MARRAQUEXE | A EXÓTICA SENHORA ÁRABE - DIA 1


Para quem nos acompanha no nosso Instagram, já sabe que na passada semana estivemos uns dias em Marraquexe, mas ainda não sabe tudo. Assim nestes três próximos dias, em jeito de sugestão de ultima hora para um fim-de-ano memorável, vamos trazer aqui alguns conselhos, detalhes e recomendações, para que uma viagem a Marraquexe seja muito mais do que agradável: seja Mágica.

Comecemos por abrir vos abrir o apetite e por vos dar um enquadramento geral da cidade de Marraquexe.


Esta é uma cidade única. Na realidade todo o nosso imaginário do mundo árabe foi feito à imagem e semelhança desta cidade. A presença constate das palmeiras, as tâmaras, os palácios e as casas pátio, os souks e as medinas, são tudo elementos imaginários e culturais que vêm de uma tradição artística de fascínio de muitos pintores, fotógrafos e escritores pelo reino de Marrocos.

Desde o século XVIII que a proximidade da Europa de Marrocos, a facilidade de acesso, e a sua diferença cultural atraíram nomes que conformaram a nossa ideia coletiva do que é o mundo Árabe. Sendo Marraquexe a cidade mais exuberante e mais rica deste país (pela sua situação de entreposto comercial com o deserto e as riquezas que vinham nas caravanas berberes), esta assumiu um poder de imaginário bastante grande dentro do ideal ocidental da cultura árabe. Foi para esta cidade que rumámos no fim-de-semana grande de 5, 6, 7 e 8 de Dezembro ... mas que agora partilhamos aqui a nossa experiência, para que os nossos leitores, que ainda não têm programa de fim-de-ano, possam contar com esta nossa sugestão.


A primeira das referências que temos de fazer é ao nosso alojamento. Depois de um voo rápido e tranquilo da TAP que liga Lisboa a Marraquexe, decidimos não apanhar um taxi nem tínhamos reservado um transfer e seguimos no autocarro que liga o aeroporto de Menara à Cidade.

Civilizado, com Wi-Fi disponível, esta é uma forma bastante económica de entrar na cidade. Claro que apenas para em pontos estratégicos em torno da medina ... mas mesmo assim os táxis ou os transfers também não entram nas ruas apertadas desta.


Depois de uma breve caminhada pelas ruas da medina, chegamos então ao nosso destino: o Riad Laila.

Situado na zona da medina menos turística (e portanto mais autêntica) esta antiga casa árabe de sete quartos organiza-se em apenas dois pisos (tendo no terceiro os típicos terraços das casas árabes) e em torno de um pátio e um jardim.


A decoração deste Riad centra-se nos elementos tradicionais da cultura árabe, mas utiliza-os com uma postura decorativa contemporânea. Assim fotografias e quadros contemporâneos convivem com portas antigas ou camas e sofás antigos, criando assim um misto de sofisticação e exotismo bastante agradável e muito confortável. Não é segredo que os Riads são os melhores e mais requintados alojamentos turísticos de Marraquexe ... mas escolher o Riad certo é uma arte que não é fácil de dominar ... daí deixarmos aqui esta sugestão!

Se hoje ficamos por aqui, amanhã abordamos outras duas facetas para uma boa viagem: o que fazer e onde comer. Porque se uma viagem a Marraquexe é uma viagem a outra cultura, nem sempre uma incursão num país tão diferente corre tão bem como correu a nossa ... 

0 Reality Comments: