ROTA DOS MAHARAJAS EM DIRETO | DIA 17


09.00 Últimos Momentos num Paraíso Chamado RAAS

Foi o nosso último acordar no maravilhoso RAAS Jodhpur Design Hotel.

Depois de uma difícil tarefa de refazer as malas, para poder acondicionar todas as muitas compras que fizemos pelo caminho, rumamos ao pequeno almoço para podermos disfrutar, pela última vez do luxo que é poder tomar um pequeno almoço, à beira de um tão perfeito jardim aromático, e em frente a uma tão fabulosa piscina, de um pequeno-almoço servido com todo o requinte e subtileza, como só os grandes pequenos hotéis conseguem.

Foi com um sentimento de ligeira nostalgia que deixámos este paraíso ... rumo ao nosso próximo e penúltimo destino desta Rota dos Maharajas.


12.30 Os Templos de Ranakpur

Três horas e meia depois, e muitos quilómetros de estrada andados, entramos numa zona de montanha e dirigimo-nos ao nosso próximo destino: os maiores e mais famosos templos Hindús Jainas de toda a Índia - os Templos de Ranakpur.

Este complexo de templos, do sec XV, reúne num só recinto, seis templos, todos eles profusamente e ricamente trabalhados, numa pedra mármore branca candida e quase pura de veios. O templo principal tem mais de uma dezena de cúpulas sustentadas por 1444 pilares exaustivamente esculpidos. A grande curiosidade artística deste templo é que não existem nem duas cúpulas iguais, nem dois pilares iguais, sendo todos peças únicas e de uma qualidade artística absolutamente impressionante.

Estes templos, pela sua dimensão, pela sua grandiosa e espectacular escala e pela sua localização no meio de uma floresta semi-tropical densa, são um complexo impressionante e único ... que valeu (muito) a pena visitar!


13.30 O Almoço no Palácio Deslocado

Logo a seguir à visita dos templos de Ranakpur, paramos no Fateh Bagh Palace para almoçarmos.

Situado no meio desta selva semi-tropical, e num espectacular vale dos montes Aravali, este palacete tem a particularidade de só estar aqui desde 2002. Anteriormente, encontrava-se nos arredores de Jodhpur, quase em ruinas. Foi graças ao actual dono deste hotel, que este foi o primeiro e maior palácio indiano a ser transladado em longa distância (desmontado em mais de 65.000 peças), e remontado no sopé destes montes, totalmente restaurado, recuperando o seu antigo explendor de obra de arquitetura Rajpute.

O almoço foi assim um último adeus a uma cidade que nos marcou profundamente (Jodhpur) e uma introdução ao nosso destino seguinte: Udaipur.


17.00 A Grandiosa Chegada à Cidade dos Lagos

Depois de mais umas horas de caminho, por estradas francamente más, e com um persistente e valente chuva tropical (que deu aso a muitas peripécias, entre as quais passarmos por um grande acidente, ou termos uma motorizada a fazer aquaplanning na nossa direcção), chegamos à bela Udaipur.

A entrada de Udaipur, para quem vem de norte faz-se por umas ruas largas que nos conduzem à alma desta cidade: os lagos.

A nossa primeira ideia de Udaipur ficou imediatamente marcada pelo facto de poucos minutos depois de entrarmos na cidade termos feito a marginal do lago de Fateh Sagar. A impressionante vastidão deste, a sua luxuriante paisagem envolvente e as pitorescas ilhas (cada uma com os seus palácios) que se avistam desta longa marginal, criaram-nos uma imagem muito forte desta cidade. Uma coisa é saber-se que esta cidade é conhecida pelos seus lagos ... outra coisa, totalmente diferente é vê-los ao vivo.

Chegámos à romântica cidade dos Lagos!


18.00 O Trident Oberoi Hotel de Udaipur

Passando o lago Fateh Sagar, bem como o pequeno e mais característico lago Swaroop Sagar, dirigimo-nos ao nosso hotel de hoje: o Trident Oberoi Hotel.

Situado numa das margens do grande e famoso Lago Pichola, este é um dos mais luxuosos hotéis de Udaipur. Com uma propriedade de mais de quatro hectares, com um nível de segurança, que implica a revista do carro e de todas as nossas malas, e com a verificação de nomes na segurança do portão de entrada na propriedade, seguimos então para o que poderíamos dizer ser um verdadeiro hotel digno de encerrar esta nossa muito indiana Rota dos Maharajas.

Com uma arquitetura inspirada nos valores estéticos e nos formalismos e luxos da arquitetura dos históricos palácios de Udaipur, este hotel tem tudo o que se possa pensar ... e ainda mais.

É sem qualquer dúvida um hotel digno dos Maharajas dos nossos tempos!


18.30 O Palácio do Lago

Se há um símbolo da Índia, é sem dúvida alguma o Taj Mahal ... mas logo a seguir vem o mítico Palácio do Lago de Udaipur.

Sendo este o nosso último dia desta Rota dos Maharajas por terras indianas (sim ainda temos mais um dia ligado aos Maharajas ... mas já fora da Índia ... mas disso falaremos amanhã), depois do check in no luxuoso Trident Hotel de Udaipur, vamos diretamente para o Lago Pichola para apanharmos um barco e visitarmos (por fora, pois por dentro só para hóspedes) o inigualável e magnétivo Palácio do Lago de Udaipur.

Infelizmente chegamos tarde demais, pois o último barco que saiu para esta visita foi às 18.00h ... pelo que ficamos nos cais de onde saem os barcos a apreciar (infelizmente à distância) durante largos minutos esta pérola da arquitetura palaciana mundial com uma iluminação de pôr do sol, como só os momentos mágicos o conseguem.

Foi uma das visões mais marcantes de toda a viagem ... que nunca poderemos esquecer!


21.00 O Jantar no Palácio dos Maharajas

Não poderíamos finalizar esta Rota dos Maharajas, por terras indianas, sem um jantar num autêntico e impressionante Palácio de um Maharaja.

Por este motivo escolhemos o Terrace Restaurante, do Palácio Fateh Prakash.

Situado na margem mesmo em frente ao Palácio do Lago, esta residência real, do início do sec XX (agora transformada em Hotel), encontra-se integrada um num complexo real que conta com quatro palácios, dentro de um único forte, constituindo-se assim como o maior complexo real de todo o Rajastão.

O Jantar foi soberbo: com uma mesa situada num dos terraços exteriores dianteiros ao fenomenal Palácio do Lago (que estava iluminado com archotes ... o que ainda lhe acrescentava mais encanto), a comida excepcional e o serviço irrepreensível ...  foi um momento de perfeição, que transformou este último jantar indiano da Rota dos Maharajas, na apoteose de toda uma viagem inesquecível.

Porque amanhã apanhamos os aviões de volta ... temos de nos ir deitar cedo ... mas uma surpresa ainda nos aguarda ... e mais um destino ainda nos espera, nesta Rota dos Maharajas, antes de regressarmos a Lisboa ... por isso amanhã não percam este misterioso ponto final desta luxuosa, opulenta, aventureira e inesperadamente inebriante Rota dos Maharajas!

0 Reality Comments: