O NOVO EXPRESSO DO ORIENTE | DIRECTO - DIA 07


09:00 O Último Despertar na Selva

É  nosso último dia aqui no Parque natural Way Kambas e mais uma vez despertámos ao som dos pássaros e dos barulhos da selva.

Depois de um pequeno almoço simples fizemos as malas e estamos de saída para o nosso próximo destino: Yogyakarta e os famosos Vulcões de Java.

O dia vai ser passado entre aviões (pois não há voo directo de Bandar Lampung e Yogyakarta, pelo que teremos de voltar à capital e apanhar um outro voo interno. Sempre com a companhia Garuda.

No final do dia de hoje já estaremos num cenário bem distante ... em quilómetros e em realidade social e cultural.

Traremos logo os primeiros detalhes mais logo ... fiquem atentos!


12:00 A Última Experiência em Sumatra

Já fora do hotel, e durante o nosso percurso do duas horas entre o Satwa Eco Lodge e o aeroporto, para além de vermos de novo a estrada que tínhamos feito à chegada (agora com outros olhos, sem qualquer dúvida), e de termos reparado em detalhes das casas, das pessoas e da paisagem, que nos dava a sensação de ser um caminho diferente (o que não era) presenciámos mais um detalhe digno de nota: um Acidente!

Já nos tínhamos perguntado como é que no meio de um trânsito tão caótico, com tanta gente a conduzir sem carta (como nos confirmaram já várias pessoas) e a tão grande velocidade (pelo menos para as estradas em questão), não aconteciam acidentes. Pois acontecem "mas são raros" (explica o nosso motorista).

A meio da estrada, no meio de campos de cultivo parámos e percebemos que tínhamos um grande engarrafamento pela frente. A primeira reacção do nosso motorista foi que a estrada estaria em obras e que só se poderia passar num sentido. Mas como ao fim de algum tempo não andávamos nem passava nenhum carro em sentido contrário, ele saiu do carro e foi ver ... "É um acidente"!

Uma camioneta tinha caído para dentro de um campo de cultivo e a curiosidade dos que passam, mais os que param os carros para ajudar (e diga-se que estava junta uma pequena multidão) fazia o engarramento em ambos os sentidos.

Foi tema de conversa durante algum tempo e percebemos que não é nada habitual acontecer este tipo de acidentes, pois, apesar da forma aparentemente caótica como todos conduzem (carros, camiões, motas ou bicicletas), todos se respeitam bastante.

E lá seguimos viagem para o aeroprto.


19:30 A Longa Viagem até Yogyakarta

Depois de uma longuíssima viagem chegámos a Yogyakarta.

Depois de pagarmos o nosso excesso de bagagem em Bandar Lampung (cujo excesso variou do que tínhamos em Jacarta, não percebemos como) e depois de pagarmos as taxas aeroportuárias (40 cêntimos por pessoa) no controlo de passaportes do pequeno aeroporto (deixamos aqui este aviso, que quando o guarda fronteiriço pede dinheiro é para as taxas aeroportuárias, que aparentemente não estão incluídas no preço dos bilhetes) damos conta que o nosso vôo de Bandar Lampung para Jacarta (onde fizemos escala para Yogyakarta) estava uma hora atrasado ... o que invalidava quase a possibilidade de apanharmos o segundo vôo.

Contactamos a tripulação a bordo do avião da Garuda (cuja simpatia é de louvar) e dizem-nos que vão contactar com o pessoal de terra para não nos preocuparmos que o vôo esperaria por nós.

Ora quando desembarcamos damos conta que o segundo voo está atrasado duas horas (o que nos dá mais do que tempo para a transferência entre portas de embarque), e fomos comer algo no aeroporto.

Chegadas as 17:50 começamos então o embarque do voo em direcção a Yogyakarta e esperamos mais 50 minutos pela nossa vez de levantar vôo (pois o aeroporto tem bastante tráfego). Depois de uma hora de vôo chegamos então ao nosso destino final onde temos o nosso transfer à espera para nos trazer até ao Alamandra Bed & Breakfast onde ficamos alojados.


22:45 O Jantar e o Fim do Dia

Depois de fazermos o check in e de nos instalarmos nos respectivos quartos decidimos jantar por aqui mesmo, pois os jardins deste Bed & Breakfast são demasiado apetitosos para deixarmos de os experimentar.

Assim pedimos ao Frans (o dono do Alamandra Bed & Breakfast) para nos preparar uma refeição de comida Javanesa.

Os pratos que vêm, além de terem excelente aspecto, têm um gosto muito especial ... e "nada tem picante" diz-nos Frans. Agradecemos e deleitamo-nos com esta autêntica refeição de degustação de gastronomia caseira javanesa.

Por hoje ficamos por aqui, pois dentro de poucas horas o nosso dia seguinte começa. Amanhã serão mais de 16 horas de programa, pois vaos acordar antes do Sol nascer, para ver-lo levantar-se em pleno templo de Borubudur ... vai ser um momento mágico que vamos trazer aqui já no dia de amanhã .. Até já!

0 Reality Comments: