mais propriamente em Marraquexe).

Mas se na cidade tudo exala exotismo e magia e mistério, na mesa a escolha tem de ser um pouco mais criteriosa. Por várias razões (desde a razão higiénica, passando por questões económicas, e acabando nas questões de que "comer comida local não quer dizer ter problemas intestinais") a escolha de locais paa comer é uma autêntica ciência, por isso deixamos aqui as nossas escolhas e recomendações.


Comecemos por uma recomendação para almoçar: o Bakchich Cafe. Localizado mesmo ao lado da famosa e muito central praça Jemaa El Fna, este pequeno e simpático café é o local perfeito para se passar uns breves momentos de descanso e boa experiência gastronómica.

Com uma decoração moderna e cuidada, uma banda sonora que combina o jazz internacional com os ritmos da música árabe, sempre com um toque contemporâneo e lounge, este café é um verdadeiro oásis com vista para a movimentada e agitada rua, que oferece uma carta de sandwiches, saladas (sim aqui podem-se comer ... nós provámos e comprovámos a higiene e qualidade das mesmas) e outros snacks leves, que tão bons são na hora do almoço.

É um local bem central, sofisticado, mas marroquino, com cozinha marroquina leve e modernizada ... um bom local para meio do dia, definitivamente!


Mas se de almoço estamos a falar, então temos de falar do Amal Women's Center e das sua saulas de culinária. É das experiências mais interessantes que tivemos em termos gastronómicos, e tudo com uma boa causa como base.

Este centro de apoio a mulheres socialmente frágeis (como mães solteiras, viúvas, orfãs, etc., que na sociedade árabe têm ainda maiores dificuldades do que nas ocidentais) tem durante as manhãs workshops em que nos ensinam a fazer as famosas Tagines. A experiência é divertida, didática e muito bem organizada e preparada pelas mulheres do centro ... e no final come-se o produto final do nosso trabalho.

Recomendamos vivamente esta experiência, pois além de uma experiência cultural, é também uma experiência gastronómica muito deliciosa!


Mas comer em Maraquexe é também restaurantes sofisticados. Por isso trazemos aqui o muito relaxado jardim Latitude 31.

Este pequeno e discreto restaurante numa zona mais remota da medina, é um pequeno jardim onde os sabores da boa cozinha marroquina se confundem com os cheiros das laranjeiras, rosas e demais flores que povoam este pátio.

Para jantar é o local ideal para jantares sossegados, românticos ou apenas demorados. A dois ou a mais, o Latitude 31 é um dos locais mais genuinos e sufisticados que se pode encontrar em plena Medina e que ao mesmo tempo tem preços bastante acessíveis.


Mas um jantar marroquino é sofisticação, luxo e abundância. Por isso para terminar trazemos aqui o requintado e muito luxuoso Libzar.

Situado já na cidade nova, numa pequena moradia, este restaurante tem o melhor da cozinha marroquina, nu ambiente sofisticado e exclusivo, com preços um pouco mais elevados, mas ainda assim acessíveis. Este é um daqueles locais que se vai para comer, deliciar e deleitar com todos os sabores, delicadezas e ingredientes de uma cozinha rica e exótica.

Nestes três dias trouxemos aqui um pouco da nossa experiência em Marrocos, porque este é um destino maravilhoso, mágico e exótico, civilizado e caótico. Uma cidade de contrastes, com muito para explorar, sem medos ou receios do desconhecido. Marraquexe é como uma velha senhora que tem muito para contar, mas que à boa maneira árabe, tem na subtileza e no mistério as suas principais armas de encanto.

0 Reality Comments: