VIAGEM DE VERÃO EM DIRETO 2015 | RUMOS DO SUL - DIA 16


10.00 O ACORDAR EM JAKOK LODGES PELA TERCEIRA VEZ

Foi como sempre, depois de uma noite bem dormida que acordámos novamente neste paraíso perdido e desconhecido que se chama Jankok Lodges.

Constituído por um conjunto de bangalows e pequenas casas, este jardim do Eden tem sido o refúgio caribenho ideal para esta nossa última etapa dos nossos Rumos do Sul. Despertar no meio de uma paisagem única, retemperar as forças com um pequeno almoço tomado ao ar livre no meio da natureza e preparar o dia no meio de tanta beleza tem feito destas manhãs umas ocasiões únicas.

É de facto perfeito acordar nos Jankok Lodges!


11.00 A VISITA À OTRABANDA

Foi mais uma vez uma manhã em que o grupo se dividiu. Enquanto uns foram aproveitar o dia inteiro de praia, outros foram fazer mais umas visitas à bela cidade de Willemstad.

Assim os que fomos visitar, depois de uma paragem forçada para uma lavagem de carro profunda para tirar todos os vestígios de aventuras passadas, seguimos para o famoso e muito típico bairro de Otrabanda.

Situado mesmo em frente às famosas fachadas, do outro lado da entrada da baía, este é um bairro colorido, castiço, ainda sem vestígios de grande turismo e onde os locais fazem de facto a sua vida. Sentimo-nos verdadeiramente num ambiente autêntico e sem o"very tipical" forçado para a foto!


13.00 O ALMOÇO TÍPICO

Depois de deambularmos pelas ruas de Otrabanda, rumámos ao estreito, apanhámos o barco, atravessámos para o bairro de Punda e ao fundo do mercado flutuante, encontramos o nosso destino de almoço de hoje: o Plasa Bieu.

Este muito típico local é um espaço de almoço onde as mais tradicionais receitas da gastronomia de Curaçao são feitas de forma ainda muito tradicional. O primeiro impacto é  de uma enorme cantina, repleta de locais, onde os cheiros e os barulhos se confundem. Mas depois entra-se e percebe-se em que cada mesa corrida o que acontece é uma convivência saudável, uma degustação de sabores muito caribenhos e a potenciação ao seu máximo expoende do que é uma refeição típica de Curaçao.

Se até este momento na viagem não tínhamos tido más refeições, esta vai sem qualquer dúvida para o Top.


14.00 AS CHICHIS E A ARTE DE NENA SANCHEZ

Já com os sentidos, todos eles, verdadeiramente assaltados por um turbilhão de emoções, graças ao nosso almoço típico caribenho, rumamos de volta ao barco, pelo meio do bairro de Punda.

Neste percurso mergulhamos nas ruas intrincadas e coloridas do velho casario e encontramos dois locais obrigatórios em qualquer visita a Curaçao: o Atelier de Nena Sanchez e o Atelier de Serena. Estes dois espaços de arte estão localizados numa rua muito estreita e muito discreta e concentram em duas portas o melhor da arte de Curaçao (Windstraat 15 e 17).

Nena Sanchez é a mais conhecida e prestigiada pintora do caribe e tem uma vasta e muito respeitada obra, quer a nível nacional quer a nível internacional. A visita ao seu atelier é obrigatória, para se perceber esta cultura e a transposição da mesma para a arte contemporânea.

O Atelier da escultora Serena é exatamente na porta ao lado e esta escultora criou a peça de escultura caribenha contemporânea mais icónica: as Chichis. Estas são mulheres pretas, volumoras, estilizadas, que actualmente vêm os seus típicos fatos pintados de cores garridas por artistas convidados. Conhecemos a Maria (uma das artistas estagiárias desta conhecida artista), que nos explicou a história das Chichis e a sua popularidade. Esta Chichi é como que uma Irmã mais velha, que cuida e une a família com o seu amor, sendo assim um símbolo, já internacionalmente reconhecido, do papel que as mulheres têm na sociedade de Curaçao e de todas as Caraíbas.

Não resistimos a uma óbvia compra de uma das Chichis que estavam nesta loja.


15.00 PROBLEMAS COM AS AUTORIDADES DE CURAÇAO

Depois de uma verdadeira sessão cultural e de compras de obras de arte (cada Chichi é uma ecultura única e errepetível, feita à mão por um artista convidado), regressamos à Otrabanda (de barco claro9 para panharmos no nosso carro.

A nossa surpresa torna-se relevante quando, por baixo da torreira do calor húmido que está, descobrimos que não só temos uma multa para pagar porque o parquímetro que pusemos já tiha terminado, como temos o nosso carro bloqueado. O mais difícil foi perceber qual o procedimento, que número de telefone ligar para chmar a polícia para desbloquear o carro ... mas depois de fazermos o telefonema certo ... foi um processo de pouco mais de meia hora (e 15 dólares americanos, pagos na hora e sem direito a recibo ...) até estarmos livres deste problema.

Assim tivemos este problema com as autoridades de Curaçao ... resolvidos sem probemas!


16.30 A PRAIA DE KENEPA

Atravessando a ilha em direção à zona de Westpunt, chegamos ao encontro do resto do grupo que se encontrava na praia de Kenepa.

Votada por muitos meios internacionais e em muitos sites, uma das 10 praias mais belas do mundo, esta é o expoente máximo das praias de Curaçao. Situada numa pequena baía de rochedos, uma pequena lingua de areia (ou diremos melhor ... pó) branca, tem na sua frente uma das águas de mar mais transparentes e mais hipnotizantes que já vimos na vida. A temperatura da água, a candidez do areal, as árvores e palhotas que lhe dão sombra e todo o cenário natural envolvente fazem da Praia de Kenepa uma praia absolutamente deslumbrante.

Foi a mais distante e a última praia que fomos aqui na ilha de Curaçao durante estes Rumos do Sul ... mas foi uma das mais belas praias em que estivemos aqui no Caribe.


22.00 O JANTAR CASEIRO

Decidimos que depois desta praia o melhor era mesmo passr por um supermercado, fazer umas compras que complementassem as compras que ainda sobravam dos pequenos almoços e das compras que fizemos para nos alimentarmos enquanto atravessavamos o deserto, e fazermos um jantar de grupo em casa.

Assim o fizemos e o resultado foi uma verdadeira noite de conversa, convivio e animação ... não só entre nós, mas também com o Jeroen (nosso anfitrião aqui nos Jankok Lodges).

Foi até tarde a conversa ... e deu-nos uma perspectiva mais profunda do que é a cultura e o estilo de vida aqui na Ilha de Curaçao.

0 Reality Comments: