VIAGEM DE VERÃO 2018 EM DIRETO | VOLTA AO MUNDO - DIA 12


06:30 CHEGADOS À TERRA DOS ANJOS

Passámos toda a noite a voar com a Hawai Airlines, que teve a gentileza de nos fazer (a alguns de nós) um upgrade de lugares para termos mais espaço, e assim conseguirmos dormir melhor ... e foi exatamente o que aconteceu.

Aparentemente foram servidos inclusive snacks durante a viagem, que nem demos por isso acontecer. Depois de uma tarde de praia numa ilha tropical do pacífico e de um sunset com uns cocktails bem feitos, podemos dizer que tivemos uma noite nas nuvens em sentido literal e figurado!

Assim são 6h da manhã quando chegamos ao aeroporto internacional da maior cidade da Califórnia, ou mais propriamente LAX. Aqui o desembarque foi bastante rápido e muito eficiente, tendo nós depois seguido para a rent a car também de forma célere e simples.

Sendo um dos maiores aeroportos dos Estados Unidos da América, o LAX tem uma eficiência de estrutura física e de fluxos de pessoas, absolutamente de espantar!



08:30 O FAMOSO TRÁFEGO DE LOS ANGELES

Mas se tudo foi muito célere no aeroporto, ir do aeroporto até Downtown, onde se situa o nosso hotel na "Cidade dos Anjos", foi uma autêntica experiência no meio de autoestradas e de viadutos, de engarrafamentos de perder de vista, e de tráfego intenso e caótico.

Sendo que Los Angeles é uma cidade territorialmente descomunal, tudo e todos se deslocam de carro. Assim sendo, mesmo as autoestradas de 7 faixas em cada sentido que atravessam a cidade em todos os sentidos, estão permanentemente engarrafadas em algum ponto da sua extensão.

Pior do que isso é que andar de um lado para o outro na cidade, implica, em algum momento, passar por uma autoestrada.

Assim foi o nosso baptismo de Los Angeles ...




10:30 O FREEHAND HOTEL DE LOS ANGELES

O Hotel que escolhemos para esta nossa estadia em Los Angeles é o muito clássico, mas totalmente renovado Freehand Hotel de Los Angeles.

Este hotel, acabou de ser reinaugurado no ano passado, e situa-se num edifício dos anos 1920, em pleno Downtown de Los Angeles. Assim agora é um hotel de design com um estilo muito retro contemporâneo, em que elementos históricos da arquitetura original do edifício, se fundem com objetos de design contemporâneo mas look vintage.

Não fora uma funcionária da recepção ter sido tido uma atitude pouco correta, pois teve aquela atitude tão digna dos anos de 1990s em Nova Iorque, de snobeira perante os clientes (fez lembrar uma famosa cena numa loja de Rodeo Drive num famoso filme que catapultou uma famosa ruiva para o estrelato em Hollywood) e esta chegada a Los Angeles tinha sido perfeita, pois a chef de receção foi formidável e conseguiu arranjar os quartos todos antes das 09:30 da manhã, o que permitiu que saíssemos dentro do nosso horário para o nosso próximo destino ...






19:30 OS UNIVERSAL STUDIOS

O nosso primeiro dia em Los Angeles só poderia ser dedicado à sua dimensão mais conhecida: a indústria de filmes de Hollywood.

Ora esta autêntica fábrica de sonhos tem nos grandes estúdios a sua principal atração ... e de entre estes os Universal Studios são, desde há muito tempo, os principais entre os principais. Assim sendo o nosso dia desde as 11:30 da manhã até ao final da tarde foi brincar como crianças e sonhar como só Hollywood nos consegue fazer..

Assim, rodeados de Minions, dinaussauros, os Simpsons, ou Harry Potter, passámos um dia inteiro a divertir-nos como gente pequena. Pois os Universal Studios, em Hollywood são uma verdadeira fábrica de sonhos, pois não só é possível ver os estúdios efetivos onde são filmados séries e programas tão diversos como o America's Got Talent, ou a série Will & Grace, mas também tem um conjunto de diversões que vão desde montanhas russas, a espetáculos de animais, passando por um sem número de lojas e restaurantes, com todo o tipo de comidas e iguarias.




23:45 O JANTAR NO RED BIRD

Depois de sermos crianças por um dia inteiro graças aos Universal Studios, em Hollywood, voltamos ao mundo dos adultos. Não só com mais de uma hora de tráfego que apanhámos para voltar ao hotel, mas também por causa do nosso jantar de hoje.

O lugar eleito é o muito trendy e cool Red Bird. Com um ambiente muito bem cuidado, o profissionalismo da chef de sala e uma carta muito interessante, este restaurante foi uma boa escolha, apesar de ter deixado passar alguns detalhes.

Por conselho da simpática chef de sala, decidimos pedir várias entradas e vários pratos, todos eles para repartir. Ora se esta foi uma excelente opção para podermos provar mais e comprovar melhor a qualidade da cozinha deste restaurante, também denotou alguma dificuldade, quer no serviço, quer em alguns dos pratos servidos.

Mas de 7 entradas, pratos e sobremesas, 3 deixavam algo a desejar. Ou por sabores que se sobrepunham a outros e anulavam a subtileza possível do prato (como foi o caso do Foie Gras), ou por uma carne que se pediu rosada e vinha seca de tanto passada (como foi o caso do pato ... e esta é uma carne difícil de vir seca), ou por um serviço que (provavelmente do adiantado da hora, pois já chegámos depois das 21.45h) denotou alguma desorientação e descuido (como o caso de um escanção dar a provar uma segunda garrafa de vinho misturando-o no copo da garrafa anterior).

Nada disto são faltas graves ou verdadeiramente prejudiciais a um jantar entre amigos que estão a fazer uma Volta ao Mundo ... porque a decoração incrível do local, a arquitetura do histórico edifício e a forma como contemporanea e inteligentemente recuperaram o espaço e essencialmente a simpatia e a disponibilidade da chef de sala conseguiu superar e compensar todas estas situações.

Sendo um dos hit spots de Los Angeles neste momento, recomendamos ... mas deixamos aqui uma sugestão de menu: o Hamachi Crudo de entrada (sublime), o alabote de prato (muito bem conseguido) e Rocky Road Bar para sobremesa (new American Favorite).

O dia foi duro, a noite já vai longa e amanhã temos de explorar esta cidade ... por isso regressámos ao nosso excelente Freehand Hotel e dormimos ... porque amanhã é um dia de muitas emoções!

0 Reality Comments: