VIAGEM DE VERÃO EM DIRETO 2019 | GASTRO FRANCE - DIA 9


NOTA: o relato desta viagem foi escrito em direto, mas, por motivos alheios à nossa vontade, não foi publicado em direto, pelo que pedimos desculpa aos nossos fieis seguidores.

É o nosso segundo dia em Paris e, depois de o dia de ontem ter sido dedicado a uma Paris Clássica, por onde passámos pelo Louvre e pela Chanel, pela Ópera Garnier e pela Chanel, hoje vamos virar agulhas para um Paris mais moderno e mais contemporâneo.

Assim, depois de acordarmos no nosso tão querido Hotel du Vieux Marais, vamos tomar o pequeno almoço ao vizinho Café Beaubourg. Este café, com mais de 30 anos de existência, foi desenhado pelo famoso arquiteto francês Christian de Portzamparc, e ainda hoje se matém como um dos principais cafés modernos da cidade. É aqui que tomamos o nosso pequeno almoço do dia ... na esplanada e com uma vista priveligiada sobre o Centro Pompidou!



Depois de um pequeno almoço numa esplanada à chuva, mas sem nos cair uma pinga em cima (algo só possível em Paris), lá nos dirigimos até ao Centre Pompidou (a nossa primeira visita do dia).

É aqui que passamos a manhã inteira, literalmente a passear e a vaguear pelas salas onde uma excepcional coleção de arte moderna está exposta. Este museu de arte moderna do Centre Georges Pompidou, é um luxo (para quem gosta de arte moderna). Aqui podemos apreciar obras de artistas tão diferentes e diversos quanto Paul Cézanne ou Francis Pablo Bacon, Pablo Picasso e Andy Warhol, Piet Mondrian, Yves Klein, entre muitos outros. E tudo inserido numa obra de arquitetura notável, que só percorre-la é um autêntico privilégio.




Depois de uma manhã passada entre obras de arte moderna e contemporânea, almoçamos um crepe rápido, passeamos um pouco pela zona de Montorgueil e da Bolsa, e apanhamos um Uber que nos leva até ao nosso próximo destino parisiense: a Fundação Louis Vuitton. Situada em pleno Bois de Boulogne, esta instituição cultural concentra duas atrações: a coleção de arte daquele que é o maior grupo de luxo do mundo (o LVMH, cujas casas bandeira, com esta visita, visitamos todas nesta nossa viagem) e um edifício notável do starquiteto Frank Ghery.

De facto o edifício é em si uma verdadeira obra de arte, mas ao contrário do Guggenheim de Bilbau (que visitámos no início desta viagem), este edifício, no seu interior, não se sobrepõe às obras que tem expostas. A arquitetura é notável, e a coleção é muito interessante, pelo que esta é uma visita que vale a pena fazer. Aqui passamos a tarde, no meio da melhor e mais contemporânea arte patrocinada pela Louis Vuitton. Hoje regressamos cedo ao hotel, porque temos jantar de aniversário marcado e um programa logo a seguir!



Depois de descansados e arranjados, saímos então em direção ao nosso último destino artistico do dia: o Palais Tokyo. Aqui vamos jantar, no meio do local mais famoso de instalações de arte de toda a cidade. O restaurante chama-se Les Grands Verres e tem uma ementa que cruza a cozinha francesa com pratos internacionais. Deliciosamente bem feitos, saboreamos tudo e temos mais um jantar digno d enota. O nosso destaque vai para um Paris Brest bastante especial e maravilhosamente bem feito.

Mas o final da noite reserva-nos mais um ponto alto desta viagem: uma ida ao famoso cabaré parisiense Lido. Situado em plenos Champs-Élysées, este é um dos mais famosos da capital francesa, e é conhecido pelo glamour e brilho dos seus espectáculos. Sendo este um programa feito para turista, a sessão das 23h (a que nós fomos, permitindo-nos assim jantar descansadamente), torna-se ainda mais mágica, pois o turista desta hora mais nocturna é mais civilizado, não vem à procura do jantar com espetáculo, mas sim do espetáculo em si. A sala está composta, mas não cheia e o espetáculo segue-se a um ritmo correto, com uma cenografia incrível, uns audiovisuais muito bons, e um guarda roupa absolutamente perfeito. Foi um final de noite de aniversário muito especial e que nos deixou todos a aplaudir convictamente!

A noite não acaba sem antes passearmos pelos Champs-Élysées acima e vermos o último dos símbolos da cidade que ainda não tínhamos visto nesta viagem: o Arco do Triunfo. Agora já podemos ir descansar ... porque amanhã deixamos Paris e voltamos à estrada para uma última etapa antes da derradeira que nos vai levar a de volta casa.

0 Reality Comments: