O MAIS POP GLAM POSSÍVEL

A Coleção da Moschino chega à HM.

O NATAL JÁ ESTÁ A CHEGAR

A Disney leva o Quebra Nozes ao Grande Ecrã!

SIZA E O MUSEU VERMELHO

Siza Vieira desenha um novo Museu na China!

POWER LUNCH COM ESTRELA MICHELIN

Eleven estreia menu mais económico e desenhado para homens de negócios!

O NOVO BRILHO DA LUZ

Tom Dixon cria candeeiros ainda mais cristalinos!

VÄLGÖRANDE É NOME DE IKEA+DESIGN CONSCIENTE


O Ikea estabelece parcerias com empresas sociais de pequena escala. Estas parcerias permitem que esta multinacional consiga ter uma relação consciente com o mundo. Mais do de correta, esta é uma postura que cria negócio e sustentabilidade, mas apoiando comunidades, revitalizando técnologias e tradições e respeitando ambiente, pessoas e culturas.

Välgörande é a última coleção de edição limitada do Ikea que segue esta lógica de nova economia socialmente consciente. Esta colecção, que chega às lojas já agora em Outubro, inclui têxteis tecidos à mão, cerâmica moldada e acabada à mão e artigos em papel feito à mão. As mãos que fazem esta colecção especial pertencem a muitos artesãos habilidosos do Projeto de Desenvolvimento Doi Tung, uma empresa social que trabalha para proporcionar trabalhos dignos, escolas e cuidados de saúde a toda uma comunidade na Tailândia.

 

Durante 6 anos, o Ikea e a Doi Tung trabalharam em parceria para criar peças exclusivas feitas à mão que combinassem o design moderno e o artesanato tradicional com um objetivo social de criar emprego. Mas esta coleção também tem a colaboração de um novo empreendedor social na Roménia. A taça com colher e a colher para mel, ambas em madeira e feitas à mão, são o resultado de uma nova colaboração com a MBQ e com artesãos habilidosos do povo Rom na Roménia.

Para nós, se o Ikea já é sinónimo de bom design, esta colecção é Välgörande simplesmente o nome de um bom negócio!




CONVERSAS COM TOMATES


A primeira edição foi no ano passado e este ano voltam estas conversas no feminino com mulheres (e homens ligados a mulheres) do mundo da gastronomia: as Mulheres com Tomates.

Este ano o tema são "As Sementes" e realiza-se já no próximo dia 9 de outubro, pelas 18h30, na Second Home, mesmo ali no muito lisboeta Mercado da Ribeira. À semelhança do ano passado, a entrada é livre mas os lugares são, obviamente, limitados. Assim é preciso fazer um registo prévio no site da organização.


Para dar conta destas sementes o painel de convidados conta com um painel de luxo - Joana Sarrazy (produtora da Quinta do Poial), Joy Jung (proprietária do Vila Joya), Leonor Freitas (produtora da Ermelinda de Freitas), Leopoldo Calhau (Chef), Madalena Motta (Produtora dos Chás Gorreana), Niccolò Corallo (chocolateiro da Bettina & Niccolò Corallo) - e todos vão debater o que é fazer parte de uma geração que pegou no negócio da família, inspirado pelas mulheres do seu passado e pela sua atitude e garra. A moderação da conversa está a cargo de nossa muito querida Sandra Nobre.

Vale a pena ir ouver estas Conversas de Mulheres com Tomates!

CONVENTE GARDEN ESTÁ NOVO COM A RENOVADA ROYAL OPERA HOUSE


É uma das obras de arquitetura mais aguardadas deste ano: a renovação da Royal Opera House.

A famosa ópera londrina de Convent Garden acaba de revelar-se ao público renovada segundo a subtileza e mestria do traço do arquitecto Stanton Williams. Ao fim de três anos de obras cirúrgicas, feitas com o edifício em contínuo funcionamento, a mítica sala de ópera revela-se mais aberta ao público, mais jovem e contemporânea, mas sempre respeitando a sua arquitectura original e o glamour da sua traça original.






Com esta nova intervenção, a sala principal guardou toda a sua solenidade, com uma intervenção bastante minimal no estilo, mas de excelência na funcionalidade e na capacitação técnica da sala, quer em termos de visibilidade, acústica mas também em termos de conforto dos espetadores.

Mas as principais diferenças notam-se ao nível das novas entradas de Convent Garden Plaza e de Bow Street e dos foyers e corredores de circulação. Agora as entradas estão abertas, transparentes e permitem ao público entrar, quer seja para um espectáculo, para ir à loja ou apenas tomar um café no novo restaurante ou na nova esplanada e os foyers contemporâneos e tranquilos, por forma a dar a solenidade ao momento de um intervalo mais agitado, como sempre são os intervalos das óperas e bailados da Royal Opera House.





Esta é uma obra de arquitectura notável e que merece uma visita de todos os amantes da arquitectura contemporânea ... porque aqui a delicadeza é a palavra forte, e o respeito pela pré existência, mas a segurança do gesto arquitectónico contemporâneo a nota dominante!





Fotos: Hufton+Crow

POSTER VOLTA ÀS RUAS DE MARVILA


Já vai no terceiro ano e este ano está maior do que nunca: estamos a falar da Poster.

Esta mostra de ilustração e design gráfico começou em 2016 com uma proposta disruptiva e desafiante que era criar um evento urbano baseado em posters de grandes formatos que estariam em exposição pelo bairro de Marvila. Teve uma excelente adesão, voltou a mostrar-se no The Pitch Market desse ano, e ganhou fôlego, criando assim uma segunda edição em 2017. Ora chegamos a 2018 e a poster volta às ruas e aos recantos de Marvila mais forte do que nunca.

De 29 de setembro a 29 de outubro, a POSTER vai apresentar o trabalho de nomes conhecidos nacionais e internacionais, das áreas culturais e artísticas, num conjunto de 30 posters, nas ruas daquela que se impõe como uma das novas zonas criativas de Lisboa.

Este ano, expostos nas paredes de Marvila estarão posters de nomes tão sonantes e diversos como o fotojornalista Adriano Miranda, os músicos Dead Combo, o ilustrador C.W. Moss, o realizador André Ruivo, a poetisa Paula Cortes, o street artist Rukkit, ou o arquiteto e performance Tomaz Hipólito.

Estes são alguns dos autores dos Posters deste ano de 2018 ... e acreditem em nós: esta é uma edição a não perder!

BENETTON PROPÕE UM INVERNO LONDRINO


A muito italiana marca de moda United Colors of Benetton acaba de lançar a sua coleção de Outono Inverno e uma das inspirações chave desta estação é a vibrante capital de sua majestade.

Esqueçam o nevoeiro e o cinzento da cidade, porque a Londres da Benetton tem muita cor, texturas e padrões. Com as suas linhas simples e essenciais, a coleção é composta por malhas em caxemira, personalizadas com o histórico logótipo da marca e ainda por sweatshirts, tudo coordenado com uma linha de acessórios caracterizados com o estilo Benetton dos anos 80.




Diretamente inspirada no estilo countryside, com esta coleção o património visual da Benetton e as suas “peças históricas”, desenhos e uma paleta de cores que remetem para as campanhas publicitárias que fazem parte do arquivo da marca, ganham novos significados e uma identidade bem britânica e muito campestre.

A campanha é muito boa, a proposta visual e de estilo é refrescante e a Benetton ganha assim um novo estilo ... sem deixar de ser a Benetton de que todos gostamos!




THE PITCH MARKET LISBOA 2018 - OS CINCO PONTOS DE BALANÇO DESTA EDIÇÃO


O The Pitch Market Lisboa 2018, o principal evento do ano no Design nacional acabou este passado domingo, e nós, depois de tanto destaque e envolvimento, não poderíamos deixar de fazer um balanço.

O primeiro dos balanços é que a alteração de local do Terreiro do Paço para o Passeio Ribeirinho de Belém, mesmo ao lado do Padrão dos Descobrimentos, mudou bastante o ambiente do evento. Deixou de ser tão urbano, e passou a ter um ambiente mais relaxado, de feira profissional mas aberta ao público em geral, criando assim uma identidade própria, desligada da sua localização, e assumindo-se como o evento único e importante que é.

O segundo aspecto deste balanço da edição de 2018, é que, apesar dos contratempos na abertura e na construção das Pitch Stores, esta foi uma aposta ganha, pois as casas (apesar de não estarem perfeitas) revelaram-se um suporte arquitetónico digno e com personalidade própria, desmistificando o design e recriando-lhe uma aura acessível e próxima do público. Se os contentores foram uma pedrada no charco dos mercados urbanos em Portugal, também estas casas Pitch Stores o são agora, pois são despretensiosas, com áreas adequadas e muito fotogénicas, o que nesta era da fotografia digital e das redes sociais, é uma característica que as torna altamente bem conseguidas.


Outro aspecto de relevo desta edição foi o reencontro que se tornou possível neste evento com marcas de grande qualidade como sejam a divertida So So Store (de brinquedos de criança), a única ilustradora Dai, o mais tradicional Atelier do Burel, a incrível Projeto Tasa ou a mais tecnológica, mas um absoluto sucesso de vendas, e uma das melhores marcas de design nacional Egg Electronics. Estas marcas estão desaparecidas no nosso radar ao longo do ano, e é aqui que dão a conhecer ao mundo do design para Casa e Decoração, uma vez por ano as suas novidades. É bom reve-las neste evento anualmente e conseguir perceber a consistência do seu trabalho.

Mas se há reencontros há também regressos que são de saudar, como são os do Designer Hugo Ribeiro, que depois de ter participado na edição de 2015, agora voltou com uma gama de candeeiros e de objetos bem mais forte e madura. Mas também o regresso da Cria Design é um dos nossos pontos positivos deste balanço. São dois regressos ao The Pitch Market que saudamos e que são importantes de aplaudir publicamente ... aplaudir o evento e essencialmente os designers e as marcas por escolherem voltar a este ambiente descontraído, mas de qualidade, para viver e conviver com o design português.


Por último, este balanço não poderia deixar de focar a exposição Electro Domésticos  Revolucionários, que trouxe para a ribalta e para junto do grande público uma coleção privada que estava escondida e é merecedora de estar em qualquer museu do design a nível mundial. Foi uma iniciativa única e cheia de coragem e que trouxe a exposição do The Pitch Market paa outro nível. Digna de um evento de design de dimensão nacional e internacional.

Estes são os cinco pontos que ressaltam como positivos desta edição, que mais uma vez afirmou-se como uma edição de qualidade e de um evento que merece um aplauso generalizado dos profissionais do design, da decoração, da arquitectura de interiores e do público em geral. É difícil fazer um evento com este grau de inovação e de ousadia, e este é nacional e dá-nos muito orgulho vê-lo crescer e amadurecer!

DESIGN DECO E DE BORLA


Com inspiração no movimento da Art Deco americano, a cadeia portuguesa de lojas de decoração De Borla acaba de lançar uma nova coleção que dá as boas vindas ao outono.

Com detalhes metálicos geométricos, veludos e cores abertas, esta coleção inspira-se no famoso movimento arquitetónico e de design do início do século XX, para criar objetos dignos do século XXI, mas com um estilo ligeiramente retro.


Simples, barato e acessível, assim é esta coleção de design português que temos o prazer de trazer aqui no dia a seguir ao encerramento do The Pitch Market Lisboa 2018 (que tanto destaque demos aqui nos últimos dias).

Este é Design português com um toque Deco e o selo De Borla!

THE PITCH MARKET LISBOA 2018 - AS NOSSAS ESCOLHAS


É o maior e mais democrático evento de design em Portugal o que está a decorrer até hoje no Passeio Marítimo de Belém, mesmo ao lado do Padrão dos Descobrimentos: o The Pitch Market Lisboa.

Este é um evento além de ser aberto a todos, ajudando o design português a chegar junto do público nacional e estrangeiro, é também uma oportunidade para num evento descobrirmos marcas nacionais desconhecidas, e fazer-nos apaixonar pelos seus produtos.

Assim, hoje, como um dos principais blogues de design e decoração em Portugal, vimos trazer aqui as nossas cinco escolhas desta edição, que nos fizeram apaixonar ainda mais por este evento.


O primeiro dos destaques é o designer açoreano Afonso Mendonça, que com a sua mestria transforma o magnetismo e a beleza do mar dos Açores em peças de cerâmica únicas e muito delicadas. É sem dúvida uma das revelações deste ano.


Outra das descobertas desta edição é a portuense Musgo, que com a simplicidade e a clareza dos gestos criativos seguros e consistentes, apresenta uma gama de candeeiros que está a dar nas vistas e nos deixou absolutamente conquistados.


A terceira das nossas escolhas de destaque vai para a marca Hibridae, que com os seus linhos e as suas estampagens naturalistas delicadas e sofisticadas, apresentou uma gama de têxteis casa única e merecedora de todo o nosso aplauso.


Mas se estamos de têxteis, então há outra marca que temos de destacar: a Petrus. Esta marca da Covilhã, recria o universo dos antigos bonecos de trapos, mas desta vez num imaginário que é muito próprio da designer Ana Almeida. Sim esta é uma das grandes surpresas desta edição e que nos fez voltar a comprar um ursinho de lã, e um gelado.


E a nossa quinta escolha recai sobre a ceramista Silvia Jácome, com as suas peças únicas, feitas à mão, absolutamente delicadas e contemporâneas, que se apresentam como um dos momentos mais artísticos e mais poéticos de todo o evento.

Não queremos fechar este artigo sobre as nossas escolhas sem deixar os nossos sinceros parabéns a todos os participantes, pois, mais uma vez, a qualidade do design nacional está patente nesta edição do The Pitch Market Lisboa.

2018 apresenta-se como um ano muito bom em termos de qualidade do design português ... e isso vê-se no The Pitch Market!