VIAGEM DE VERÃO 2017 EM DIRETO | À CONQUISTA DO REINO DAS TERRAS ALTAS - DIA 6


11:00 Despertar num Castelo Escocês

A Oldrig House é um palácio, construído sobre as ruínas de um antigo castelo, que agora é um verdadeiro hotel de charme.

Com quartos grandes, decorados com mobília antiga, mas com os confortos modernos (como por exemplo uma máquina de café expresso em cápsulas), o requinte da nobre casa estende-se ao serviço e aos espaços comuns. As salas, os salões, o pequeno almoço, a simpatia do staff, tudo com um toque familiar e muito confortável.

Hoje foi como se acordassemos numa Downtown Abbey, mas em versão Norte da Escócia e século XXI ... e gostámos muito!


12:00 o Porto de Scrabster

Depois de passarmos a manhã a explorarmos um pouco da casa, e dos seus jardins envolventes, metemo-nos no carro e, passando pela calma e pequena, mas simpática cidade de Thurso, fomos até ao vizinho porto de Scrabster.

Este é um pequeno porto piscatório, mesmo ao lado de Thurso, onde há pouco mais do um pequeno hotel e algumas casas, mas tem um café chamado Poppey ... e foi onde decidimos tomar um café enquanto não embarcavamos no primeiro Ferry da Northern Lines.

O nosso destino desta primeira viagem é o arquipelago de Orkney.


14:35 O Ferry para Orkney

Para quem tem medo de andar de barco ou enjoa, esta é uma viagem que, apesar de ser feita em pleno Atlântico Norte, dura apenas uma hora e meia e não é muito balançada, pelo menos nesta época do ano.

Para quem não tem medo e não enjoa, então esta viagem tem outros atrativos, nomeadamente os vários bares, restaurantes e self services do barco, que conseguem abarcar todos os gostos, exigências de paladar e, obviamente, bolsas. Mas a viagem também podde ser gozada nos decks exteriores e portanto, aproveitando o sol (que nós fizemos durante uma parte da viagem) e as vistas das ilhas que vão ficando pelo caminho e que passamos tão perto, permitindo assim que este seja, também, um passeio cénico.

Foi tranquila a viagem de barco e a sua hora e meia passou-se tranquilamente e muito confortavelmente num dos lounges disponíveis no Deck Superior.


15:30 O Almoço de Caranguejo

Não sabiamos, mas ficámos a saber: a principal especialidade gastronómica das ilhas Orkney é o caranguejo.

Assim logo a seguir a atracarmos o nosso primeiro pensamento foi almoçar. A nossa escolha recaiu sobre o Julia's Bistrot & Cafe e sobre a sua salada de caranguejo. Foi uma excelente escolha pois a frescura dos alimentos, o seu sabor original que foi respeitado ao mínimo detalhe, os molhos que foram postos na quantidade certa e a simplicidade de confeção do caranguejo, bem como a sua combinação com os diversos elementos da salada fizeram deste o prato ideal para comer o famoso Orkney Crab.

Como se uma salada de caranguejo excepcional não bastasse, no final ainda descobrimos um incrível bolo de cenoura com nós e um glacé em cima.

Se falarmos de um bom momento gastronómico que nos apanhou de surpresa nesta viagem até agora, este foi definitivamente esse momento!


16:00 A Cidade de Stromness

Depois do almoço demos uma volta na única rua com algum movimento nesta pequena cidade portuária de Stromness.

Quase todos os edifícios são feitos em pedra e quase todos também têm o piso térreo e umas águas furtadas em cima. Quer sejam a galeria de arte contemporânea local - o The Pier Art Center - quer sejam a casa particular, todos têm este tipo de dimensão. Assim, só três edifícios se destacam na cidade: a escola; a igreja principal e o hotel central. De resto esta é uma cidade de pequenas casinhas, ou pequenos edifícios, todos eles feitos numa pedra cinzenta ou revestidos a chapa metálica, com formas bastante simples, mas muito charme e personalidade.

É uma cidade discreta, mas cheia de subtilezas e que vale a pena visitar.


16:30 O Maes Howe

Apesar de termos gostado bastante de Stromness, o grande encanto destas ilhas não está ái, mas sim nas suas paisagens.

Assim sendo o nosso caminho seguinte foi exatamente o interior das ilhas e passear ao longo das estradas. Mas não sem rumo, porque tínhamos uma vista que queriamos ver: a Maes Howe.

Esta pequena colina verde, que passa bastante desapercebida, no meio de uma paisagem tão ondulante e profusamente cultivada, é um dos mais antigos edifícios destas ilhas e é um túmulo que data da primeira ocupação da ilha principal, pelos vikings. A simplicidade deste monumento a sua integração na envolvente e a elegância da sua forma são os aspetos que mais ressaltam desta visita.

Conduzimos na estrada que passa ao lado, mas seguimos, porque a paisagem das Orkney é tão tranquila e perfeita, que nos atraiu mais continur a conduzir e explorar as ilhas.


17:00 A Capital das Orkney

Depois do pequeno passeio por Stromness, voltamos a egar no carro e dirigimo-nos à capital deste arquipelago escocês: a cidade de Kirkwall.

É aqui que está o principal (se não o único) hospital do arquipelago, é aqui que está a alfândega para todos os produtos importados por via marítima, é aqui que estão os principais hotéis da ilha (se bem que ao longo das estradas e ruas percebemos que a ilha está polvilhada de pequenos e familiares B&Bs) e é aqui que vamos passear a seguir e explorar um pouco do centro histórico e das suas ruas e lojas.

Aqui descobrimos alguns dos produtos tradicionais da ilha ... e obviamente que não resistimos a comprar alguns deles. Mas porque o dia não fica ainda por aqui em termos de visitas, voltamos ao carro e fazemo-nos de novo à estrada.


18:00 As Paisagens da Ilha

Quando saímos de Kirkwall são novamente as paisagens verdes que se estendem até ao mar, que dominam a nossa atenção.

A beleza de tudo o que a vista alcança é de uma suavidade e de uma perfeição, que parece saído de um quadro de uma paisagem campestre, que podemos ver nas paredes de um museu de arte antiga. É esse sentimento de estar no meio de uma paisagem inglesa que combina campo e mar, num equilíbrio único e sublime, que nos domina quando fazemos estas estradas.

Sem grande fama, estas ilhas são verdadeiramente uma jóia delicada e subtil, que vale a pena descobrir!


18:00 A Capela Italiana

É talvez o edifício mais visitado de toda a ilha, mas também o mais inusitado de todos: a Capela Italiana.

Este pequeno templo situa-se verdadeiramente no meio de campos sem mais nada à volta que não seja os campos verdes e cultivados, mas a cor da pintura da sua fachada principal e o contraste das cores com a envolvente, fazem desta pequena obra arquitetónica, num momento estético muito pituresco e inusitadamente belo.

Este é talvem o monumento mais visitado da ilha ... e com razão!


20:30 O Jantar de Real Food

Com o pôr do sol, voltamos à cidade e procuramos um local para comer, e paramos no Real Food Cafe.

É aqui que ficamos até irmos para o barco onde vamos passar a noite, deliciando-nos com uma tábua de produtos gourmet locais que nos deixa verdadeiramente rendidos à qualidade da cozinha de Orkney e à frescura e dos seus produtos.

Foram umas horas bem passadas ... e para já vamos embarcar num novo Ferry Boat rumo ao nosso próximo destino: as distantes e exóticas Shetland!

0 Reality Comments: