O Ovo Solar

Conheça esta obra de arquitetura da dupla Mats Bigert e Lars Bergström

Olivier abre com Novo Conceito

Nova carta, decoração renovada e preços mais acessíveis são a aposta do restaurante

É Uma Mala Portuguesa Com Certeza

Maria/Maleta é a nova marca nacional de acessórios de moda em pele

O Charme de Dear Lisbon

Conheça este oásis no centro histórico de Lisboa

Quando a Forma se Torna Abstracta

Espreite aqui a nova linha de mobiliário da Alias

ABSOLUTAMENTE... VODKA


Sentir a doçura de um Cosmopolitan, a força de um Bloody Mary e a acidez do Absolut Twist é o que se pretende transmitir com a nova campanha da marca Absolut Vodka.

Com o fim de ano a poucas horas, as bebidas não vão faltar para comemorar o novo ano que se quer sempre melhor que o anterior, pelo que uma das maiores marcas do mundo quis ser absolutamente... vodka.

Mesmo que não tenha um Tom Cruise em casa para lhe preparar deliciosos cocktails, deixamos-lhe esta ideia que pode aproveitar para servir aos seus convidados logo à noite.

Absolut Twist: 1 parte de Absolut Vodka, 3 partes de água tónica e decora-se com uma casca de lima fresca. Feliz 2010!

UM CLÁSSICO REINVENTADO


O designer holandês Mieke Meijer, vem agora para o mercado, com um objecto modular, que combina sistemas e estéticas clássicas com modernidade na abordagem das mesmas: o louceiro Alter Ego.

Este louceiro é composto por um conjunto de módulos que no seu conjunto formam uma grande imagem de um cadeirão clássico (tal como os módulos dos antigos louceiros). No entanto estes mesmos módulos podem ser utilizados independentemente ganhando individualidade própria ou mesmo de conjunto (qual mobília completa ...).

Gostamos da abordagem e gostamos ainda mais do resultado final.

Neste dia em que o passado dá lugar ao futuro, este pareceu-nos um objecto com pertinência!

HOTEL MANDARIN ORIENTAL DE BARCELONA






Numa altura em que muitos são aqueles que viajam para paragens distantes para passar o ano em grande estilo, aqui fica um exemplo de um hotel a visitar no próximo ano de 2010: o Hotel Mandarin Oriental de Barcelona.

Decorado pela famosa designer de interiores catalã Patricia Urquiola, este hotel traz à Europa o luxo e o requinte oriental, mas com um certo "twist" ibérico. É um cruzamento de sobriedade europeia com sedução oriental em ambiente de design latino e encantador.

Neste último dia do ano, não poderíamos deixar de lhe dar uma sugestão de boa arquitectura de interiores a visitar no próximo ano que dentro de horas começa ... Bom Ano de 2010!

BENETTON DE NEVE


No último dia do ano sugerimos em conjunto com a Undercolors of Benetton, uma peça que a vai deixar desfrutar do melhor que o Inverno tem.

Este casaco, cor de neve, em lã de alta qualidade que caracteriza os produtos da marca, e com mangas em formato de balão, vai deixá-la bem quentinha neste Inverno frio.

Sinta-se uma verdadeira rainha, com estilo Benetton e por apenas 39,90€ nas lojas da marca!

A OPTIVISÃO OLHA POR SI


Os óculos estão na moda é um facto, mas nem tudo nos fica bem por isso é preciso escolher de acordo com o nosso estilo e de forma a apostar no nosso olhar e no de quem mais gostamos.

A Optivisão sugere marcar a diferença nos seus óculos, com as marcas exclusivas que tem para oferecer aos seus clientes. Entre elas a x-IDE, cuja armação ronda os 199€ e pode ser adquirida em qualquer loja do grupo.

A rede Optivisão conta com cerca de 260 lojas, entre as quais 11 lojas próprias, garantindo uma cobertura de todo o território nacional.

ESTAÇÃO MULTIMODAL






Numa cidade que, pela sua dimensão e população, está perto do caos babilónico, como é a Cidade do México, os arquitectos locais da CC Arquitectos criaram uma estação multimodal que pela sua dimensão e desenho espacial é uma autêntica metáfora de massagem entre meios diferentes de transporte.

Volumes de grandes dimensões escondem infra-estruturas logísticas que quase se tocam, criando "desfiladeiros" por onde milhares de pessoas por dia passam a caminho dos seus destinos.

Desfiladeiros urbanos que conduzem os passageiros a outros transportes, por meio de halls, escadarias e corredores contemporâneos e minimais. Uma realidade brutalista contemporânea para um local de passagem entre locais do quotidiano

Numa época de passagem como esta ... esta é uma obra de arquitectura bem adequada!

UMA MESA DE PAREDE


Esta é uma ideia espectacular principalmente para quem tem casas pequenas e onde o espaço é preenchido com muito cuidado. Claro que o conceito em si não é original, mas a dupla funcionalidade dada já o é!

A "Picture" ou "Mirror Table" é uma mesa e um quadro ou espelho ao mesmo tempo. Quando está recolhida funciona como um destes dois sem que se percaba o que é na realidade. E quando é colocada para baixo, é uma mesa que dá para 3 pessoas comerem à vontade.

Cada moldura/mesa mede 130x85x78cm e pesa cerca de 20 kg. São feitas em madeira e aço inox, e o seu preço ronda os 1.140 euros!

ECLAIR BRIGITTE BARDOT


O famoso e mítico traiteur de Paris Fauchon acaba de lançar neste final de ano um bolo bem ao jeito de gulodice de culto: o Eclair Brigitte Bardot.

Depois de no ano passado ter lançado uma técnica revolucionária que permite a impressão em chocolate de imagens com uma qualidade e resolução de grande qualidade, este ano este gourmet de luxo lança uma homenagem a uma das actrizes fetiche mais míticas do cinema francês.

Uma loura pecaminosa, dos idos anos 70, volta a fazer parte do culto dos mais informados deste inicio da segunda década do novo milénio,

Por apenas seis Euros, em pleno nº 26 da famosa Place de la Madelaine, a gula sofisticada pode ser satisfeita!

NÚVEM LONDRINA EM VERSÃO OLÍMPICA






O engenho e a criatividade humanas nunca deixam de surpreender!

O melhor exemplo de articulação entre arquitectura, engenharia, ecologia e futurismo formal e espacial faz parte das propostas para espaços olímpicos pada Londres 2012: é a "The Cloud".

Esta "The (Olímpic London) Cloud", proposta para se situar mesmo ao lado do estádio olímpico, pretende ser um dos pontos de observação priveligiados da zona olímpica e combina tecnologia (de aproveitamento de energias limpas das mais diversas fontes) a uma estética inovadora e desafiante dos esíritos mais incrédulos.

Vento, Sol, Água e Pessoas serão elementos essenciais para o funcionamento correcto desta estrutura. Insuflável e flutuante a The Cloud foi pensada e idealizada por uma larga rede de instituições e criativos, coordenada pelos arquitectos da Atmos Architecture.

A transparência e a leveza desta nova núvem londrina, são não só futuristicamente desafiantes como esteticamente estimulantes!

CRUZE AS PERNAS E SENTE-SE


Não resistimos a mostrar esta peça de mobiliário que mais parece uma obra de arte, mas cujo design não deixa de a tornar numa cadeira super confortável!

Desenhada pelo designer Vladimir Tsesler é a originalidade numa peça só. Esta cadeira faz o que todas as pessoas fazem quando se sentam, ou seja, tem as pernas da frente cruzadas.

É caso para dizer: Cruze as pernas e sente-se. Seja como for, numa sala ou num quarto é definitivamente um "must-have" que pode encontrar aqui.

A PLIAGE ANIMADA DA LONGCHAMP


Inspirada pela colecção Ready-to-Wear Primavera/Verão 2010, apresentada na Semana da Moda de Londres, Jeremy Scott colocou mais uma vez o seu cunho inimitável na mala Le Pliage, o ícone da Longchamp.

Pequenos ossos brancos a entrar e sair de forma divertida de uma mala de lona em tons rosa pastilha, é exactamente o que Jeremy Scott fez para esta estampagem neo-pré-histórica que representa o tema dos "Flintstones" no desfile de Londres.

Esta edição é limitada e está disponível nas lojas da Longchamp desde meados de Dezembro por 182€. Não perca esta pliage animada!

LE REVEILLON NO ATENEU DO PORTO


Uma casa mágica, uma marca de Champagne a patrocinar, o requinte das festas do Norte ... que mais se pode querer para passar de ano em grande estilo?

É esta a proposta de um conjunto de RPs da capital do Norte. Teresa Assunção, Joana Ferraz, Hugo Dias, António Casanova, Sónia Guimarães e Cláudia Albite uniram-se ao Champagne Tattinger e prometem uma noite mágica, exclusiva e cheia de estilo, digna de uma passagem de ano memorável.

Os preços podem incluir um delicioso jantar e uma simpática ceia, ou apenas entrada na festa.

Aqui fica uma proposta para a última noite do ano.

DKNY MEN INSPIRA-SE NA CIDADE


Nova Iorque atrai um certo estilo de homens. Homens que têm uma energia intensa e adoram desafios criativos. Homens que gostam de viver ao limite e têm uma enorme paixão pelo desconhecido. Verdadeiros espíritos rebeldes. DKNY, a marca genuinamente Nova Iorquina, apresenta um novo aroma para homem tão icónico como os edifícios de Manhattan.

DKNY Men é inspirado em tudo o que a cidade tem para oferecer. A energia advém de um toque de bergamota e de tangerina, que nos seduz de imediato. Junípero e salva transmitem uma frescura semelhante à que se sente quando a chuva cai na cidade. A emoção é transmitida através de notas de pimenta branca e cardamomo. Lavanda, folhas de violeta e jasmim acrescentam sofisticação ao aroma. Uma sensação luxuosa e masculina é transmitida pela presença de lírio e de vetivéria.

O design do frasco deste perfume foi também inspirado no Flat Iron Building, um marco icónico da cidade. O vidro cinzento do frasco evoca a sofisticação de uma fotografia a preto e branco. Na embalagem exterior de cartão é possível ver uma imagem antiga da cidade na qual se distingue o Empire State Building.

O novo aroma DKNY Men complementa, de forma perfeita, o mundo do homem DKNY. Este homem não tem medo de viver de acordo com o seu próprio estilo. Tudo no seu mundo é versátil e eclético.

PAIXÃO DE CHUVA


Se a época de Natal é amor, nada melhor que este chapéu de chuva em formato de coração, para nos relembrar! Um guarda-chuva como este, criado pelo sempre inovador estúdio russo Art Lebedev, vem bem a calhar nestes dias frios e chuvosos.

O "Heart Umbrella" é feito em várias cores e vai certamente ajudar a conquistar paixões para o novo ano que está quase a chegar! Custam 60 dólares cada e pode encomendar aqui.

Não fique à chuva, excepto se a mesma for de paixão!

LUZES NA PAISAGEM





É uma das mais originais, bem conseguidas e inovadoras ideias de arquitectura de intervenção no território que temos encontrado nos últimos tempos: a Lightsails.

Projectadas pelos austríacos Söhne & Partner Architekten, estas torres de iluminação pensadas para as margens do lago Millstätter, são uma obra com duas dimensões de escala.

Por um lado, cada objecto/vela é pensada per si, enquanto que o seu conjunto as torna coerentes num macro território. Apreciar e usufruir da beleza natural desta paisagem protegida, sem deixar o conforto da boa arquitectura e a contemporaneidade artística destas esculturas luminosas, são os dois aspectos funcionais positivos desta intervenção. Melhor ainda é o sistema luminoso (formado pelos feixes de luz que saem de cada torre/vela) que liga arquitectónica e artisticamente as várias povoações que se situam na margem deste grande lago e onde se situam estas estruturas.

Boa arquitectura com excelentes resultados neste primeiro dia pós período natalício e mesmo à beira do final do ano de 2009.

HAVAIANAS DE INVERNO


Um fã de Havaianas, decide escrever ao serviço de clientes das Havaianas por querer usá-las o ano inteiro, mas com dúvidas de como o poderia fazer na época de Inverno. Como resposta, as Havaianas decidem ir rumo aos Alpes Franceses fazer alguns testes em condições extremas e terminar com a mais radical de todos num local único, cheio de gelo - a pista olimpica de Bobsleigh na estância de La Plagne, a mais longa da Europa e a única em França ... (neste local foi rodado o filme Rasta Rockett, e o actor principal é o campeão françês de skeleton).

Mensagem desta brincadeira: as Havaianas podem se usar todo o ano, da praia às montanhas, sobre a areia ou sobre a neve, não importa onde, será sempre Verão com as Havaianas.

Definitivamente, depois da acção no Rio de Janeiro que aqui trouxemos antes dos Natal, pode-se dizer que as Havaianas são verdadeiramente uma marca global, com uma estratégia mundial e adptadas a todos os públicos, épocas e gostos!

ESPECIAL | AS ORIGENS DOS SÍMBOLOS DO NATAL - A ÁRVORE DE NATAL


Tal como prometemos ontem, nestes dias da quadra natalícia traremos aqui a história que rodeia quatro dos símbolos do natal. Começaremos pela mais popular: a árvore de Natal.

Até este símbolo mundano da festa mnatalícia contemporânea tem uma lenda religiosa por detraz. Reza a lenda que na noite do nascimento de Jesus, todos os seres vivos, tanto flora como fauna, vieram a Belém com presentes.


Mas o pequeno abeto não tinha dom e estava tão cansado que não podia resistir quando as grandes árvores o empurraram para o fundo e o esconderam da vista do menino recém nascido. Foi então que um anjo que estava nas proximidades teve pena e mandou um aglomerado de estrelas para vir e descansar sobre os galhos delicados desta pobre árvore.

Quando o Menino Jesus viu esta linda árvore iluminada, ele sorriu e abençoou-o, declarando que, doravante, abetos sempre devem ser enfeitados com as luzes no Natal para agradar às crianças.


Independentemente das histórias e lendas, este costume tem uma origem verdadeira. Muitas vezes as pessoas perguntam-se de onde sugiu o costume de ter uma árvore em casa durante a época do Natal. Provavelmente nunca saberemos ao certo. Mas existem vários indícios históricos que apontam que esse costume veio e nós fomos investigar para trazer aqui aos nossos leitores.

Há milhares de anos atrás, várias civilizações e culturas acreditavam que as árvores que permaneciam sempre verdes eram mágicas. Para este facto contribuia o facto de mesmo no pico do Inverno, quando todas as outras árvores e vegetação estavam despidas da sua folhagem, os abetos sempre permaneciam fortes, viçosos e verdes.


As pessoas começaram a encara-los como símbolos de vida e como um sinal seguro de que o Sol e a Primavera voltariam. Velas (ou a luz elétrica que usamos para enfeitar as nossas árvores actualmente) são também um símbolo antigo. Elas representam a luz da Primavera e da vida que triunfa sobre a escuridão do Inverno e da morte.

Na Roma antiga, as pessoas decoravam as suas casas e os seus templos com vegetação verde durante uma festa especial que se celebrava em Dezembro. Nenhuma batalha podia ser travada, as escolas eram fechadas e em todos os lugares as pessoas juntavam-se e ofereciam presentes uns aos outros.


Então e quando e como é que a árvore de Natal entrou para dentro de casa?

Diz a lenda que a tradição foi iniciada por Martinho Lutero na Alemanha. Ele era um monge e reformador da Igreja que viveu entre 1483 e 1546. Segundo a lenda, Lutero estava de volta a casa numa noite de Inverno, quando viu as estrelas brilharem no céu através dos ramos da árvore. Lutero ficou impressionado com a visão e, quando ele chegou em casa, ele estava ansioso para contar a sua família o sucedido. Para ajudá-los a entender, ele foi para a floresta e cortou um pinheiro pequeno, trouxe-o para dentro de casa e decorou-o com velas, que representavam as estrelas que tinha visto.


O costume espalhou-se pela Alemanha e de lá todo o mundo.

Seja qual for sua origem, a árvore de Natal é um símbolo que actualmente é muito popular entre todos aqueles que, hoje em dia, celebram o Natal.

Bom Natal a todos!

ESPECIAL | AS ORIGENS DOS SÍMBOLOS DO NATAL - O PAI NATAL


Depois da Árvore de Natal de ontem, hoje trazemos aqui o famoso Pai Natal (Papai Noel em português brasileiro). Chamamos a atenção dos nossos leitores que este texto não é próprio para crianças ... pois desmistifica muitas crenças ...

O simpático Pai Natal é uma figura lendária que, em muitas culturas ocidentais, traz presentes às crianças bem-comportadas. Esta distribuição é feita na maior parte dos países na noite da Véspera de Natal (24 de Dezembro). No entanto alguns têm a mesma tradição mas apenas com uma data diferente - o Dia de São Nicolau (6 de Dezembro).


A lenda pode ter tido a sua origem em parte em contos sobre a figura histórica de São Nicolau. Este é o nome popular de Nikolaos de Myra, um santo grego, bispo de Mira (que viveu entre 270 e 6 de Dezembro de 346 d.C.). A este santo foram atribuidos vários milagres, mas ele também era conhecido como o Fazedor de Maravilhas. É que ele secretamente dtinha o hábito de distribuir pequenos presentes, como moedas, pelos sapatos dos mais necessitados e que deixavam o sapato no exterior na noite anterior ao dia de Natal. Foi daqui que surgiu a tradição dos presentes distribuidos pelo aos bem comportados. A sua transformação em símbolo natalício ocorreu também na Alemanha do Século XIX (à semelhança da Árvore de Natal, tal como aqui referimos ontem).

Enquanto São Nicolau era originalmente retratado com trajes de bispo, atualmente o Pai Natal é geralmente retratado como um homem rechonchudo, alegre e de barba branca vestido com um casaco vermelho com gola e punhos brancos, calças vermelhas de bainha branca e cinto e botas de couro preto. Esta imagem tornou-se popular nos EUA e Canadá no século XIX devido à influência do caricaturista e cartunista político Thomas Nast. Thomas Nast é o primeiro em 1863 a desenhar um Santa Klaus (pai natal em Inglês) gordo e sorridente para a revista Harper's Weekly.


Foi exactamente esta figura que em 1922 a (já naquela altura) muito popular Coca-Cola, decidiu utilizar para anunciar aos seus consumidores que a Coca-Cola não era apenas uma bebida boa para o Verão. Este anúncio, desenhado originalmente por Fred Mizen para anunciar a maior fonte de refrigerante do mundo (de Coca-Cola, claro), localizada no Barr Co. em St. Louis, fez tal sucesso que se manteve o mesmo anúncio da campanha de Natal da marca durante décadas. Ainda hoje, esta famosa marca faz todos os anos uma campanha de Natal com o Pai Natal como figura central.

O sucesso foi tanto, que a figura idealizada por Fred Mizen foi adoptada por todos como a figura do Pai Natal.


Reza uma lenda que Pai Natal mora no extremo norte do Planeta, numa terra de neve eterna. Na versão americana, ele mora na sua casa no Polo Norte, enquanto na versão britânica ele vive nas montanhas de Korvatunturi na Lapônia na Finlândia.

Independentemente de qual a localização, em ambas a tradições o Pai Natal vive com sua esposa Mãe Natal, incontáveis elfos mágicos e oito ou nove renas voadoras. Outra lenda popular diz que ele faz uma lista de crianças de todo o mundo, classificando-as de acordo com seu comportamento ao longo do ano e que entrega presentes, como brinquedos ou doces, a todos os meninos e meninas bem-comportados. Às vezes às crianças malcomportadas, ele entrega carvão.


Toda esta tarefa é feita numa só noite (seja 6 ou 24 de Dezembro, ou 1 de Janeiro, conforme os países). O Pai Natal só consegue este imenso feito anual com o auxílio de elfos (que não só ajudam a carregar o trenó voador, como também fazem os brinquedos na oficina) e das renas que puxam o trenó (cuja rena mais famosa é o famoso Rudolfo).

Actualmente esta é a imagem do mítico Pai Natal, que tantas delícias faz nas crianças do mundo e que tantos adultos convence a entrar no espírito natalício. Uma mistura de religião e de paganismo que torna o Natal contemporâneo bem mais simpático e bem disposto.

ESPECIAL | AS ORIGENS DOS SÍMBOLOS DO NATAL - O PRESÉPIO


Desde há dois anos que todos os dias 25 de Dezembro trazemos aqui a história do presépio.

Sendo a Família o principal símbolo desta quadra natalícia e a Sagrada Família o seu maior expoente, então o presépio é de uma consequência simples e directa.


A sua origem remonta ao ano de 1223, quando São Francisco de Assis construiu uma cena da natividade feita de palha numa gruta perto da cidade de Greccio (no centro de Itália) e usou-a como cenário para a sua Missa de Natal. Esta encenação foi feita pela primeira vez para recentrar o enfoque da população no nascimento de Jesus, em vez da troca de presentes.

Este primeiro presépio foi uma encenação da cena do nascimento de Jesus feita com pessoas reiais e animais vivos, tal como descrito nos evangelhos de S. Mateus e S. Lucas.


O sucesso foi tal que durante 100 anos foi declarado pelo Vaticano como obrigatório que todas as igrejas encenassem as suas próprias cenas da Natividade com figuras vivas. Ao final de um século foi permitida a substituição destas por figuras estáticas. Assim começo a tradição do presépio e assim se explica a sua força em Itália (donde surge a própria palavra "Presépio").

Desde então que a tradição de montar o presépio como centro das atenções da decoração de Natal se tem multiplicado por diversas culturas e épocas. Ao longo dos séculos a encenação ganhou vida e passou a ser uma cena viva, falada e interpretada nas praças e ruas das cidades. Sempre com respeito aos evangelhos e com a ligação à igreja local. Algumas épocas foram férteis em presépios, mas o século que democratizou os presépios por toda a Europa foi o Século XVIII.


Remontando à revolução francesa, quando as igrejas foram todas fechadas, e consequentemente, as suas cenas da natividade proibidas, o artesão de Marselha Jean-Louis Lagnel ganhou popularidade por fazer pequenas figuras de barro, pintadas à mão, que encenavam a cena da natividade. Estas figuras eram de muito pequenas dimensões, (normalmente tinha mais de 2,5 cm e não ultrapassavam os 15 cm de altura). Estes presépios ganharam uma grande popularidade e assim começou a tradição dos Santons (pequenos santos em francês). Estes populares presépios podiam chegar a conter mais de 50 figuras.

Com a revolução napoleónica e as invasões que se lhe seguiram, esta tradição espalhou-se por toda a europa e popularizou-se entre todas as classes sociais. Era uma forma de ter, em cada casa, uma parte da celebração religiosa do Natal.


No século XIX surge uma nova tradição famosa de presépios na Europa: a Szopka. Original de Cracóvia, na Polónia, estes presépios são ricos e têm como grande particularidade substituirem a tradicional caverna ou cabana, por edifícios históricos e monumentais da cidade. Esta tradição deu origem a que os artesãos da altura fizessem verdadeiras obras de arte, que faziam com que as pessoas chegassem a pagar para ver determinadas Szopkas.

Assim desde 1937 (expectuando durante a II Guerra Mundial) a Câmara Municipal de Cracóvia organiza um concurso para encontrar a melhor e mais bonita Szopka, que depois é comprada e exibida no museu municipal.


Verdadeiras obras de arte, antigas e modernas, fazem com que a tradição do presépio ainda hoje seja uma das centrais do Natal. Das igrejas foi para as praças e ruas. Das ruas para as casas, onde ainda se sencontra actualmente.

BOAS FESTAS 2010


Faltam poucas horas para a consoada e nesta altura impõe-se uma mensagem de toda a equipa do blogue para todos os nossos milhares de leitores.

Muito Boas Festas para todos!

Mesmo sendo Natal o ... And This is Reality não pára e portanto amanhã poderão ver aqui mais novidades, nesta quadra, muito natalícias. Durante os próximos quatro dias vamos trazer aqui, possíveis origens de alguns dos símbolos natalícios mais populares em toda a tradição desta quadra.

História das origens dos nossos costumes. Algo que nem sempre pensámos sobre isso, mas que é uma curiosidade bem apropriada para esta época!

NOVA LATA DE COCA-COLA


As preocupações ambientais do século XXI a que a Conferência de Copenhaga tem dado relevo chegam também aos designers e fanáticos da coca-cola de todo o mundo. Agora que ser ecológico está mais na moda que nunca, dois designers encontraram aí motivação para criarem embalagens completamente novas para as latas de coca-cola.

A lata "The Faceted" foi criada por Dzmitry Samal, um designer bielorrusso com sete anos de experiência internacional, professor em Milão. Com formas que se assemelham a losangos, esta nova lata é fabricada através de extrusão por impacto, um processo em que o alumínio é pressionado a alta velocidade para um molde.

Tendo um período de vida mais longo, poupa também energia no seu fabrico, usando um método mais ecológico. Isto sem falar do formato, que é bem mais inovador e moderno daquilo a que estamos habituados.

REFÚGIO FLUTUANTE PARA TEMPO DE INVERNO





Projectado para o meio do Stoney Lake, no Canadá, este refúgio estúdio, encomendado por um fotógrafo aos arquitectos canadianos gh3 é o nosso destaque arquitectónica natalício.

Sendo destinado a um fotógrafo, este refúgio flutuante tem como principal elemento a luz!

Todo feito em vidro, como uma forma de permitir uma iluminação difusa e generosa, este abrigo invernoso, tem um requinte e ma sofisticação na forma como a espacialidade exterior se torna parte do interior, muito grandes.

Melhor de tudo é o facto de ser uma casa flutuante, que pode aportar onde quiser nas margens do lago. Gostamos, recomendamos e esperamos que a sofisticação se estenda ao resto do Natal!