UM LUXO CHAMADO PROST

Tecnologia, moda e desporto num relógio único!

COM VISTA PARA O FUNDO DO MAR

Este é o primeiro restaurante subaquático da Europa!

A CINDERELA URBANA

Os modelos da Guava para esta estação!

A LITTLE HOUSE


O estúdio holandês DUS Architects, com o uso de uma impressora 3D, produziu uma cabine de oito metros quadrados e uma banheira de acompanhamento em Amsterdão, e agora está a convidar pessoas a permanecer por lá durante a noite


 

Usaram plástico bio-sustentável para criar a 3D Print Urban Cabin, que se destina a demonstrar como a fabricação aditiva pode oferecer soluções para a habitação temporária ou como solução de desastres. Quando a cabina não é mais necessária, pode ser destruída e quase todos os materiais podem ser reutilizados. Localizada numa antiga área industrial, a pequena cabana contém apenas 25 metros cúbicos de área.

 


Uma janela perfura uma extremidade, enquanto nas outras integra tanto uma entrada como uma área de estar com uma varanda escalonada. As suas paredes são modeladas com protuberâncias angulares que criam uma superfície tridimensional, dando ao edifício estabilidade estrutural adicional. Todas estas superfícies são negras, graças ao filamento de impressão 3D à base de um produto com óleo de linhaça como seu componente principal, que os arquitetos têm vindo a desenvolver com a empresa de fabricação de grande consumo Henkel .



Dentro, a cabine contém espaço suficiente para uma cama, embora esta possa ser dobrado e servir de assento durante o dia. Não há espaço para uma casa de banho, mas uma grande banheira, também impressa a 3D, está localizado no jardim. Uma casa diferente, sem sombra de dúvida, mas muito interessante.

FLEMMING LASSEN BY LASSEN


A marca de design dinamarquesa By Lassen é a mais recente empresa a reeditar mobiliário clássico, com uma nova edição de uma cadeira projetada pelo arquiteto Flemming Lassen há 80 anos. Inicialmente concebida em 1938, "My Own Chair" da By Lassen apresenta uma volta alada de enconsto separada do assento, algo que na altura foi considerado muito progressivo, mesmo para os modernistas da época.




Apenas uma das cadeiras foi feita para a Exposição Cabinetmakers Guild em Copenhague, e, posteriormente, voltou para casa do arquiteto. Em 2014, a peça foi leiloada na Dinamarca por 120.000€.

A nova edição By Lassen é uma recriação exacta, com a mesma volta escultural e estrutura de madeira e está disponível em tecido e em couro. São várias as marcas que tem voltado a sua atenção para peças de arquivo, como a Cappellini e a cadeira criada por Joe Colombo ou Carl Hansen & Son com as mesas projetadas por Poul Kjaerholm na década de 1950.

CAFEZINHO DO BRASIL


A Nespresso apresenta Cafezinho do Brasil. Criado para capturar as melhores qualidades sensoriais de um café brasileiro, a nova Limited Edition Nespresso reflete a paixão e o espírito dos brasileiros, e reinterpreta o aroma do café apreciado no Brasil.


Com o desafio de transportar o paladar dos apreciadores de café para o interior de uma cidade brasileira, os peritos Nespresso falaram com os habitantes locais para descobrir o sabor e os aromas associados ao seu “cafezinho” ideal. Com base neste perfil, e inspirando-se na profunda e vibrante cultura de café no país, desenvolveram um café poderoso que capta a essência do “cafezinho” num espresso intenso.



Agradavelmente amargo, Cafezinho do Brasil é composto por uma seleção de Arábicas oriundos do Cerrado, Minas Gerais e Espírito Santo, enaltecido por uma variedade Bourbon de Carmo de Minas e Poço de Caldas. É um café aveludado e encorpado com inesperados aromas a noz e sândalo, bem como notas a ervas aromáticas que evocam tomilho ou alecrim.


Cafezinho do Brasil, sendo um blend Pure Origin, é constituído por 100% de café do Brasil. A Nespresso trabalhou lado a lado com os produtores locais para enaltecer as notas típicas do “cafezinho” através de inovadoras técnicas de colheita. E não são só as capsulas que se vestem de Brasil, vista a sua máquina também!

GANGAS 3D BY G-STAR



A G-Star RAW continua a desenvolver a criação de Ganga 3D para a coleção de Outono/Inverno 2016, disponibilizando novas e atualizadas calças de ganga que prosseguem a ultrapassar os limites da inovação da ganga.



O novo modelo de calças de ganga para homem 5620 Motion, é uma reinvenção das G-Star Elwood. Este híbrido entre calças de ganga ,uniformes tradicionais e calças biker será lançado no decorrer do 20º aniversário das G-Star Elwood (as Calças de Ganga 3D originais). O seu design ergonómico e formato acentuado é fabricado com ganga Oxford, com joelheiras 3D reforçadas, canelados integrados e segmentos extensíveis.


Para as mulheres ocupadas, estão de volta as 5620 G-Star Elwood Pouch. Uma variante do modelo clássico G-Star Elwood com um bolso adicional à frente para maior funcionalidade. Está atualmente disponível em pele de carneiro Mazarine e também no estilo clássico de calças e saias de ganga.



E para terminar temos uma nova coleção de vestuário de ganga criada pelo designer original das G-Star Elwood, Pierre Morisset intitulada The Dadin 3D. Criado por Morriset no Atelier de Amesterdão, o vestuário Dadin 3D comemora a roupa de trabalho clássica com calças com suspensórios, calções e saias - todos feito
s de raw denim.

TINGEST 2016 COLLECTION


Durante o Festival de Design de Londres 2016, a Tingest irá apresentar a sua nova coleção, como parte do pavilhão de design sueco. A marca escandinava presta homenagem à sua herança, de fabricação da maioria dos itens na Suécia, com artesãos cuidadosamente selecionados e com base no projeto e compromisso.


Os materiais naturais, a sustentabilidade e a ecologia são uma visão de longa data para a marca de criação e fabricação de itens de decoração para casa exclusivos por excelência em design, artesanato fino e fabricação local na Suécia.


A coleção da Tingest para 2016 é composta pela gama "DIMMA", com uma cadeira, um banquinho e uma mesa. A cadeira referencia a icônica cadeira bistro "Thonet", agindo como uma variante contemporânea, feita de aço com revestimento em pó, a sua superfície de assento parece flutuar acima do quadro.



O banco foi motivado pelos bancos encontrados em pubs britânicos, que, em vez de ser estofado, foi iluminado com o aço revestido de pó. A mesa, também feita do mesmo material, tem uma dinâmica que pode ser percebida graças à luz de espera, o ar e a água, que podem passar através das suas pergurações no tampo.

NIKE TECH PACK IS BACK


A colecção Tech Fleece da Nike para o Outono 2016 volta a reinterpretar icónicas silhuetas do vestuário desportivo combinando, pela primeira vez, Nike Tech Fleece com Nike Tech Knit.



A camisola e o hoodie, os modelos mais icónicas da nova colecção Nike Tech Fleece, têm ambos um revestimento interior em Tech Fleece constituído por uma camada de espuma leve e flexível, por sua vez cobertura por algodão que não deixa sair o ar permitindo um maior isolamento e aquecimento.



Por sua vez, as mangas Tech Knit das peças, dispõem das mesmas ranhuras de cores variáveis já vistas este Verão no pódio das Olimpíadas e que permitem uma grande liberdade de movimentos.



A colecção Nike Tech Fleece de Outono 2016 encontra-se disponível através do Nike Tech Book. A partir de 1 de Setembro estará também disponível em www.nike.com/techpack e lojas seleccionadas.

MADE IN LISBON


"MOnarCH" é um projeto de robótica social desenvolvido pelo designer, baseado em lisboa, David Gonçalves. A série é composta por máquinas e sensores heterogêneos, incluindo o com nome de criança "Gasparzinho", que foram apresentados na Unidade Pediátrica do Instituto Português de Oncologia de Lisboa.



O trabalho de David Gonçalves inclui a visualização e engenharia da casca exterior do robô, com a produção e mecânica pela IdMind . O "MOnarCH" é pequeno e acessível, com características como uma tela de interface de toque colocada em alturas visíveis tanto para adultos como para crianças.



Um passo na tecnologia com assinatura nacional que merece o nosso destaque aqui no And This Is Reality.

THE SURFER'S HOUSE


De seu nome "Ninho do Corvo", esta casa de férias no litoral da Nova Zelândia foi projetada pelo estúdio Red Architecture e  é uma exploração que se situa no género de edifício concebido para cumprir um propósito singular específico para os ocupantes.

 


A moradia à beira-mar é concebida como uma casa de surfistas. O estúdio de arquitetura misturou uma série de ideias de design, incluindo a capacidade de avaliar as ondas de uma posição elevada, proporcionar espaços de estar quando não se está dentro de água a surfar e o recurso para mudar a estrutura para permitir possibilidades para um desenvolvimento futuro mais substancial no local.
.


O projeto foi imaginado como um espaço que iria comemorar a paisagem circundante, o surf, ao mesmo tempo que fornece abrigo e equipamentos básicos. Uma plataforma de vigia foi instalada, fazendo referência ao "ninho do corvo" de um navio (a cesta acima do mastro a partir do qual um marinheiro visualiza o horizonte). O resultado vê uma base de madeira criada com dois pavilhões definidos acima, com um deck na cobertura com tela de balaustrada.

 


Como revestimento, foi usada uma chapa de aço, semelhante ao de transporte de contentores, que é robusto o suficiente para lidar com o movimento. Enquanto isso, o interior básico dos pavilhões serve simplesmente como um lugar para a socialização, descanso ou relaxe. Uma paleta de cores claras e materiais com texturas foi utilizada para fazer referência á paisagem natural da areia, mar e espuma. Janelas e portas enquadram a paisagem a partir de dentro e ligam ainda mais a habitação com o ambiente natural, elogiando um espaço que foi concebido com a ideia de voltar ao básico.