VIAGEM DE VERÃO EM DIRETO 2015 | RUMOS DO SUL - DIA 5


05.30 ADEUS BUENOS AIRES

Como diz o refrão da famosa cação "Don't cry for me Argentina, The truth is I never left you, All through my wild days, My mad existence, I kept my promise, Don't keep your distance".

Foi com um sentimento de tristeza e de quase arrependimento de não termos mais tempo para explorar a cidade que partimos de Buenos Aires a esta hora matinal, deste quinto dia destes Rumos do Sul ... Rumo o nosso próximo destino - a cidade de Santiago.

Assim dirigimo-nos ao aeroporto de Buenos Aires, embarcamos e deixamos esta cidade mágica para trás.


10.15h OS ANDES BRANCOS

A meio de uma viagem tranquila, com um staff de uma atenciosidade e de uma simpatia verdadeiramente notáveis, o capital avisa todo o voo que vamos aproximar-nos dos alpes e que esta será uma zona que vai permitir uma sessão fotográfica muito boa ... mas em contra há a questão da muita turbulência que existe sempre em cima desta cordilheira, e que portante estas sessões fotográficas seríam apenas feitas pela janela imediatamente ao lado.

Com a aproximação a estas gigantescas e impressionantes montanhas, que atravessam de Sul a Norte este continente que estamos a explorar nesta viagem, os telemóveis e as câmaras começam a disparar e o espectáculo visual torna-se avassalador em termos de escala e beleza paisagística.

Como em todas as viagens que passam por cima de montanhas, este é sempre um momento único e interessante ... e este não decepcionou!


12.30 SANTIAGO DO CHILE

Quando se sai do avião no aeroporto de Santiago, percebe-se que mudámos definitivamente de contexto.

A organização e sistematização de espaços e processos alfândegários fizeram com o tempo de espera fosse não mais do que 5 min, a simplicidade que foi para apanhar um taxi para o nosso alojamento, ou a lisua com que o preço do mesmo nos foi apresentado, deu-nos a confiança que se avisinhavam bons momentos.

Quando começamos a circular pela cidade dissipam-se quaisquer dúvidas. Esta é uma grande metrópole de 7 milhões de habitantes, com uma organização e um respeito das regras totalmente disciplinado, com uma paisagem urbana interessante, e um buzz citadino verdadeiramente cosmoplita.


13.00 O ABRACADABRA B&B

O nosso destino final deste primeiro (e único) táxi em Santiago do Chile é o muito simpático (e acreditem que simpático é eufemismo, pois é verdadeiramente perfeito) Abracadabra B&B.

Esta pequena casa de dois pisos é a residência de Cristiano, que muito simpaticamente nos recebeu pessoalmente e que, depois de nos explicar que a casa tem apenas 6 quartos e que como nós ocupávamos 4, ele tinha decidido (para nosso conforto) de bloquear os restantes dois quartos para que podessemos ficar com o B&B todo para nós e assim ter uma boa estadia na capital chilena.

Esta casa além de ter a dimensão ideal, tem também como conceito a defesa e divulgação da cultura chilena. Assim temos à nossa disposição uma biblioteca de literatura, toda ela chilena, uma secção de DVDs apenas com filmes chilenos e uma seleção de música chilena ... totalmente à nossa disposição. Além deste luxo cultural, ainda recebemos uma lição de história (muito breve e bastante interessante) sobre o Chile, bem como um conjunto de dicas verdadeiramente úteis e interessantes que fizeram deste nosso dia um verdadeiro sucesso!


14.00 O BAIRRO BRASIL

É num dos bairros menos turísticos do centro de Santiago onde estamos alojados: o Bairro Brasil.

Se em todo o mundo Brasil é nome de rua, avenida ou praça, aqui em Santiago, é nome do bairro que outrora (no início do séc XVIII) foi um dos bairros mais chiques da cidade para viver, mas cujo crescimento da cidade votou ao abandono. Abandono esse que foi quebrado nos anos 1980 começa a ser ocupado por uma forte imigração brasileira para o Chile e para a sua capital, conferindo assim uma nova identidade ao bairro.

Pela alegria que os seus novos habitantes trouxeram, pela inquestionável centralidade e pela sua excelente arquitetura civil, esta é uma zona ainda bastante aut~entica, mas já muito cool aternativa da cidade.


15.30 O BAIRRO DE LASTARRIA

Um pouco mais à frente do Palácio de La Moneda (circundando o cerro de Santa Lucia), encontra-se o muito boémio e trendy bairro de Lastarria.

Este simpático, muito cuidado e bastante interessante bairro está repleto de bares, restaurantes e lojas, muito bem conseguidas. Com a subtilez de quem sabe o que faz, os donos de cada um dos locis preocupam-se ao detalhe para que o seu negócio seja especial ... e conseguem-no.

Foi por aqui que comemos rapidamente um almoço leve ... e seguimos caminho para outro dos pontos altos da cidade ...


16.50 UMA DAS MELHORES 25 GELATARIAS DO MUNDO

Por gulodice, curisidade ou apenas porque nos apetecia, dirigímo-nos à gelataria Emporio La Rosa.

Este é um local muito famoso em Santiago pois garante (e garante mesmo) sabores originais (como o nosso preferido framboesa com menta), ou sabores tradicionais inacreditavelmente bem feitos (como é o caso do doce de leite).

É paragem obrigatória, pois a sua qualidade não é fruto de um concurso que lhe atribui o título (que orgulhosamente exibem à porta) de uma das 25 melhores gelatarias do mundo ...


17.20 LA CHASCONA

É um dos locais mais icónicos de Santiago do Chile e que não é ignorável em qualquer passagem pela cidade a paragem que se seguiu: a La Chascona.

Esta é a casa na cidade capital, do famoso e mítico poeta chileno Pablo Neruda, que neste momento é pertença da fundação com o seu nome, e que é possível visitável. No seu interior vai-se encontrar um universo de peças de mobiliário, decoração, acessórios que nos dão a conhecer um dos personagens literários mais incríveis de toda a cultura mundial. Amante do bom e do belo, onírico e artistico, colecionador de peças raras e esteta de vocação, esta casa reflecte exactamente isso mesmo.

Esta é uma visita mágica ... que nos faz compreender e apaixonar ainda mais pela poesia deste mestre das palavras e que nos conquista definitivamente para esta cidade de Santiago.


18.00 EL CERRO DE SAN CRISTOBAL

Despois de percorrermos todas as salas, salinhas, quartos e jardins e seus anexos da La Chascona, vamos até ao ascensor de San Christobal e subimos até ao cimo do Cerro que lhe dá o nome.

Sendo o ponto mais alto de toda a cidade, quando lá chegamos acima deparamo-nos com dos cenários mais grandiosos de toda esta visita a Santiago: a vista sobre toda a cidade. É o único ponto em que se consegue ver a 360º e que temos a real dimensão desta moderna metrópole de 7 milhões de habitantes.

Com um território imenso, esta cidade impressiona, intimida e apaixona, pela sua dimensão e pela beleza de ver este tapete de bairros urbanos e ululantes que se estende até aos magestosos e grandiosos Andes.


19.00 O BAIRRO DE BELLAVISTA

Assim que chegamos novamente ao nível normal da cidade, atravessamos o muito boémio, e muito animado Bairro de Bellavista.

Este bairro é conhecido por ser um dos bairros mais populares entre a população mais jovem de Santiago. Pelas suas esplanadas, pelos seus multiplis bares, pelos seus imensos restaurantes, este bairro ao entardecer ganha uma vida nova ... e nós testemunhámos isto mesmo.

Há no entanto uma paragem obrigatória neste bairro: o Pateo Bellavista. Situando-se mesmo no coração de toda a animação, este pateo é um excelente exemplo de como o interior de um quarteirão pode ser um território comercial muito interessante e bem agradável. Uma inteligente intervenção arquitetónica transformou este espaço num conjunto de restaurantes e de esplanadas, com muito charme, qualidade e estilo.

Este é um espaço obrigatório ... não porque os guias o digam, mas simplesmente porque é só muito bom!


20.30 O GRANDE TERREMOTO

Depois de um dia que nos revelou uma cidade muito cosmopolita, cheia de sofisticação e com uma personalidade muito forte: decidimos rumar ao nosso local de jantar: a Piojera.

Aqui, neste lugar hiper popular, mega cheio de gente, barulhento e muito pouco sofisticado, encontra-se a bebida original e caracterítica de Santiago do Chile: o Terremoto. Esta bebida que mistura gelado, groselha, vinho (dois diferentes), licor (que não conseguimos saber) e ervas aromáticas, nasceu aquando do forte terramoto de 1985, que danificou as arcas frigoríficas deste muito popular estabelecimento (mesmo ao lado do Mercado Central). Assim o dono, para que não se estragasse o gelado, começa a mistura-lo com o vinho e a dar às pessoas ... assim pelo menos não se desaproveitava tudo. O sucesso foi tanto que. em pouco mais de 3 décadas, o negócio se tornou num dos locais mais populares de toda a cidade.

Sendo que fomos advertidos para que a bebida era bastante forte (apesar de não parecer nada) decidimos então comer neste muito popular local. O local é um must go, a comida é muito típica, mas muito bem feita, o serviço é de cada um se virar por si (mas o ambiente assim o propicia), a bebida é divertida, e os efeitos desta ... fazem juz ao seu nome!

0 Reality Comments: