O NOVO EXPRESSO DO ORIENTE | DIRECTO - DIA 03


09:00 - A Primeira Imagem

O primeiro dia aqui em Jacarta começa cedo ... e o primeiro sinal disso é que quando marcámos o despertar com a recepção recebemos uma pergunta do funcionário de serviço "At 8:30 Sir?" ... sim tinhamos a certeza, pois precisávamos dormir depois de tantos aviões e jetlag.

Quando acordamos estamos num quarto no 33º andar, com uma deslumbrante vista sobre esta imensa cidade (esta foto foi tirada de um dos nossos quartos).

Torres no meio de bairros a perder de vista, céu azul e uma deslumbrante luz tropical esperam-nos neste primeiro dia de O Novo Expresso do Oriente. Venham as primeiras aventuras orientais!


11:00 - A Istiqlal

Depois de um pequeno almoço reforçado, encontrámo-nos com o nosso contacto cá em Jacarta para então conhecermos esta que é a maior cidade muçulmana do mundo.

Assim sendo começámos, obviamente pela maior mesquita da cidade: a Istiqlal. Esta mesquita construída nos anos 1970's é uma gigantesca construção de arquitectura modernista em pedra e aço inóx, com uma delicadeza e uma suavidade que amenizam a sua emorme escala.

As regras da visita obrigam a que, obviamente se entre descalço e a que as mulheres e os homens não estejam nos mesmos locais durante a oração. E assim foi!


11:30 - O Imponente Monas

Mesmo ao lado da grande mesquita fica o Monumento Nacional ... ou muito simplesmente: o Monas.

Esta gigantesca torre fica no meio da praça central de um parque adjacente à grande mesquita e mesmo ao lado do palácio presidencial.

A sua escala e, mais uma vez, a sua estética modernista dos anos 1970's tornam-se o centro da atenção desta visita ... bem como toda a diversidade das cores e dos ornamentos das motas e vestes das pessoas.

Porque estamos a poucos dias do Feriado Nacional da Independência, toda a principal alameda deste parque (que liga a mesquita, ao Monas e ao Palácio Presidencial) estava engalanda com as bandeiras nacionais.


12:00 - A Cidade Colonial

Depois de deixarmos o Monas para trás, e antes de almoço dirigimo-nos para o centro da cidade antiga da cidade de Jacarta.

Com edifícios ainda do tempo da ocupação holandesa, este bairro junta um conjunto de museus e edifícios oficiais com uma arquitectura colonial bastante interessante.

Mais do que a visita ou o passeio pelas ruas, o interesse está no conjunto arquitectónico e no ambiente de ligeiro caos organizado que estas estreitas ruas proporcionam.


13:00 - Sabores da tão Próxima China

Chegada à hora do almoço dirigimo-nos para a muito concorrida Chinatown de Jacarta para provarmos algumas das iguarias mais exóticas desta que é actualmente a maior comunidade estrangeira da capital indonésia.

O restaurante escolhido foi o restaurante Bubur. A escolha dos pratos ficou ao critério do nosso excelente anfitrião, que nos pediu uma exótica sopa de arroz de tartaruga com bróculos e frango e massa fruta.

A mistura assuta à partida, mas a experiência gastronómica é interessante, pois o nível de exotismo dos sabores é tão grande que uma estranha sensação de descoberta se apoderou de nós.


14:30 - Portugal e a Cristandade Indonésia

Saídos de um animado repasto e de uma simpática conversa sobre a cultura indonésia e sobre os seus costumes rumámos a outro local simbólico da capital: a primeira igreja católica da cidade.

Foi com grande satisfação que o Jaka (o nosso incansável e simpatiquíssimo novo amigo de Jacarta) nos anunciou que esta não só era a mais antiga igreja católica da capital, como também tinha sido construída por missionários portugueses, dando origem à terceira segunda maior comunidade religiosa da Indonésia e da Cidade.

Foi não só simpática, como também muito curiosa esta visita, pois comprova que muita da influência de Portugal chegou e ainda hoje é reconhecida por muitos locais do mundo onde não suspeitamos que ela tenha chegado, quanto muito que ainda actualmente seja reconhecida.


15:00 - O Bairro da Nova Classe Média

Desde o centro histórico rumámos até um dos dois bairros chiques da cidade: Kebayoran.

Neste bairro de ruas com bastantes árvores, o que domina é a construção de moradias, com bons jardins, ocupadas por uma muito recente classe média em ascenção.

Aqui já se nota uma tranquilidade digna dos bairros residênciais endinheirados. A tipologia de casas, não sendo ostentatória, revela já um poder económico interessante por parte dos seus donos.

É bastante interessante andar de carro nestas tranquilas ruas e perceber que a mudança sociológica e urbana nesta gigante cidade se está a operar a olhos vistos, mas de uma forma mais súbtil do que o que se imaginaria (pois nós estávamos à espera de encontrar gigantescas áreas de construção, com muitas obras de arquitectura emblemática e impositiva ... assim não é).

Esta é uma forma de regeneração da cidade antiga para padrões modernos, servindo assim de centro ao quarto país com maior crescimento no mundo.


16:00 - O Bairro das Embaixadas

Mas logo a seguir a uma volta pelas ruas do Kebayoran, rumámos então até ao bairro das grandes e mais caras residências de Jacarta: o Menteng.

Aqui não só existem várias ruas privadas (que não se podem entrar a não ser por convite dos residentes e com segurança privada), como estão situadas as grandes residências dos embaixadores em Jacarta.

Os muros são altos, as propriedades têm dimensões gigantescas e o ambiente que se respira é de ainda maior exclusividade. Um dos aspectos que nos chamou a atenção é que neste bairro até os varredores de rua são privados e têm uma farda especial.

É um bairro onde se nota luxo e dinheiro ... sem qualquer problema de ostentação!


17:00 - A primeira loja na Indonésia

Estava na hora de pararmos na primeira loja deste nosso Novo Expresso do Oriente ... e fomos até à Kunstkring Paleis.

Situada numa das casa deste muito exclusivo bairo de Menteng, este autêntico palacete de estilo colonial foi transformado numa padaria, num restaurante (com uma decoração absolutamente de tirar o fôlego) e uma loja de antiguidades e peças dignas das melhores lojas do ocidente.

Aqui não pudémos deixar de demorar algum tempo e de admirar algumas das grandes peças que aqui existiam ... sem resistimos a fazer a nossa primeira compra - uma antiga e muito tradicional marioneta de Java Ocidental.

Sendo o teatro de marionetas bastante tradicional em Java (a ilha onde se situa Jacarta) existem vários tipos de marionetas (sendo as mais famosas as de Java central, quase bidimensionais e feitas em pele de vaca pintada). Mas as marionetas de Java Ocidental são bastante tridimensionais, feitas em madeira esculpida e prodigiosamente e minuciosamente pintadas e com vestes de pano.

Foi uma primeira visita a uma loja que não nos deixou sair de lá sem um saco nas mãos!


18:30 - O Grande Centro de Negócios

Depois de uma demorada visita à loja, ao restaurante e à padaria gourmet, rumámos ao grande centro financeiro de Jacarta - o Setiabudi.

Aqui, como em qualquer grande cidade de negócios reinão os grande arranha céus ocupados por grandes bancos e grandes companhias.

As avenidas são largas, as rotudas têm modernos monumentos e o ambiente que se vive é de uma capital financeira mundial, com grandes centros comerciais, repletos das maiores marcas mundiais, como a Chanel, Louis Vuitton ou a Prada.

Apesar de ser Domingo e como tal todas estas torres da nova finança asiática estarem adormecidas, nota-se a potência financeira desta capital de mais de 23 milhões de habitantes.


20.00 - O Pôr do Sol no Tecto da Cidade

Foi mesmo a tempo de apreciar o pôr do sol que chegámos ao Skye.

Depois de cerca de 20 minutos à procura de um lugar de estacionamento num gigantesco parque de estacionamento da torre The Menara BCA (uma das mais altas torres de Setiabudi), subimos ao piso 57 andar e estamos num dos locais mais trendy e espectaculares da cidade: o bar loung Skye.

Aqui o ambiente que se respira é de uma enorme sofisticação. O cruzamento da urbanidade e da coolness de Nova Iorque, encontram-se com a simpatia e o exotismo em formato tropical do sudueste asiático, garantindo um resultado absolutmente arrebatador.

Mas o mais espectacular é ainda a vista de cortar a respiração que se tem sobre a imensa cidade de Jacarta.

Foi aqui que ficámos a ver o Pôr do Sol sobre uma paisagem urbana impressionante, a degustar umas bebidas frescas, neste final de tarde de 30º C e cerca de 80% de humidade.


21:30 - O Jantar

Depois de um inicio de noite absolutamente fabuloso estava na hora de jantar, pelo que nos dirigimos para o restaurante Bumbu Desa, em plena rua Cikini Raya (72).

Aqui tivemos a oportunidade de, num ambiente sofisticado e sem um único ocidental à vista, degustar algumas das melhores e mais delíciosas iguarias tradicionais da rica gastronomia de Java Ocidental.

Os sabores são intensos (não eram picantes pois pedimos expressamente sem picante, mas o nosso Jaka não resistiu uns molhos picantes para ele, dos quais provámos e comprovámos que o picante para os orientais não é o mesmo que o picante para os ocidentais ... é muitíssimo mais forte), a diversidade de cheiros é imensa e as cores e texturas são captivantes.

Uma das melhores particularidades deste jantar foi que comemos da forma tradicional: com as mãos. Este restaurante tem talheres à disposição de todos, mas poucos são aqueles que os utilizam, pois este tipo de comida é pensado para e degustado com ... os dedos.


23:00 - O Mercado Nocturno

Acabada esta refeição e para acabar o dia onde começámos, voltámos à cidade típica e do dia a dia de muitos milhões de jacartenses: voltámos a China Town (onde almoçámos) e onde à notie o mercado nocturno de comidas transforma a rua num autêntico festival exotico e popular.

As ruas que de dia estavam relactivamente sossegadas, despertaram e encheram de trânsito e de gente, que circula em todas as direções (num sistema de caos organizado). Muitos carros, centenas de motos e milhares de pessoas circulam pelas faixas de rodagem, dando lugar nos passeios a um autêntico festival de gastronomia oriental, e muito popular entre os habitantes desta gigante metrópole oriental.

A babel de cores, formas, luzes, esplanadas improvisadas e vendedores de rua fazem deste o local ideal para encerrar este primeiro dia do nosso Expresso do Oriente, deixando a curiosidade para todo um mundo diverso, estranho, exótico e fascinante que vamos percorrer e descobrir ao longo dos próximos dias.

Assim daqui voltamos ao hotel, com planos para amanhã continuar a nossa descoberta ... desta vez pelos arredores de Jacarta e pelos seus palácios e jardins.

Por agora dormimos ... mas dentro de algumas horas (não muitas, neste caso) teremos novamente mais uma etapa deste Nvo Expresso do Oriente!

0 Reality Comments: