ESPECIAL | À CONQUISTA DE PARIS - DIA 04


Depois de uma manhã passada entre caminho para a estação de comboios, Gare de Saint Lazare, e comboio a nossa viagem à Conquista de Paris entra numa nova fase: O Desembarque da Normandia!

A viagem de comboio é relativamente rápida, confortável (ou não estivéssemos a falar dos famosos comboios franceses) e em cerca de 2.00 horas chegamos à cidade de destino - Caen.


Mas antes de entrarmos pela cidade a dentro, vamo-nos debruçar um pouco sobre a paisagem que nos acompanhou. É que as viagens de comboio têm a grande vantagem de permitirem conhecer um pouco o território que se atravessa.

A primeira fase da viagem é dominada por uma paisagem ainda parisiense que vai progredindo para um ambiente de subúrbio cada vez menos interessante do ponto de vista urbano e que depois se vai transformando e "desdensificando" até atingir a ruralidade. Saímos de Paris!


A caminho da Baixa Normandia, a paisagem vai-se tornando cada vez mais rural e dominada pelas grandes paisagens. Bosques, campos cultivados e pequenas aldeias e vilas vão se sucedendo de forma interessante e com alguns elementos que se destacam. Casas com telhados de colmo, campanários de igrejas de aldeia, ou pequenos lagos são os que mais marcam o nosso olhar.

A evolução da paisagem, ao contrário da primeira fase da viagem, agora faz-se de forma bastante lenta (inversamente à velocidade do comboio que acelerou consideravelmente). A ruralidade de toda esta região é evidente e as antigas casas rurais, dominam os pontos centrais das propriedades agrícolas e anunciam-nos que estamos a chegar a outra cultura arquitectónica. Digna de um filme histórico passado numa casa de campo de qualquer familiar abastado (como sempre se passa nos filmes históricos), esta paisagem vai evoluindo consideravelmente para um ritmo bucólico e campestre desacelerando a nossa viagem À Conquista de Paris, nesta nova fase Normanda (o que é bom, dada a correria dos últimos dois dias parisienses).


Chegámos a Caen e damo-nos conta de uma realidade por um lado interessante, por outro algo decepcionante: a cidade está pontuada por vários monumentos que vão desde o período da Idade Média até ao século XVII mas é uma cidade moderna e sem um centro histórico digno desse título.

Este facto fica a dever-se a um aspecto que deconhecíamos: no desembarque da Normandia, os aliados arrasaram com Caen para poder reconquistá-la, pois encontraram tanta resistência por parte dos alemães locais que só ao fim de um mês de bombardiamentos conseguiram reconsquistar a cidade.


Assim os monumentos que restam são poucos (tendo em conta que esta foi desde a Idade Média uma cidade importante em França), mas a quantidade de fachadas antigas que foram integradas em recontruções modernas, janelas antigas que foram colocadas em edifícios mais recentes, ou edifícios antigos que estão isolados no meio de um quarteirão ou de uma praça moderna é surpreendente ... é uma cidade interessante!

No entanto há vários locais a visitar. O destaque vai para a Abadia dos Homens e a Abadia das mulheres. Estes dois magníficos edifícios medievais foram sendo adaptados ao longo dos tempos a novos usos e a novos gostos, mas sempre com uma espectacularidade de arquitectura assinalável. Construídos no Século XI, ambos destinavam-se a acolher (fora de portas na altura) os religiosos e religiosas que muito contribuiram para a afirmação da cidade ao longo dos tempos.


Mas outro ponto importante é o impressionante Castelo (na foto). Um dos maiores castelos medievais ainda de pé de em toda a Europa Ocidental, este castelo foi também construído no Século XI por Guilherme o conquistador. Os altos muros, o palácio no interior (hoje o Museu da Cidade e o Museu de Belas Artes) e a forma impecável como ainda se encontra fazem dele um ponto brigatório nesta viagem.

Mais do que uma cidade arquitectonicamente especial, Caen, por razões históricas, assume-se como um destino com monumentos muito particulares e extremamente bem conservados. Por toda a destruição decorrente do seu papel estratégico na segunda guerra mundial, todo o património que sobrou está impecavelmente conservado, o que faz com que este percurso não seja uma decepção mas sim uma surpresa.


Caída a noite decidimos dirigir-nos até ao Porto (apesar de estarmos a cerca de 20 km do Canal da Mancha há um canal que permite ter uma marina no centro da cidade) e escolhemos um tradicional restaurante - Le Carlotta - para provar algumas das especialidades da região. A ementa começou com umas Ostras frescas sublimes, a que se seguiram umas Tripas à Moda de Caen (completamente diferentes das portuguesas) e terminámos com uma Baba au Rum ... tudo regado com a tradicional Cidra Normanda. Foi um repasto digno de uma cozinha rica, variada e farta.

Foi um dia em que o ritmo foi abrandando à medida que passavam as horas, mas que mesmo assim deu para fazer tudo. Amanhã culminamos esta conquista de Caen com uma ida até à Costa de Manhã, mesmo antes de voltarmos para Paris (por volta do Almoço) e apanharmos o avião para Lisboa (onde chegaremos no final do dia). Vai ser uma correria e muitos kms a percorrer ... mas vai seguramente valer a pena!

Não deixe de acompanhar os momentos finais desta viagem À Conquista de Paris que desde Sábado estamos a relatar em directo aqui no ... And This is Reality!

0 Reality Comments: