ESPECIAL FIM DE SEMANA EM TENERIFE | DIA 2



Depois de uma noite muito bem dormida, acordar na Casa de Arona é algo mágico e muito tranquilizante. É como se acordássemos em casa de um parente distante, mas que nos é tão simpático e tão querido, que gostamos sempre de visitar.

O pequeno almoço é então servido na antiga (e actual) cozinha da casa e é tudo feito de forma caseira com os ovos e os crepes ou panquecas feitos ao momento. De resto há a qualidade e o cuidado que não há em muitos hotéis: compota caseira, queijos da região, pão da aldeia, sumos espremidos essa manhã, bolo acabado de fazer e muitas outras opções que fazem desta refeição que optamos por fazer num dos pátios da casa, um verdadeiro despertar de luxo.



Bem acordados e com este pequeno almoço caseiro de luxo,, saímos, entramos no carro e vamos auto estrada fora até ao nosso destino da manhã: a histórica cidade de San Cristóbal de La Laguna.

Situada no interior norte da ilha, esta cidade, que foi a primeira capital da colónia Tenerife, tem no seu centro histórico (classificado pela UNESCO) e nos respetivos monumentos o seu principal atrativo. Assim este passeio matinal que fizemos até às 13h e aos 37º C (sim em Novembro, apanhámos esta temperatura), foi por entre casas senhoriais coloniais, mosteiros seiscentistas e igrejas de impressionar.



Destacamos uma das discretas mas maravilhosas jóias que está guardada por esta cidade: o Mosteiro de Santa Catarina. Com entrada pela estreita Rua Dean Palahi, este antigo mosteiro de freiras de clausura, é um dos melhores exemplares desta arquitetura monástica colonial desta cidade e que se pode visitar.

A austeridade do lado de fora (muros altos e muito poucas e pequenas aberturas) contrasta com a alegria e com a abertura do interior. Actualmente transformado num centro cultural de arte moderna, este mosteiro cruza a tranquilidade com a beleza, numa estrutura arquitetónica muito curiosa e delicada, onde se mistura arte sacra antiga e arte contemporânea, num diálogo muito inteligente.



Depois de uma manhã de passeio entre património da UNESCO e muito sol, apesar dos excelentes restaurantes que inundam as ruas de San Crisbobál de La Laguna, decidimos que o nosso almoço seria no muito conceituado restaurante da zona costeira de Santa Ursula El Calderito De La Abuela. No entanto, porque não reservámos, foi a primeira (e única vez) que não conseguimos mesa num restaurante, mas, por conselho do simpático recepcionista que nos recebeu, almoçámos no segundo restaurante dos mesmos donos, que fica mesmo em frente, o La Bodeguita de Enfrente.

Aqui a comida são tapas, menos elaboradas do que aquele que tínhamos seleccionado, mas igualmente bem feitas, e todas elas muito regionais e tradicionais. Assim o nosso almoço foi excepcional, mas sem o charme e a vista do restaurante que tínhamos escolhido. Mas foi bom ... e deixamos aqui o aviso aos nossos leitores - se querem mesmo um restaurante, mesmo de inverno, aqui nas canárias, convém reservarem. Não que não se coma bem nos outros restaurantes, mas a sensação de que poderia ter sido melhor fica sempre.



O sol ainda ía alto, o calor ainda apertava e portanto decidimos que o melhor era mesmo irmos até à praia e passar o resto da tarde a gozar o calor e o sol de Novembro, como se estivéssemos em pleno Agosto.

Assim rumámos até ao Papagayo Beach Club, em plena Playa de Las Américas, onde ficámos deitados a tarde toda virados numa cama balinesa, com vistas para o mar e bebidas servidas na hora. Este local é mesmo em frente à Playa de Las Américas (a grande praia de Tenerife), pelo que é um clube de praia em estilo Vilamoura. Não sendo excepcional, foi a melhor forma que encontrámos para descansar e relaxar durante uma tarde, ao sol e a apanhar um pouco de bronze.



No final da tarde, já depois de um por do sol lindíssimo, demos uma breve volta pela marginal da Playa de Las Américas, vendo todos os neons acenderem e demo-nos conta da dimensão de turismo de massas que esta cidade tem. É impressionante, pois em toda a nossa estadia até ao momento, estivemos numa ilha simpática, com pouco turismo e ainda muito autêntica ... na Playa de Las Américas, tudo muda para um resort gigante de turismo de massas e descaracterizado. Ficou visto e percebemos que tínhamos feito bem as nossas escolhas até ao momento.

Mas impunha-se já jantar, e por isso voltámos à nossa Casa Rural, arranjámos-nos para o último jantar na ilha e fomos até Santa Cruz para conhecer o muito aplaudido La Posada Del Pez. Este restaurante fica no final do gigantesco porto da cidade e é um autêntico templo de boa gastronomia canarina. Peixe excepcional, serviço perfeito e um ambiente cuidado, mas sem ser ultra sofisticado. Foi o encerramento perfeito destas nossas mini-férias na ilha de Tenerife, pois na manhã seguinte só tivemos tempo de entregar o carro à rent-a-car e apanhar o avião de volta a Lisboa.


Tenerife é uma excelente opção para um fim-de-semana prolongado, pois tem bons locais para visitar, excelentes restaurantes e os preços são verdadeiramente acessíveis. Assim aqui fica mais esta nossa escapadela de fim-de-semana, para que possam programar a vossa ... porque gostámos, e portanto recomendamos ... porque quem nos conhece sabe o quanto amamos viajar e partilhar as nossas experiências com os nossos leitores!

0 Reality Comments: