VIAGEM DE VERÃO EM DIRETO 2016 | AMERICAN SERIES - DIA 16


00:30 O FLAMINGO QUALITY MOTEL

Foi mais a Sul que parámos para dormir. Mais concretamente no icónico Flamingo Quality Motel de Tucson.

Este Motel (muitas vezes votado o melhor motel da costa oeste) já foi palco de muitos filmes, séries e até document´rios ... e continua com uma qualidade de quartos, serviço e preços, incrível. Com a sua arquitetura entre o típico motel de estrada, mas com bom aspeto, e os seus neons vintage à beira da estrada, e a decoração sóbria e requintada dos seus espaçosos quartos, nada se pode apontar.

É aqui que hoje terminamos mais este dia da nossa Viagem de Verão em Direto American Series ... mas amanhã mudamos de cenário, de série e de estado ... e por isso temos de nos ir deitar.


21:15 A CIDADE DE PHOENIX

Viemos à cidade de Phoenix, por causa da série que relançou Patricia Arquette: Medium.

É nesta cidade de mais de quatro milhões de habitantes, capital do estado do Arizona, que a série se passa ... muitas vezes com cenas noturnas ... por isso (e porque o tempo também não estica), viemos jantar a Phoenix e dar uma volta para a conhecer.

Esta cidade tem, surpreendentemente, alguns edifícios notáveis, verdadeiramente antigos (segundo os padrões europeus), que datam da colonização espanhola desta zona, no tempo das descobertas. Maioritariamente igrejas e antigos mosteiros, ou conventos. Assim o centro da cidade entre arranha céus, tem edifícios antigos, o que cria um contraste bastante interessante e uma urbanidade cheia de contrastes e muito curiosa.

Porque já tínhamos almoçado à pressa, escolhemos o restaurante Harry's (um dos mais afamados Power Dinner Places da cidade) para parar e tratarmos do nosso paladar. Este local tem como especialidade a comida italiana e nomeadamente as pizzas e os dry martinis. Pois foi exatamente isto que fizemos: pedimos um Dry Martini que estava absolutamente soberbo e uma pizza que estava irrepreensível. Quando pedimos o Dry Martini, uma frase remeteu-nos para outro contexto ... perguntaram-nos  "shaken or stirred?"... e aqui, pela decoração ultra moderna, mas com um toque vintage, e pela pergunta, sentimo-nos quase num filme de James Bond. Na realidade este Harry's é uma recriação contemporânea de um mítico bar de Phoenix que era conhecido pelos seus Dry Martinis, e foi aqui que o criador de 007 ouviu pela primeira vez a frase que depois celebrizou com a sua personagem!

Foi pouco mais do que uma hora o tempo que passámos na cidade ... e foi a primeira cidade que tivemos pena de deixar em tão pouco tempo ... pois tem tudo para ser um bom destino turistico. Prmetemo-nos voltar um dia para conhecer melhor Phoenix).


15:00 A APOTEOSE DA PAISAGEM NATURAL

Já visitámos vários parques naturais durante esta viagem, todos eles bastante espectaculares, mas nenhum comparável ao nosso próximo destino: o Grand Canyon.

Depois de um almoço sem história, num restaurante de fast food de beira de estrada, rumamos então a muito aguardado Grand Canyon National Park. Aqui, com as expectativas bastante altas, uma simpática ranger, logo à entrada, pergunta-nos se já visitámos algum parque natural antes (ao que respondemos afirmativamente, referindo Yosemite e Zion Canyon) e ela sugere então que, em vez de pagarmos a entrada normal, lhe entreguemos essas duas entradas, que ela desconta num passe anual para visitar todos os parques naturais do país. Assim em vez de pagarem 30 dólares, pagam apenas 20 (pois o passe anual custa 80 dólares e já tínhamos pago 30 em cada um dos outros).

A simpatia desta ranger, estendeu-se a orientar-nos rapidamente uma visita rápida pelo parque (uma vez que só tínhamos 30 minutos para o explorar. Assim indicou-nos logo um ponto obrigatório, para ficarmos logo "esmagados pela dimensão e pela beleza do Grand Canyon. E depois disto podem parar onde quiserem porque estão conquistados" ... e não exagerou!

A nossa primeira visão do Grand Canyon foi da antiga torre de observação da tribo Navajo, que é o único ponto onde em dias limpos (como o de hoje) se consegue ver todo o Grand Canyon. Não há palavras que possam descrever a sensação de tal amplitude de espaço. Nem sequer a capacidade de transmitir a vertigem da visão da altura que nos separa neste ponto do rio Colorado (que circula no meio do Grand Canyon). Nem imagens que consigam ilustrar a beleza de todos os descomunais precipícios que se vêem até ao fim do horizonte.

É uma visão única, apenas digna de uma das Sete Maravilhas Naturais do Mundo.


12:00 O MONUMENT VALLEY

Depois de algumas milhas, mesmo na fronteira do estado do Utah com o Arizona, encontramos um dos cenários naturais mais conhecidos de todos os Estados Unidos e um dos mais icónicos o que nos recebe nesta manhã: o Monument Valley.

Utilizado como imagem de marca pelo Marlboro Man nas suas famosas publicidades (dos idos tempos em que ainda era possível as marcas de tabaco fazerem publicidade), filmado e refilmado vezes sem conta em westernes, em road trip movies (como o famoso Telma and Louise) e um dos mais repetidos sets do icónico realizador de Hollywood John Ford, este vale é verdadeiramente monumental.

As conhecidas rochas, no meio da imensa planura de toda a paisagem, o vermelho escuro das mesmas, em contraste com o azul do céu, o calor do deserto a queimar e uma estrada estas infindáveis que não se vislumbra o fim, são imagens fortes e que marcam este monumento natural ... e a imagem de uma América de índios e cowboys.


10:00 A CASA MORMON

Foi um acordar bastante suave e muito agradável o que tivémos hoje, no The Grist Mill Inn. Não fossem as poucas horas de sono ... e teria sido o acordar perfeito!

Depois de nos arranjarmos, descemos para o pequeno almoço e percebemos que estávamos numa verdadeira casa Mormon. Com imagens religiosas na sala do pequeno almoço (uma pequena sala de jantar para não mais de 10 pessoas), tudo deserto, mas com um ar bastante arranjado e clássico, mas com um verdadeiro ar de casa de família, e não de hotel.

Quando perguntámos se nos podíamos servir do pequeno almoço, informaram-nos que do que ainda estava na sala sim ... mas que a família, uma vez que era domingo, já tinha ido para a missa ... e que portanto mais do que o café e sumos que estavam na sala, só depois de voltarem. Agradecemos a oferta, mas partimos, pois não queríamos atrasar-nos no nosso dia.

0 Reality Comments: