Viagem de Verão em Direto 2015

A nossa Viagem vai começar ...

007 lança novo trailer

O mais famoso agente secreto do mundo está de volta ... e em GRANDE!

Viagem de Verão em Direto 2015

Sigam o nosso direto diário da América do Sul!

Um Festival de Sopas Muito Saboroso

Este é m evento a não perder.

Viagem de Verão em Directo 2015

Rumos do Sul é para onde vos vamos levar durante o mês de Agosto ... VAMOS?

VIAGEM DE VERÃO EM DIRETO 2015 | RUMOS DO SUL - DIA 18


05.00 ADEUS PARAÍSO CHAMADO CURAÇAO

Foi muito cedo (ainda de noite) que acordámos, tomámos o pequeno-almoço, e rumámos ao aeroporto. Já de malas feitas, obviamente, passámos por uma bomba de

gazolina, enchemos os depósitos, e fizemos o check in em direção ao nosso próximo destino.

Se os nossos Rumos do Sul acabam aqui, a nossa Viagem de Verão em Direto 2015 ainda tem mais um último destino. Tal como em edições passadas, o nosso regresso é

feito através de uma paragem num ponto estrategicamente escolhido, para que, não só a lógica da viagem se perpetue, mas também o nosso regresso ao trabalho e ao

stress do dia-a-dia seja feito de forma mais suave.

Desta vez vamos embarcar rumo a Miami.


11.00 A CHEGADA AOS EUA

Tendo tido um voo sereno e calmo de apenas três horas, chegamos a uma muito chuvosa Miami.

Com um dos aeroportos mais movimentados dos Estados Unidos da América - Miami Dade - esta cidade tem uma particularidade única neste imenso país: tudo continua a

funcionar em Espanhol também. Parece que estamos num país biligue. Em pleno aeroporto todas as indicações estão em duas línguas, sendo que a primeira é o Inglês,

mas a segunda é o Castelhano.

Tendo um de nós ido para a fronteira eletrónica, o resto do grupo foi para a fronteira tradicional. Assim demorámos cerca de duas horas a sair do aeroporto ... o

que fez com que tivessemos de cancelar parte do programa que tínhamos idealizado para esta paragem de pouco mais de 24h na capital da Flórida.


14.00 O ROOM MATE WALDORF TOWERS

Depois de apanharmos um transfer (o Metrobus 150) que nos levou diretamente a South Beach, saímos quase à Porta do nosso hotel: o Room Mate Waldorf Towers.

Este pequeno hotel situa-se em plena Ocean Drive (com a 9th Street), tem o charme característico do período dourado desta cidade dos idos 1930s, com toda a sua

arquitetura arquitetura art deco, renovada, e reatualizada para os melhores padrões de conforto contemporâneo, este foi o hotel perfeito para a nossa paragem em

Miami.

Check in Feito e almoço tomado na esplanada do Hotel (para não perder tempo) e lá fomos dar uma volta ...


16.00 O ART DECO DISTRICT

É uma das atrações mais famosas desta Miami South Beach: o Art Deco District.

Com um conjunto de edifícios notáveis e bem conservados, quer em Ocean Drive, quer em Collins Avenue, quer em Washinghton Avenue, este bairro tem na sua muito

interessante e sempre presente arquitetura Art Deco o seu principal atrativo. Os prédios são de facto muito bonitos e aqui, junto a uma praia imensa, um passeio

verdejante e cheio de palmeiras e plantas tropicais, adquirem um novo sentido e uma renovada dimensão.

Mais do que bonito, é um bairro especial e cheio de história, charme e personalidade.


17.30 O LINCOLN MALL

Em plena zona interior de South Beach existe uma avenida que foi (quase) toda pedonalizada que foi transformada num imenso centro comercial ao ar livre: Lincoln

Avenue, mais conhecida por Lincoln Mall.

É um passeio agradável, ao longo de cerca de dois klómetros, que entre sombras de palmeiras, fontes de betão dos anos 1950 e edifícios Art Deco fizeram deste final

de tarde um momento bastante interessante e até sofisticado.

Mas, claro, que não podemos terminar este report sem dar conta da nossa loja favorita ...


18.00 A ALKEMIST

No final de Lincoln Mall (de quem vem de Ocean Drive) do lado direito, existe um parque de estacionamento todo ele em betão, de arquitetura moderna. Subindo ao

quinto andar deste mesmo parque de estacionamento ao fundo do piso do parque está um envidraçado - é a Alkemist.

Especilizada em roupa de moda de grandes casas de moda mundiais, esta loja tem um ambiente muito especial. Com uma vista deslumbrante a 360 graus sobre Miami,

Miami South Beach e o mar do caribe com um azul deslumbrante, é neste ambiente que, depois de servidas umas bebidas, fizemos algumas compras ... a preços de menos

de 50%, porque conseguimos (com uma grande sorte) apanhar os saldos desta loja.

Foi aqui que vimos o pôr do Sol ... e foi aqui que terminámos esta nossa primeira breve abordagem a esta que é a maior cidade latina da América.


21.00 O JANTAR COM AMIGOS

Foi depois de um banho e de uma mudança de roupa que voltámos a sair e fomos até ao Yard House.

Este restaurante, localizado em pleno 1681 da Lenox Avenew, e é um típico sports bar americano. Com boa carne, mais de 30 tipos de cerveja diferentes, um ambiente

muito familiar e tipicamente americano, este foi o local ideal para este último jantar dos Rumos do Sul. Melhor ainda foi a companhia de amigos que se juntou a nós

aqui neste momento final da nossa viagem.

Foi um jantar tranquilo, um momento de revisão de todas as aventuras vividas e um primeiro passo para fora da realidade Sul Americana, que nos aproxima da

realidade que nos espera amanhã à noite já em Lisboa. Não fora as doses exageradas dos pratos (doses americanas, claro), o desporto que estava a dar na Televisão

ser futebol ... mas americano, o passeio noturno de volta com a espetacular passagem pelos neons e edifícios iluminados de Ocean Drive, e a frenética e ecléctica

animação dos bares ... e nem tínhamos dado conta que ainda estávamos fora de Portugal. Este jantar com amigos, a contar parte das nossas respectivas aventuras de

férias, foi exactamente aquilo que sabemos que se vai passar nas próximas semanas, mas já em terras lusas.

VIAGEM DE VERÃO EM DIRETO 2015 | RUMOS DO SUL - DIA 17


05.00 ACORDAR ANTES DO DESPERTAR DO PARAÍSO

Se todos os despertares aqui nos Jankok Lodges foram maravihosos, este custou um pouco. Não só por causa da noite cerrada que ainda nos cobria, mas porque na noite anterior a conversa fluiu até tarde.

Assim ainda ensonados acordámos e arranjámos o nosso pequeno almoço e fizemo-nos à estrada ...

O percurso que tínhamos pela frente é longo e moroso ... porque, conforme nos informaram na conversa de ontem à noite, entre as 06.00 e as 07.00 da manhã é hora de ponta em Curaçao.


07.00 O BARCO DA SEREIA

Eram exactamente 35 minutos depois do sol nascer quando estávamos a zarpar do Cais dos Pescadores de Jan Thiel, na escursão da Mermaid Trips à ilha deserta mais famosa do Caribe: a ilha Klein.

Esta ilha de 1,7 km2 situa-se a sudeste da lha de Curaçao e tem no azul das suas águas a razão do seu nome. Sendo uma ilha deserta actualmente, esta já foi ocupada nos tempos das carreiras da Companhia das Índias Holandesas, servindo de ilha de quarentena de Curaçao para escravos e marinheiros doentes.

Mas depois de embrarcar ... duas horas de navegação depois ... chegamos lá ...


09.00 A ILHA DESERTA

A ilha Klein é tudo o que se possa imaginar de uma ilha deserta.

Tendo aunda algumas ruínas de edifícios anteriores, é a sua falta de vegetação luxuriante, as suas areias imaculadas e as suas águas de azul profundo que nos captam a atenção.

Nenhum dos barcos de escursão pode chegar-se à ilha, por causa dos seus corais, peixes coloridos e tartarugas e lagartos ... mas transferindo-nos par pequenos botes de borracha, desembarcamos no que é o local paradigmático que conhecemos em todo o Caríbe.


14.30 EXPLORANDO A ILHA

Depois de uma manhã relaxante à sombra de umas palhotas informais construídas nas praias e depois de um almoço de grelhados servido em plena areia pela organização das Mermaid Trips (muito bem organizado e muito saboroso ... temos de dizer ... pelo que recomendamos), decidimos ir explorar a ilha num passeio pela mesma.

No meio de lagartos (os mais presentes habitantes da ilha), caranguejos e outros animais totalmente selvagens, atravessamos a ilha em direção à única construção ainda visível (se bem que em ruína) da ilha: o seu antigo farol. Belo no seu estado degradado, a dilética que este estabelece com a imensidão de território à sua volta, o mar azul klein que nunca perdemos de vista e o silêncio apenas interrompido pelo som de algumas gaivotas ou pelicanos, torna-o num símbolo magnético, numa imagem icónica, e este passeio, num momento muito especial.

É um passeio depois de almoço que nos isola, nos faz reflectir e nos permite um encontro com a natureza no seu estado mais puro e simples.


17.30 O ÚLTIMO SUNSET NO MAR DAS CARAÍBAS

Eram 15.30 quando abandonámos à sua solidão a Ilha Klein e voltámos à Ilha de Coraçao. Assim que chegámos novamente a terra, pegámos no nosso carro e fomos para o nosso ponto final nesta ilha: o Papagayo Beach Club.

Localizado em plena praia de Jan Thiel, este é um dos mais icónicos e mais espetaculares Beach Clubs da ilha. Sendo um local único é bastante procurado ... mas entre as 17.00h e as 18.00h é fácil arranja uma mesa ... e foi o que fizemos.

Aqui vimos um pôr do sol deslumbrante, num ambiente sofisticado e cuidado, com um serviço hexímio e uma música de fundo chill out retro perfeita. Foi o nosso momento final de visita à Ilha de Curaçao que assinala oficialmente o final destes nossos Rumos do Sul.

Mas, como sempre, temos um destino final surpresa, que funciona como um encore desta viagem mítica e memorável ... por isso amanhã partiremos rumo ao nosso destino final destes Rumos do Sul, de onde regressaremos ao nosso ponto de partida - Lisboa. Não perca, que nós também não vamos perder ... o nosso avião com destino a ... amanhã saberão!

VIAGEM DE VERÃO EM DIRETO 2015 | RUMOS DO SUL - DIA 16


10.00 O ACORDAR EM JAKOK LODGES PELA TERCEIRA VEZ

Foi como sempre, depois de uma noite bem dormida que acordámos novamente neste paraíso perdido e desconhecido que se chama Jankok Lodges.

Constituído por um conjunto de bangalows e pequenas casas, este jardim do Eden tem sido o refúgio caribenho ideal para esta nossa última etapa dos nossos Rumos do Sul. Despertar no meio de uma paisagem única, retemperar as forças com um pequeno almoço tomado ao ar livre no meio da natureza e preparar o dia no meio de tanta beleza tem feito destas manhãs umas ocasiões únicas.

É de facto perfeito acordar nos Jankok Lodges!


11.00 A VISITA À OTRABANDA

Foi mais uma vez uma manhã em que o grupo se dividiu. Enquanto uns foram aproveitar o dia inteiro de praia, outros foram fazer mais umas visitas à bela cidade de Willemstad.

Assim os que fomos visitar, depois de uma paragem forçada para uma lavagem de carro profunda para tirar todos os vestígios de aventuras passadas, seguimos para o famoso e muito típico bairro de Otrabanda.

Situado mesmo em frente às famosas fachadas, do outro lado da entrada da baía, este é um bairro colorido, castiço, ainda sem vestígios de grande turismo e onde os locais fazem de facto a sua vida. Sentimo-nos verdadeiramente num ambiente autêntico e sem o"very tipical" forçado para a foto!


13.00 O ALMOÇO TÍPICO

Depois de deambularmos pelas ruas de Otrabanda, rumámos ao estreito, apanhámos o barco, atravessámos para o bairro de Punda e ao fundo do mercado flutuante, encontramos o nosso destino de almoço de hoje: o Plasa Bieu.

Este muito típico local é um espaço de almoço onde as mais tradicionais receitas da gastronomia de Curaçao são feitas de forma ainda muito tradicional. O primeiro impacto é  de uma enorme cantina, repleta de locais, onde os cheiros e os barulhos se confundem. Mas depois entra-se e percebe-se em que cada mesa corrida o que acontece é uma convivência saudável, uma degustação de sabores muito caribenhos e a potenciação ao seu máximo expoende do que é uma refeição típica de Curaçao.

Se até este momento na viagem não tínhamos tido más refeições, esta vai sem qualquer dúvida para o Top.


14.00 AS CHICHIS E A ARTE DE NENA SANCHEZ

Já com os sentidos, todos eles, verdadeiramente assaltados por um turbilhão de emoções, graças ao nosso almoço típico caribenho, rumamos de volta ao barco, pelo meio do bairro de Punda.

Neste percurso mergulhamos nas ruas intrincadas e coloridas do velho casario e encontramos dois locais obrigatórios em qualquer visita a Curaçao: o Atelier de Nena Sanchez e o Atelier de Serena. Estes dois espaços de arte estão localizados numa rua muito estreita e muito discreta e concentram em duas portas o melhor da arte de Curaçao (Windstraat 15 e 17).

Nena Sanchez é a mais conhecida e prestigiada pintora do caribe e tem uma vasta e muito respeitada obra, quer a nível nacional quer a nível internacional. A visita ao seu atelier é obrigatória, para se perceber esta cultura e a transposição da mesma para a arte contemporânea.

O Atelier da escultora Serena é exatamente na porta ao lado e esta escultora criou a peça de escultura caribenha contemporânea mais icónica: as Chichis. Estas são mulheres pretas, volumoras, estilizadas, que actualmente vêm os seus típicos fatos pintados de cores garridas por artistas convidados. Conhecemos a Maria (uma das artistas estagiárias desta conhecida artista), que nos explicou a história das Chichis e a sua popularidade. Esta Chichi é como que uma Irmã mais velha, que cuida e une a família com o seu amor, sendo assim um símbolo, já internacionalmente reconhecido, do papel que as mulheres têm na sociedade de Curaçao e de todas as Caraíbas.

Não resistimos a uma óbvia compra de uma das Chichis que estavam nesta loja.


15.00 PROBLEMAS COM AS AUTORIDADES DE CURAÇAO

Depois de uma verdadeira sessão cultural e de compras de obras de arte (cada Chichi é uma ecultura única e errepetível, feita à mão por um artista convidado), regressamos à Otrabanda (de barco claro9 para panharmos no nosso carro.

A nossa surpresa torna-se relevante quando, por baixo da torreira do calor húmido que está, descobrimos que não só temos uma multa para pagar porque o parquímetro que pusemos já tiha terminado, como temos o nosso carro bloqueado. O mais difícil foi perceber qual o procedimento, que número de telefone ligar para chmar a polícia para desbloquear o carro ... mas depois de fazermos o telefonema certo ... foi um processo de pouco mais de meia hora (e 15 dólares americanos, pagos na hora e sem direito a recibo ...) até estarmos livres deste problema.

Assim tivemos este problema com as autoridades de Curaçao ... resolvidos sem probemas!


16.30 A PRAIA DE KENEPA

Atravessando a ilha em direção à zona de Westpunt, chegamos ao encontro do resto do grupo que se encontrava na praia de Kenepa.

Votada por muitos meios internacionais e em muitos sites, uma das 10 praias mais belas do mundo, esta é o expoente máximo das praias de Curaçao. Situada numa pequena baía de rochedos, uma pequena lingua de areia (ou diremos melhor ... pó) branca, tem na sua frente uma das águas de mar mais transparentes e mais hipnotizantes que já vimos na vida. A temperatura da água, a candidez do areal, as árvores e palhotas que lhe dão sombra e todo o cenário natural envolvente fazem da Praia de Kenepa uma praia absolutamente deslumbrante.

Foi a mais distante e a última praia que fomos aqui na ilha de Curaçao durante estes Rumos do Sul ... mas foi uma das mais belas praias em que estivemos aqui no Caribe.


22.00 O JANTAR CASEIRO

Decidimos que depois desta praia o melhor era mesmo passr por um supermercado, fazer umas compras que complementassem as compras que ainda sobravam dos pequenos almoços e das compras que fizemos para nos alimentarmos enquanto atravessavamos o deserto, e fazermos um jantar de grupo em casa.

Assim o fizemos e o resultado foi uma verdadeira noite de conversa, convivio e animação ... não só entre nós, mas também com o Jeroen (nosso anfitrião aqui nos Jankok Lodges).

Foi até tarde a conversa ... e deu-nos uma perspectiva mais profunda do que é a cultura e o estilo de vida aqui na Ilha de Curaçao.

VIAGEM DE VERÃO EM DIRETO 2015 | RUMOS DO SUL - DIA 15


10.00 DESPERTAR NO PARAÍSO ... DE NOVO

Não nos conseguimos cansar de acordar neste Jankok Lodges.

Com os seus jardins perfeitos, as cuas cabanas impecavelmente decoradas, os seus detalhes de arranjos pisagísticos exímios e a sua calma relaxante, este é sem dúvida um dos paraísos na terra ... e nós temos a felicidade de acordar aqui!

Foi um segundo início de dia perfeito!


11.00 A PRAIA DAS CARAÍBAS

Sendo o segundo dia que vamos à praia aqui na ilha de Curaçao, decidimos hoje ir para uma outra praia um pouco mais deserta, mas mais paradisíaca ainda: a Praia Cas Abou.

Localizada um pouco mais a Oeste da Ilha, esta praia está ainda mais longe de Willemstad e como tal mais deserta. A sua condição mais exclusiva torna-a ainda mais bela sossegada e mais cara (aqui as praias são todas pagas ... mas o serviço tem incluído guardas no parque, sombrinhas ou palhotas e camas).

Com as suas palmeiras e couqueiros, as suas palhotas, a sua areia branca e as águas ainda mais turquesa que a praia do dia anterior, este foi um verdadiro paraíso do caribe que viemos descobrir e disfrutar nesta segunda manhã nesta ilha caribenha.


16.00 A FÁBRICA DO CURAÇAO

Depois de uma abrasaora manhã de praia e de um almoço ainda lá, alguns de nós decidimos rumar a outras paragens (enquanto outros ficam com o seu dia de praia descansado) ... e pegamos no carro, rumamos a casa, tomamos um duche e dirigimo-nos à parte alta da cidade de Willemstad.

É aqui que vamos encontrar a fábrica do produtomais conhecido desta ilha: a Fábrica do Licor Curaçao. Este licor, feito à base das laranjas trazidas pelos descobridores, temperado por especiarias e fermentado com a cana do açucar, é um verdadeiro ex-libris da ilha.

A sua fábrica, discreta, mas muito bela e bucólica, recebe-nos com uma serenidade e uma simplicidade, digna dos locais míticos que se podem visitar nesta prte do mundo.

A grande surpresa desta visita está reservada para o final: uquando se termina a breve e exclarecedora e muito curiosa visita à fábrica, sentamo-nos no bar para degustar um cocktail de Blue Curaçao. Qual não é a nossa surpresa quando a emregada deste bar nos atende em português. Cidália de seu nome, é madeirense, vive nesta ilha há mais de 10 anos e trabalha aqui diariamente como bar woman oficial do bar da Fábrica de Curaçao.

O Cocktail estava uma delícia, o atendimento teve aquele toque de simpatia que só os portugueses conseguem dar e o momento foi muito agradável, como só os grandes momentos conseguem ser ...


17.30 O BAIRRO DE PUNDA

É logo de seguida que nos dirigimos para o mítico Bairro de Punda.

Coração da capital de Curaçao, este bairro, cuja sua frente de baía está classificada como património Universal pela UNESCO, é um dos bairros mais antigos de todas as caraíbas. Com edifícios que remontam ao século XVII, este é o centro de toda a cidade de Willemstad. Charmoso, colorido, popular e turístico q.b., este bairro combina lojas de grandes marcas internacionais (nas suas ruas e largos principais), com as lojas mais castiças e populares da cidade, conseguindo assim agradar a turistas e locais, misturando-os de forma saudável e muito interessante.

É uma das zonas urbanas mais interessantes de toda a ilha, sem qualquer dúvida!


18.00 O MERCADO FLUTUANTE

É num dos braços da Baía de Willemstad, limítrofe do Bairro de Punda, que está o mercado mais popular e mais interessante de Willemstad: o Mercado Flutuante.

Este mercado concentra nos seus cais um conjunto de bancas de venda de fruta e hortícolas mais caractrístico de todas as caraíbas. Os seus vendedores são habitantes de outras partes da ilha que aqui rumam todos os dias à tarde para venderem os produtos que cultivam nas respetivas propriedades ... e vêmm de barco. Assim na frente de cada barco atracado está uma banca com os respetivos produtos, criando assim uma frente de cais que se transforma num conjunto de sabores, cheiros, cores e formas, bastante tropicais.

Castiço, popular e muito animado ... são os três adjectivos que nos ocorrem sobre este momento do dia!


19.30 O JANTAR NO FORTE

Depois de comprar umas frutas no mercado, dirigimo-nos à frente do bairro de Punda e atravessamos o estuário da Baía de Willemstad para o lado do bairro da Otrabanda.

É aqui que nos sentamos e que, de novo já todos, tomamos um copo de fim de tarde, a apreciar o pôr do Sol de novo a reflectir-se nas fachadas coloridas do histórico Bairro de Punda. Mas depois deste final de tarde perfeito e relaxante rumamos até ao final do passeio e entramos no histórico e muito peculiar Rif Fort. Esta antiga fortaleza, de defesa da cidade dos famosos e temidos piratas das caraíbas, esta hoje não só classificada como Património Universal da Humanidade, pela UNESCO, como também repleto de restaurantes e pequenos bares ... e é aqui que jantamos calmamente e terminamos o nosso dia de hoje.

Foi um dia que começou na praia mas acabou na cidade ... e acabou mais cedo ... porque amanhã o programa é apertado e intenso!

VIAGEM DE VERÃO EM DIRETO 2015 | RUMOS DO SUL - DIA 14


10.00 ACORDAR NO PARAÍSO

Foi a nossa primeira noite em Curaçao e foi uma noite dominada pelo calor húmido da ilha.

Mas o principal desta noite foi o despertar. Já o sol ía alto quando saímos das respetivas cabanas ... e o espetáculo de um jardim bem cuidado, com muitas plantas e flores e um cuidado nos detalhes e pormenores de decoração invad-nos os sentido.

Acordar no Jankok Lodges é verdadeiramente acordar no Paraíso!


11.30 A PRIMEIRA PRAIA DOS RUMOS DO SUL

Foi logo a seguir ao despertar e depois de umas compras para o pequeno-almoço (onde ainda gastámos algum tempo à procura de um supermercado) que rumámos em direção ao nosso primeiro mergulho no mar das Caraíbas.

A praia que escolhemos é a uito popular e muito conhecida Praia de Porto Marie. Com o seu areal, as suas águas critalinas e azul turquesa forte e as suas palhotas, este foi o reúgio perfeito para uma prieira abordagem ao relax e à descontração.

Depois de atravessarmos de Sul a Norte um continente ... este momento de pausa perfeito para entrarmos noutro registo de viagem mais vagaroso e pausado.


14.00 O ALMOÇO COM VISTA PARA O MAR

Foi excactamente, aproveitando o calmo, mas muito concorrido bar da Praia de Porto Marie, que fizemos aqui uma pausa para almoçar.

Aqui, com vista para o mar, e com uma qualidade de cozinha que nos surpreendeu, deleitámo-nos com um almoço digno de um verdadeiro dia de praia. A vista era deslumbrante, a música ao vivo no volume e estilo certos e os sabores bastante apurados, fizeram deste um momento perfeito.

Foi um almoço relaxado e muito saboroso!


16.30 A VISITA A WESTPUNT

Depois do almoço alguns decidiram ficar a tarde na praia ... enquanto outros decidiram meter-se à estrada e rumarem à parte mais remota da ilha de curaçao: a Westpunt.

Assim fizemo-nos à estrada e rumamos a o Oeste, penetrando num território pouco habitado, pontuado, aqui e ali, de algumas povoações pequenas mas muito coloridas e recheado de paisagens naturais um pouco áridas, mas recheadas de uma vegetação abundante.

Esta é uma parte da ilha que tem menos palmeiras do que se esperaria no Caribe, mas está recheada de perspetivas muito interessantes e de uma beleza muito própria.


18.30 A SURPRESA DE CURAÇAO

Depois de um passeio de cerca de 120km, em estradas nem sempre das melhores, decidimos rumar em direção a Willemstad e ir tomar um lanche.

É assim que ao pararmos num Starbucks de um Mall, e depois do respetivo lanche, damos uma volta e descobrimos que estamos mesmo em frente ao postal turístico mais famoso de toda a ilha: as fachadas de Punta em Willemstad.

Foi sem sabermos que aqui viemos parar ... mas foi um final de passeio muito icónico!


21.00 O JANTAR NA PRAIA

Foi mesmo depois de vermos o pôr do Sol nas fachadas classificadas de Willemstad, que voltámos para as nossas casas, nos preparámos para um jantar fora e voltámos a sair, em direção à praia de Rif Saint Marie e ao restaurante Karakter.

Este restaurante fica junto à praia, com grande parte das suas mesas numa plataforma junto à água. Com uma decoração irrepreensível, um serviço simpático e muito acessível e uma comida saborosa e bem confeccionada, este foi um jantar caribenho que podemos considerar perfeito!

Mas a animação da noite não ficou por aqui ...


23.30 A DISCOTECA NA PRAIA

Foi depois de um animado jantar que decidimos (alguns de nós) seguir com anoite para uma das recomendações que nos tinham dado: o Curaçao Boulevard.

É neste espaço de centro comercial a céu aberto (por incrível que pareça) que está uma das noites com melhor música e melhor ambiente da ilha. Assim decidimos descer ao nível da praia e escolher um dos dois espaços abertos para dançar ao som de boa música remixada e divertirmo-nos na companhia de alguns turistas e muitos locais.

Foi uma verdadeira noite a dançar na praia a que assinalou o encerramento deste primeiro dia em Curaçao!