UM LUXO CHAMADO PROST

Tecnologia, moda e desporto num relógio único!

COM VISTA PARA O FUNDO DO MAR

Este é o primeiro restaurante subaquático da Europa!

A CINDERELA URBANA

Os modelos da Guava para esta estação!

SUGESTÕES DE FIM-DE-ANO LAST MINUTE


Depois de nos três dias passados termos trazido aqui a recomendação de uma viagem barata e mágica e que recomendamos bastante aos nossos leitores, hoje trazemos aqui sugestões para fim-de-ano pelas terras de Portugal.

Quem nos conhece sabe que não andamos sempre em festas, eventos ou viagens, mas sabe também que gostamos muito do lado bom da vida ... e isso faz com que estejamos sempre atentos aos melhores eventos ... e para quem anda nao tem planos de fim-de-ano ... deixamos aqui algumas sugestões!


A primeira sugestão vai para os nossos leitores de Lisboa e chama-se Hendrick's Illusionary New Year's Night. A festa, que decorrerá a 31 dezembro e custa apenas , no magnífico Palácio Foz em Lisboa, começará as festividades com um luxuoso jantar temático, onde os sabores irresistíveis da arte culinária do Chef Hugo Brito, se fundirão com diversas e surpreendentes performances artísticas, dentro do universo peculiar de Hendrick's, transformando a refeição num festim inesquecível para todos os sentidos.

Depois do banquete, às 23h, iniciar-se-á o tão aguardado Illusionary Odd Ball. As Damas e Cavalheiros podem optar por se juntar aos ilustres convidados apenas neste momento, cuja festa se irá prolongar até às 4 da madrugada ao som da magnífica orquestra Hendrick'se de DJs convidados. Esta vai ser uma fest incrivelmente glamourosa e muito mágica ... como só a Hendrick's consegue fazer!


Mas se estiverem em Lisboa e quiserem algo mais moderno e mais acelerado na música, então o melhor é dirigirem-se à sempre cool Meo Arena, onde a rádio Mega Hits vai trazer os sempre incríveis DJ's da editora Mítica Hardwell para uma festa memorável - a New Year Revealed.

Aqui não haverá jantar, mas das 22.00h às 05.00h do primeiro dia de 2016 vai haver um DJ set de Luxo, como poucas vezes se vê em Portugal. Dannic, Sick Individuals, Julian Calor, Joey Dale, Thomas Newson, Manse, Tom&Jane e o português Kura são os nomes já confirmados ... por isso a boa música está garantida!


Mas para quem pense que as opções de última hora estão apenas em Lisboa, engana-se: a New Year Revealed também vai ter uma location no Mutiusos de Gondomar.

Sim esta festa vai invadir o país com música boa, dando duas festas simultâneas que se vai tornar assim a maior festa de passagem de ano de Portugal ... e com a qualidade absolutamente inquestionável.


Mas quem quiser ir até ao Porto e aproveitar o fim-de-semana de forma mais calma, deixamos aqui a sugestão do nosso conhecido Mercure de Gaia (que já aqui trouxemos na nossa escapadela ao Porto aquando das exposições da EXD'15).

Este hotel, além de ser ultra conveniente do ponto de vista de localização e acessos, tem um programa muito completo e económico: 399,00 € com duas noites incluídas em quarto duplo, jantar de natal preparado pelo chef Pedro Lima, do restaurante OPorto, e dois bilhetes de Yellow Bus, para se ficar a conhecer melhor a cidade invicta e começar o ano logo a passear!


Mas não poderíamos fechar esta lista sem incluir uma sugestão no Algarve, destino de tantos durante estes dias. A nossa eleição no Algarve vai, obviamente, para o muito luxuoso Pine Cliffs Resort de Albufeira, que por apenas 405 € terão direito a uma noite, um jantar de gala preparado por um dos melhores chefs nacionais - o Chef Osvalde Silva - e um pequeno-almoço de luxo logo no dia 1, para se começar o ano em grande.

Sim, para quem não tem ainda programa de fim-de-ano, as opções ainda são muitas e cheias de estilo, e existem de Norte ao Sul do País. Por isso não há dúvidas em podermos desejar a todos os nossos leitores EXCELENTE E FABULOSOS 2016 PARA TODOS!

MARRAQUEXE | A EXÓTICA SENHORA ÁRABE - DIA 3


Marraquexe tem sido a nossa obsessão nestes últimos dias do ano. Depois de uma viagem que fizemos já neste mês de Dezembro (tal como os nossos seguidores de Instagram puderam ver) touxemos aqui na segunda o riad onde ficámos, otem o que visitámos e hoje vamos dedicar-nos à viagem gastronómica.

Ir a Marraquexe é entrar no auge do nosso imaginário da cultura árabe. Graças a uma longa tradição entre os artistas europeus, de irem para Marrocos quando queriam ir para um local exótico (pois era o país árabe mais acessível à Europa), tudo o que contrói o nosso imaginário colectivo da estética árabe, tem origem em Marrocos (ou não sería por acaso que até o filme Sexo e A Cidade II, foi filmado todo ele em Marrocos ... e mais propriamente em Marraquexe).

Mas se na cidade tudo exala exotismo e magia e mistério, na mesa a escolha tem de ser um pouco mais criteriosa. Por várias razões (desde a razão higiénica, passando por questões económicas, e acabando nas questões de que "comer comida local não quer dizer ter problemas intestinais") a escolha de locais paa comer é uma autêntica ciência, por isso deixamos aqui as nossas escolhas e recomendações.


Comecemos por uma recomendação para almoçar: o Bakchich Cafe. Localizado mesmo ao lado da famosa e muito central praça Jemaa El Fna, este pequeno e simpático café é o local perfeito para se passar uns breves momentos de descanso e boa experiência gastronómica.

Com uma decoração moderna e cuidada, uma banda sonora que combina o jazz internacional com os ritmos da música árabe, sempre com um toque contemporâneo e lounge, este café é um verdadeiro oásis com vista para a movimentada e agitada rua, que oferece uma carta de sandwiches, saladas (sim aqui podem-se comer ... nós provámos e comprovámos a higiene e qualidade das mesmas) e outros snacks leves, que tão bons são na hora do almoço.

É um local bem central, sofisticado, mas marroquino, com cozinha marroquina leve e modernizada ... um bom local para meio do dia, definitivamente!


Mas se de almoço estamos a falar, então temos de falar do Amal Women's Center e das sua saulas de culinária. É das experiências mais interessantes que tivemos em termos gastronómicos, e tudo com uma boa causa como base.

Este centro de apoio a mulheres socialmente frágeis (como mães solteiras, viúvas, orfãs, etc., que na sociedade árabe têm ainda maiores dificuldades do que nas ocidentais) tem durante as manhãs workshops em que nos ensinam a fazer as famosas Tagines. A experiência é divertida, didática e muito bem organizada e preparada pelas mulheres do centro ... e no final come-se o produto final do nosso trabalho.

Recomendamos vivamente esta experiência, pois além de uma experiência cultural, é também uma experiência gastronómica muito deliciosa!


Mas comer em Maraquexe é também restaurantes sofisticados. Por isso trazemos aqui o muito relaxado jardim Latitude 31.

Este pequeno e discreto restaurante numa zona mais remota da medina, é um pequeno jardim onde os sabores da boa cozinha marroquina se confundem com os cheiros das laranjeiras, rosas e demais flores que povoam este pátio.

Para jantar é o local ideal para jantares sossegados, românticos ou apenas demorados. A dois ou a mais, o Latitude 31 é um dos locais mais genuinos e sufisticados que se pode encontrar em plena Medina e que ao mesmo tempo tem preços bastante acessíveis.


Mas um jantar marroquino é sofisticação, luxo e abundância. Por isso para terminar trazemos aqui o requintado e muito luxuoso Libzar.

Situado já na cidade nova, numa pequena moradia, este restaurante tem o melhor da cozinha marroquina, nu ambiente sofisticado e exclusivo, com preços um pouco mais elevados, mas ainda assim acessíveis. Este é um daqueles locais que se vai para comer, deliciar e deleitar com todos os sabores, delicadezas e ingredientes de uma cozinha rica e exótica.

Nestes três dias trouxemos aqui um pouco da nossa experiência em Marrocos, porque este é um destino maravilhoso, mágico e exótico, civilizado e caótico. Uma cidade de contrastes, com muito para explorar, sem medos ou receios do desconhecido. Marraquexe é como uma velha senhora que tem muito para contar, mas que à boa maneira árabe, tem na subtileza e no mistério as suas principais armas de encanto.

MARRAQUEXE | A EXÓTICA SENHORA ÁRABE - DIA 2


Conforme sabem os nossos seguidores de Instagram, estivemos recentemente em Marraquexe, e como sempre o fazemos, trazemos aqui todos os detalhes para que as nossas boas experiências possam ser vividas pelos nossos leitores também.

Se ontem nos dedicámos ao nosso alojamento e a como sair do Aeroporto para a cidade, hoje (conforme anunciámos ontem) vamos-nos dedicar aos locais a visitar e aos restaurantes onde comer.


Marraquexe é como uma velha e enigmática mulher, que nos fascina na sua sofisticação e na sua beleza estranha e rara. Foi unânime dizer que esta cidade era como uma Exótica Senhora Árabe, pois a cidade combina história e actualidade de uma forma subtil mas segura, sem descurar a sua forte cultura árabe, mas não esquecendo a sofisticação da mesma.

Se Marraquexe é sinónimo de alguma coisa é de lugares belos e repletos de histórias fascinantes para contar. Assim a escolha de o que visitar não é fácil. Não só pela diversidade, mas essencialmente porque estando a maior parte dos locais de visita localizados na Medina ou nas suas imediações, orientar-nos pela media é um exercício digno dos melhores peritos em orientação e navegação urbanas.

Deixamos um conselho: dispensem os guias que vos vão abordar várias vezes antes de entrarem em cada um dos locais, pois as informações que vos dão nem sempre são interessantes e o único objetivo deles é conseguirem dinheiro ... que uma vez pago, nunca chega. Além de que Marraquexe, sendo uma cidade turística e árabe, não tem um nível de criminalidade muito alta, pois os turistas são o seu ganha pão ... assim assaltos ou mesmo agressões são coisa rara por estas paragens.


Se há momento imperdível na cidade é a Praça Jemaa El Fna. Local onde tradicionalmente se efetuavam as trocas comerciais entre as caravanas berberes (povos nómadas do deserto) e os árabes de Marrocos, esta imensa praça tem na sua alma a essência de uma babel de usos e costumes todos eles bastante fascinantes.

Contadores de Histórias (que não percebemos, mas que acompanhamos o entusiasmo com que estes as contam e com que a assistência as segue), encantadores de serpentes, vendedores de todo tipo de souvenirs e artigos, bancas de comida e de sumos naturais, animadores com jogos, amestradores de macacos, aguadeiros, tatuadoras de hena ou leitores de mãos e de sina, músicos, bruxos e curandeiros ... todos convivem nesta praça, transformandoa numa verdadeira amostra viva de duas épocas da cultura árabe - a tradicional e a contemporânea.

Se a dimensão ajuda, a diversidade completa esta ideia de que aqui na Praça Jemaa El Fna pode-se encontrar de tudo ... e tudo pode acontecer ... ou não estivéssemos a falar de uma praça que é classificada como Património Imaterial da Humanidade pela UNESCO, pela sua diversidade cultural e riqueza linguística.


Mas mesmo perto da Praça (como todos lhe chamam, como se mais nenhuma praça existisse na cidade) estão mais dois pontos de visita e paragem essenciais numa visita a Marraquexe: o Palácio El Badiî e o Palácio Bahia.

A pouco mais de 300 metros da Praça e a uma distância de 200m um do outro estes dois complexos são o coração do poder ancestral desta cidade (mantendo-se ainda nas imediações o palácio real actual de Marraquexe ... não sendo este visitável).

Comecemos pelo mais antigo. O Palácio Badiî, data do século XV e está atualmente em ruínas. Mas a dimensão do seu pátio central, a proporção das suas grossas e majestosas paredes, a cor das mesmas, os antigos mosaicos, fazem desta uma visita absolutamente esmagadora e incontornável.


Mas se a visita ao Badiî é esmagadora pela dimensão do mesmo, a visita ao Palácio Bahia é deslumbrante pela beleza do mesmo.

Com uma construção bastante mais recente (no sec. XIX), este palácio encontra-se verdadeiramete bem conservado. Assim os seus tetos de madeira trabalhada e pintada, as suas paredes de estuques esculpidos e pintados e os seus inúmeros pátios e jardins, numa organização labiríntica única e enigmática, fazem deste palácio um dos melhores e mais bem conservados exemplares dos famosos palácios árabes de todo o mundo.

Percam-se entre salas e pátios, não tenham medo de explorar passagens ou escadarias, e deslumbrem-se com todos os detalhes únicos e magníficos que em cada canto vão encontrar ... porque assim é a riqueza deste local ... e só assim se entranha a beleza da mesma em cada visitante.


Ainda no capítulo dos locais históricos há outro que se revela incontornável: a Madrassa Ben Yousesef.

Localizada bem no coração da Medina (o que quer dizer que podem demorar algum tempo a conseguir encontrar ... o que não faz mal, pois pelo caminho vão encontrar muitas situações fascinantes também), esta escola corâmica cujas origens remontam ao sec. XIV, é a maior de todo o reino de Marrocos, e pode ser visitada (parte dela, pois outra parte ainda funciona como escola).

O contraste entre a decoração profusa e exuberante do pátio, as cores vibrantes da piscina central, os trabalhos minuciosos e incrivelmente detalhados das portas e portadas de madeira deste, e a simplicidade minimal dos interiores, a ausência total e completa de qualquer decoração nos mesmo e a luz coada e indireta, fazem deste um edifício que nos faz lembrar os mosteiros medievais europeus, numa versão exótica e árabe, mas com um estranho paralelo, que nos inquieta, mas ao mesmo tempo nos tranquiliza de tanta identificação que sentimos.


Mas se Marraquexe é sinónimo de grandes monumentos históricos, também é sinónimo de locais de cultura, de encontro de culturas e de fusão e encontro da civilização árabe e europeia.

Assim uma visita a Marraquexe não fica completa sem uma passagem pela muito bela e elegante Maison de la Photographie. Instituição privada, aberta ao público em 2009, esta pequena casa da Medina, mostra aos seus visitantes, em exposições temporárias pequenas mas muito bem montadas, um espólio fotográfico digno dos melhores museus internacionais ... mas sempre centrada em Marrocos e na sua diversidade e na atração que este país sempre exerceu sobre os fotógrafos europeus e americanos.

É um verdadeiro oásis de cultura, bom gosto, requinte e sofisticação. Calmo, sereno e subtil, este é talvez o único museu que não convém falhar.


Mas no meio de tantas visitas, há uma que também é obrigatória e que ainda não referimos (deixámos para o final): os jardins e a Ville Majorelle.

Famosa residência do icónico Yves Saint Laurent em Marrauqexe, este autêntico paraíso de cor e bom gosto situa-se (já fora da Medina) na cidade nova, no bairro de Gueliz. Com uma manutenção irrepreensível, umas cores perfeitas, uns jardins tão icónicos quanto o seu antigo proprietário, esta visita revela-nos o verdadeiro fascínio e a intensidade cultural que esta cidade tem. Exótica, culta e muito exuberante, a visita aos jardins e à Ville Majorelle traz-nos de volta ao nosso ponto inicial: Marraquexe é como uma Exótica e Senhora Árabe, de quem não nos cansamos e por quem temos um fascínio infindável e mágico.

Mas se visitar Marraquexe é visitar estes locais é também sentir a sua gastronomia e mergulhar numa gruta de Ali Babá de compras chamada Souks. Mas disso falaremos amanhã ...

MARRAQUEXE | A EXÓTICA SENHORA ÁRABE - DIA 1


Para quem nos acompanha no nosso Instagram, já sabe que na passada semana estivemos uns dias em Marraquexe, mas ainda não sabe tudo. Assim nestes três próximos dias, em jeito de sugestão de ultima hora para um fim-de-ano memorável, vamos trazer aqui alguns conselhos, detalhes e recomendações, para que uma viagem a Marraquexe seja muito mais do que agradável: seja Mágica.

Comecemos por abrir vos abrir o apetite e por vos dar um enquadramento geral da cidade de Marraquexe.


Esta é uma cidade única. Na realidade todo o nosso imaginário do mundo árabe foi feito à imagem e semelhança desta cidade. A presença constate das palmeiras, as tâmaras, os palácios e as casas pátio, os souks e as medinas, são tudo elementos imaginários e culturais que vêm de uma tradição artística de fascínio de muitos pintores, fotógrafos e escritores pelo reino de Marrocos.

Desde o século XVIII que a proximidade da Europa de Marrocos, a facilidade de acesso, e a sua diferença cultural atraíram nomes que conformaram a nossa ideia coletiva do que é o mundo Árabe. Sendo Marraquexe a cidade mais exuberante e mais rica deste país (pela sua situação de entreposto comercial com o deserto e as riquezas que vinham nas caravanas berberes), esta assumiu um poder de imaginário bastante grande dentro do ideal ocidental da cultura árabe. Foi para esta cidade que rumámos no fim-de-semana grande de 5, 6, 7 e 8 de Dezembro ... mas que agora partilhamos aqui a nossa experiência, para que os nossos leitores, que ainda não têm programa de fim-de-ano, possam contar com esta nossa sugestão.


A primeira das referências que temos de fazer é ao nosso alojamento. Depois de um voo rápido e tranquilo da TAP que liga Lisboa a Marraquexe, decidimos não apanhar um taxi nem tínhamos reservado um transfer e seguimos no autocarro que liga o aeroporto de Menara à Cidade.

Civilizado, com Wi-Fi disponível, esta é uma forma bastante económica de entrar na cidade. Claro que apenas para em pontos estratégicos em torno da medina ... mas mesmo assim os táxis ou os transfers também não entram nas ruas apertadas desta.


Depois de uma breve caminhada pelas ruas da medina, chegamos então ao nosso destino: o Riad Laila.

Situado na zona da medina menos turística (e portanto mais autêntica) esta antiga casa árabe de sete quartos organiza-se em apenas dois pisos (tendo no terceiro os típicos terraços das casas árabes) e em torno de um pátio e um jardim.


A decoração deste Riad centra-se nos elementos tradicionais da cultura árabe, mas utiliza-os com uma postura decorativa contemporânea. Assim fotografias e quadros contemporâneos convivem com portas antigas ou camas e sofás antigos, criando assim um misto de sofisticação e exotismo bastante agradável e muito confortável. Não é segredo que os Riads são os melhores e mais requintados alojamentos turísticos de Marraquexe ... mas escolher o Riad certo é uma arte que não é fácil de dominar ... daí deixarmos aqui esta sugestão!

Se hoje ficamos por aqui, amanhã abordamos outras duas facetas para uma boa viagem: o que fazer e onde comer. Porque se uma viagem a Marraquexe é uma viagem a outra cultura, nem sempre uma incursão num país tão diferente corre tão bem como correu a nossa ... 

MUITO MAIS DO QUE INVESTIGAÇÃO!


O escritório de arquitetura global de Perkins + Will concluíu um centro de pesquisa state-of-the-art no bairro South Lake Union de Seattle.


Um edifício de 270.000 pés é a casa do Instituto Allen, para o estudo da ciência do cérebro e da ciência das células. Internamente, laboratórios, escritórios e espaços de trabalho abertos são organizados como uma série de "pétalas" agrupados em torno de seis andares cheios de luz no átrio central.


De forma equilibradamente pensada, neste átrio de vidro são dispostos postos de colaboração equipados com cadeiras e quadros brancos para reuniões espontâneas e discussões de equipa, equipas essas que vão crescer durante os próximos anos.


Actualmente com cerca de 300 funcionários em tempo integral, a nova unidade vai permitir que o instituto se expanda para cerca de 500 membros a tempo inteiro. O crescimento do instituto coincide com a expansão de objetivos científicos na ciência do cérebro e da ciência de células, incluindo a expansão do novo banco de dados dos tipos de células Allen, lançada em maio de 2015, e a criação da célula de animação: um modelo preditivo tridimensional do comportamento celular.
 


O edifício dispõe de um centro de dados e um complexo educacional no piso superior, bem como uma área de microscopia electrónica no nível do solo. O complexo também abriga 9.000 pés quadrados (840 metros quadrados) de espaço aberto e dois níveis de estacionamento subterrâneo.

UMA HOMENAGEM AO CITRÖEN DS!


Jean-Louis Bui é um designer francês com mais de 25 anos de experiência em projeto e engenharia de automóveis.


Bui trabalha na ETUD, uma empresa parisiense dedicada à produção de protótipos funcionais. Para o sexagésimo aniversário do DS citroën, apresenta-nos sua visão contemporânea deste carro mítico.


Com este protótipo, Bui lembra como este modelo específico marcou a história dos automóveis, graças à sua inovação e design aerodinâmico futurista.


Para este seu conceito de renascimento do DS, Jean-Louis Bui criou uma reinterpretação contemporânea do modelo do Citroën 1955 DS. O conceito faz também referência a outras versões lendárias como o Citroën SM e o Citroën CX.

Este projeto tem como objetivo homenagear o lendário automóvel, e nós fazemos também essa mesma homenagem!

UM NATAL MUITO ORIGINAL


O estúdio Papersmith, sediado em Amesterdão, criou seis ilustrações artesanais que mostram o lado espirituoso ao culto de filmes clássicos, com as criaturas interagir com as festividades da temporada.



Cada cena é totalmente artesanal com papel, trazendo à vida o lado mais suave do filme, com ele também a desejar ser beijado sob azevinho.



Estas configurações retratam as criaturas enquanto desfrutam de um delicioso pudim do natal, nascendo a partir de um peru, e à espera de ver o Pai Natal descer pela chaminé.

Um trabalho que merece a nossa atenção nesta época natalícia e que tantos sorrisos merece!

A MAGIA DAS JÓIAS PARA ESTE NATAL!


Ainda não conseguiu comprar aquela prenda especial para este Natal? Encontre aqui algumas sugestões para fazer brilhar os olhos de quem presentear nesta época tão especial.



Conhecida pelas jóias e relógios de inegável qualidade e sofisticação, a Machado Joalheiros apresenta as suas sugestões para esta época.  As jóias próprias (nas imagens acima) são de cortar a respiração.




Relógios intemporais, elegantes e sofisticados estão lado a lado com jóias que prometem ser eternas e conquistar corações e estilos!



Marcas como a Omega, Piaget, Cartier, Panerai, TAG Heuer, Jaeger LeCoultre e IWC Portuguesa, fazem as delícias dos mais aficionados por relógios, qualquer que seja a idade ou gosto pessoal. Peças de uma elegância incontornável, com detalhes que os tornam em peças únicas e de grande valor.

No departamento feminino, as jóias mais discretas são sem dúvida uma das melhores sugestões de presente possível, pois uma jóia que possa acompanhar uma mulher durante todo o ano, é sempre uma forma muito segura de a conquistar. A Dinh Van e Chaumet sugerem anéis, pulseiras e brincos que farão brilhar pela simplicidade, sendo peças intemporais e muito especiais.



E com estas sugestões, o que lhe falta para tornar este Natal inesquecível? BOM NATAL!

PODERÁ A APPLE CONTINUAR A SURPREENDER?


A Apple apresentou recentemente uma patente para uma impressora 3D multi-colorida, mas não está claro se a gigante de tecnologia planeia entrar no mercado com este produto a curto prazo.



No entanto, o designer Martin Hajek é o responsável pelo design do recriar do Cube G4 como inspiração para a apresentação da noca "iPrinter".



Mas Hajek sabe que se a Apple decidir que quer fazer uma impressora 3D, não será para vender mais impressoras ou os consumíveis, como tinta e resina, mas estabelecer um modelo de negócio que vai vender impressoras 3D através de uma loja on-line, semelhante à App Store.


Hajek acredita que o que a Apple fez para a música com "iTunes", também poderiam fazer por impressão 3D com a sua própria loja on-line.

Não sabemos se é um negócio que vai em frente, tão pouco se voltaremos ouvir falar neste belíssimo exemplo de impressora, mas talvez por isso, não quiséssemos deixar de vos dar a conhecer este projeto!