VIAGEM DE VERÃO EM DIRETO 2016 | AMERICAN SERIES - DIA 15


04:00 O BED AND BREAKFAST

Foi de facto um percurso muito longo o que tivemos de fazer todo de noite. Mas a grande dificuldade não foi o sono, mas sim não haver um vestígio de presença humana. Quando falamos de não haver um vestígio é que não há casas durante horas na estrada, não há carros no sentido contrário (cruzámos-nos apenas com quatro desde as 21:45 às 04:00 da manhã), bombas de gasolina estão todas fechadas e com ar abandonado ... e locais para comer abertos é inimaginável.

Foram horas a circular no escuro absoluto, sem uma luz à vista, com muitos coelhos a atravessar a estrada e pouco mais de atividade que se digne a um registo. Já perto do nosso destino final encontramos finalmente uma bomba de gasolina, onde reabastecemos, compramos alguma coisa para comer (às 03:30 da manhã) e seguimos mais contentes até ao nosso destino final. Entre a bomba de gasolina e o The Grist Mill Inn, ainda temos alguns encontros imediatos com alguns veados no meio da estrada.

O The Grist Mill Inn é uma típica casa mormon de família, apenas com dez quartos disponíveis, decorada com mobília antiga e com o nível de conforto que só uma família pode proporcionar. Infelizmente, pelo avançado da hora, não conhecemos a família, mas a porta da frente aberta, o bilhete de boas vindas que nos deixaram na mesa de entrada com a nossa chave e o conforto do quarto, deram-nos a sensação de conforto que necessitávamos.

Por hoje ficamos por aqui ... mas amanhã, mais milhas esperam-nos!


21:45 A AVENTURA NO DESERTO 2

Depois de almoço, e porque o nosso gps nos dava verdadeiramente longe do nosso destino final, decidimos não entrar em Bryce Canyon National Park e seguir logo para o nosso destino final ... até porque a paisagem envolvente continua grandiosa e rechedo de grandes escarpas vermelhas (só os vales verdejantes é que deixaram de existir e passaram a ser mais secos, pois entrámos novamente em zona de deserto mais puro).

Mas, a do caminho encontramos uma estrada de terra com a indicação Hall in a Rock ... e decidimos ir ver. A estrada de terra batida transformou-se num percurso quase "off track", que só foi possível fazer até ao seu final, graças a termos um Mitsubishi Outlander com altura suficiente para atravessar quatro leitos de riachos semi-secos, e tração às quatro para não ficar atolado no meio de caminhos de areia, bem como suspensão dura o suficiente para ultrapassar todos os obstáculos que a estrada nos punha ... e eram muitos e alguns muito difíceis.

A paisagem ... essa foi verdadeiramente inesquecível, pois esta estrada levou-nos para o meio e para muito mais perto das tais rochas que víamos ao longe das estrada. Ora se já da estrada nos impressionavam, ao perto tornaram-se avassaladoras. O vermelho destas rochas com o pôr do sol contagiou todas as cores de tal modo forte esra a sua reflexão. As formas rochosas deste Grande Escalante e destes Canyons são de uma beleza tão sublime como só a natureza consegue fazer.

Esta segunda aventura aventura no deserto durou cerca de cinco horas (o que implicou fazer quase todo o percurso de volta à noite ... com lua nova), e custou-nos o nosso jantar e muitas horas de sono, mas que proporcionou-nos das uma experiência única e inesquecível e algumas das vistas mais incríveis que se pode ter neste Grande Escalante.


15:00 AS HOME MADE PIES

Depois de mais de uma hora a serpentear entre os vales e escarpas de Zion, saímos do parque natural e vamos até ao nosso local de almoço: a Foster's Family Steak House.

Situada mesmo à porta de Bryce Canyon Natural Park, esta casa tem de facto um serviço bastante informal. Mas a sua grande especialidade são (como o nome indica) os bifes e (sendo uma Family) ... as famosas Home Made Pies. É exatamente isto que comemos e que deixamos aqui, publicamente, a nossa aprovação.

Foi um almoço na américa profunda, num ambiente caseiro e com comida deliciosa e barata.


13:30 O PARQUE NATURAL DA ESTRADA VERMELHA

De Las Vegas, e depois de andarmos algumas horas, e de atravessar uma ponta do estado do Arizona (onde voltaremos com mais tempo amanhã), dirigimos-nos ao muito desconhecido estado do Utah. Conhecido por ser o estado sede da rígida religião Mormon, este estado tem também outras atrações ... e é a elas que nos vamos dedicar hoje: os canyons do Grand Escalante National Monument.

Este maciço de montanhas, organizada em escadas até Colorado River (ou seja até ao Grande Canyon, já no Arizona), é o maior conjunto de canyons do mundo, e é um pouco dele (um pouco pois ele tem milhares de quilómetros) que vamos visitar. Começamos pelo parque natural de Zion e pelas suas imensas escarpas e pelos seus muito verdes vales.

Aqui para entrar nos parques naturais, há sempre que pagar, como num museu, mas são regiões muito bem cuidadas, cheias de miradouros, zonas de descanso, entregam um mapa à entrada com todos os pontos notáveis das diversas estradas, têm cafés e várias zonas de acampar, para autocaravanismo, tudo ultra bem cuidado e equipado.

Ora entrando no Zion National Park, não só a paisagem se torna impressionantemente bela, como a própria estrada se torna vermelha, como a cor das imensas rochas. A beleza e a dimensão das escarpas vermelhas, em conjunto com os profundos vales estreitos e acidentados, mas verdejantes, fazem de todo o cenário algo absolutamente perfeito. O contraste entre a nudez vermelha das rochas e o verde as árvores torna toda a paisagem única e digna de ficar na memória de qualquer apaixonado pela natureza.


10:00 ADEUS LAS VEGAS

Foi com muita pena que chegou a hora de dizer adeus a esta cidade espampanante e única.

Assim, quando acordámos, dirigimos-nos à Avis e uma simpática rapariga, informa-nos que não tem um carro da categoria que alugámos, mas sim um de categoria superior ... e dá-nos um Outlander da Mitsubishi. Mal nós sabíamos o jeito que nos iria dar mais tarde esta troca da categoria de carro.

Malas na bagageira, gps com rota inserida e partimos.

0 Reality Comments: